Encendiste la luz

By: Liz-cam

Translate: Roy-chan

.

.

.

Estar cego, a sensação de sentir-se só, culpado. Uchiha Sasuke experimenta-a, é alvo de miradas curiosas... com lástima. Até que ela entra em sua vida, a pessoa que em um momento acreditou ser incômoda e irritante está disposta a mostrar-lhe o que é sentir-se amado.

.

.

.

Observações –

Em algumas ocasiões haverá pequenas narrações dos personagens, para que conheçam suas emoções e seus pontos de vista.

.

Olhos que não vêem

.

.

O que queria sua mãe? Fartar-lo por acaso? Pois já podia deixar-lo, o havia conseguido. Estava farto.

— Já te expliquei mãe — voltava a dizer o Uchiha cansado, o havia estado repetindo por, pelo menos, trinta vezes.

— Mas como é possível! Por que há gente assim? — caminhava histérica vendo a ferida de seu filho que agora estava coberta por um curativo, o qual ela havia tido o cuidado de colocar — por acaso fizemos algo ruim a eles? — o moreno confirmou em pensamento: sua mãe gostava de dramatizar.

— Sabe mãe, estou cansado e tenho sono — sentenciou Sasuke levantando-se da poltrona — boa noite — já era tarde e não planejava ficar acordado por uma besteira.

— Mas pelo menos jante algo! — gritou Mikoto ante a reação de seu filho e o tomou pelas mãos — deve recobrar as energias.

— Não tenho fome — disse soltando-se — tomarei um banho e me deitarei, isso bastará — e subiu as escadas sem se deter, mesmo com as queixas de Mikoto.


Segunda-feira, hoje Sakura iria à casa de Mikoto Uchiha para jantar e, de passagem, conhecer a criança que cuidaria. Ainda que faltassem horas, se pôs a escolher a roupa que usaria, não queria se vestir elegante nem demasiado simples. Usaria a roupa que a fizesse se ver bonita. A noite anterior havia posto tudo para lavar, não queria que lhe acontecesse o mesmo outra vez.

Depois de escolher o que levaria posto, Sakura desceu para tomar o café da manhã. Faltava uma semana para entrar novamente à universidade, assim que antes de entrar de volta a rotina desejava se divertir um pouco. Sua mãe não gostaria que a depressão a preenchesse. Um bom dia para sair e fazer amigos, isso é o que faria.

Já se encontrava caminhando pela vizinhança, sem dúvida caminhar já se havia convertido em algo que fazia todos os dias, e claro que aproveitaria.

.

Narrado por Sakura.

.

— Cuidado dattebayo! — isso foi o único que alcancei a ouvir antes de ser atingida por um frisbee em minha cabeça, ou, ao menos isso acreditei ver.

— Naruto-kun, você a atingiu! — escutei uma voz baixa, me volteei e me encontrei com uma bela garota de olhos perolados e cabelo negro com reflexos azuis, o que me lembrou certo moreno.

— Perdão... — se desculpou o garoto, era loiro e de olhos azuis, em cada uma de suas bochechas tinham três listras estranhas — costumo ser muito desastrado com estas coisas, dattebayo — disse o loiro coçando a cabeça, nesse momento vi como um enorme cachorro branco coletava o frisbee do solo.

— Você está bem? Desculpe-nos — ao parecer a morena estava envergonhada pelo acontecido.

— Oh, não se preocupe, estou bem — disse imediatamente, não queria que se sentisse culpada, depois de tudo a mim sempre passava o mesmo, sem querer tropeçava com as pessoas.

— Você é a novata, certo? — perguntou o tal Naruto, mas era certeza que já o sabia, por algo perguntava.

— Naruto-kun! — o repreendeu a garota por ser tão direto — o perdoe, ele costuma se assim.

— Não tem nada de mal — lhes sorri, ao parecer estava começando a gostar dos dois — sim, sou nova, levo uma semana vivendo nesta vizinhança — respondi amavelmente a pergunta do loiro.

— Eu te havia visto sair de casa algumas... varias vezes — confessou Naruto, a morena e eu o olhamos. Por acaso estava me espiando? — ah! Mas não pensem mal! — Naruto acariciou o cachorro um pouco nervoso — foi por pura casualidade, simples coincidência — acrescentou suando, podia notar-lo, pelo visto queria fugir daqui o quanto antes.

— Bom, como somos vizinhas me apresentarei devidamente — disse a morena com um sorriso — eu sou Hyuga Hinata — ambas apertamos a mão. Olha só! Não havia dado nem cinco passos fora de casa e já estava fazendo novos amigos, isso sim que era ter sorte. Ao parecer, agora tudo ia bem, tinha trabalho e havia conhecido uma agradável garota e um simpático garoto, ainda que deva admitir que fosse um pouco... gritante.

— E eu Uzumaki Naruto! — gritou muito alegre ao garoto com um grande sorriso monstruoso — ah! E este aqui é Akamaru! — disse agora apontando o cachorro que deu um grande latido.

— Pois então, muito prazer em conhecê-los aos dois, eu me chamo Sakura Haruno — me apresentei igualmente e fiz uma pequena reverência.

— Sakura-san, se precisar de algo é só nos dizer — disse amavelmente Hinata — eu moro justo em frente a sua casa, e Naruto duas casas a mais que a minha — me mostrou a garota, eu imediatamente observei aonde me indicava. Todas as casas desta rua eram iguais, pequenas para uma só pessoa.

— Muito obrigada — pra dizer a verdade, estava feliz de por fim fazer novos amigos neste lugar. Na realidade, não costumava ter muitos, nem sequer na universidade, não era muito sociável por assim dizer.

— Escuta Sakura-chan, gostaria de acompanhar a Hinata e a mim ao parque? — o loiro me estava convidando, vendo seguramente que estava só — vamos levar Akamaru para dar um passeio, assim Hinata não vai se entediar tanto com seu namorado — ao dizer isto, Naruto se voltou para ver sua namorada com um sorriso, a morena se ruborizou ao máximo. Isso de que ambos eram namorados não me surpreendeu, ainda que levasse a conhecer-los por menos de cinco minutos, sabia, pelo modo como trocavam olhares entre si havia algo além de uma amizade.

— Claro, eu posso cuidar de Akamaru enquanto vocês passeiam por aí — lhes mostrei um sorriso ao ver o rubor nas bochechas de minha nova amiga, era realmente tímida, inclusive mais que eu.

.

Fim da narração.

.


Já eram seis da tarde, Mikoto fazia os preparativos para o jantar que se levaria a cabo as oito da noite em companhia da rosada. Parecia muito feliz, e ainda que Sasuke não a pudesse ver o assegurava pela forma como cantarolava alegre por toda a cozinha.

O que teria de especial essa garota para que sua mãe armasse tanto alvoroço? Não era nada especial, disso estava seguro, somente esperava que tudo isso passasse rápido. Sasuke sabia que sua mãe sempre havia desejado uma filha na família Uchiha, ou ao menos o que era antes, somente havia puros varões. Itachi e ele. Seu pai Fugaku sim que esteve satisfeito, com dois varões na família era mais fácil de levar a companhia, mas isso não pode acontecer, pois Itachi morreu e ele... ele simplesmente já não servia.

Rangeu os dentes, se tão somente pudesse ver, todos os seus problemas se resolveriam, sua mãe não teria o porquê de haver pedido esse trabalho, ficaria feliz em voltar para casa e ele voltaria para sua antiga vida, com amigos e talvez com uma namorada que o amasse de verdade.

Mas as coisas não eram assim, já havia aceitado seu destino desde muito tempo, mas então por que pensava nisso? Nem sequer ele mesmo sabia. Subiu para tomar banho, era somente um janta, então agüentaria uma hora para depois ir se deitar. Na verdade, não estava de humor para que sentissem pena por ele, mas devia satisfazer sua mãe.


Sakura ainda seguia no parque com Hinata e Naruto. O loiro gritava histérico enquanto era arrastado por Akamaru pelo parque inteiro, as duas garotas riam pelo que passava enquanto conversavam em um dos bancos.

— E Akamaru é seu? As garotas sabiam quase tudo de suas vidas, estavam a algum tempo conversando sobre elas duas. Naruto não pode estar com Hinata, mas isso não lhe incomodava, nem todos os dias sua namorada fazia amigas.

— Sim, Naruto-kun o me deu no meu aniversário, Akamaru está há três anos comigo — explicou a garota enquanto dava um sorvo em sua raspadinha de coco.

— Então você e Naruto se conhecem desde muito tempo — acrescentou a rosada enquanto mexia sua raspadinha de morango.

— Sim, desde o primeiro grau, nossas famílias são muito amigas. Quando lhes dissemos que estávamos saindo não cabiam em alegria, até nos fizeram um jantar, isso foi há dois dias — conversava com um sorriso vendo pelo canto do olho seu namorado que ainda não podia parar Akamaru — você me disse faz um tempo que estava procurando um trabalho estes dias, para quem exatamente trabalhará?

— Bom, é uma senhora, se chama Mikoto Uchiha, você a conhece? — Hinata ficou calda um momento tentando se lembrar.

— Não, não saberia te dizer — confessou a garota — mas acredito que esse sobrenome já tenha escutado em algum lugar. E como é ela?

— Bom, pois é muito amável, depois das aulas irei a sua casa cuidar de seu filho — a garota já terminava sua raspadinha — não falamos ainda do pagamento mais não posso me queixar, lhe agradeço que me dê uma oportunidade em sua casa.

— A propósito Sakura-san, você tem namorado? — a troca inesperada de tema não esperava. Na verdade, esse era um tema que não desejava conversar.

— Não, não tenho. Tive um há dois anos, no terceiro ano — falou a rosada lembrando-se de seu ex-namorado com certa raiva, coisa que Hinata notou assim que não quis perguntar mais — oh não, é tarde! — gritou a garota de olhos jade sobressaltando Hinata, se levantou em seguida e consultou seu relógio — 6:15 pm, sinto muito Hinata, mas tenho que deixar-los, me convidaram para um jantar, te conto amanhã — e correu rumo a sua casa sem se deter.

Sakura chegou muito agitada, se não tomasse um banho rápido se atrasaria. Ao abrir a porta de sua casa, a primeira coisa que fez foi ir ao seu quarto e recolher a roupa que havia escolhido para depois ir atrás do chuveiro. Uma vez tomado o banho se dispôs a vestir-se, a roupa não ficou ruim, de fato havia ficado perfeita, sorriu no espelho e se dirigiu ao quarto para continuar se arrumando.

Quando terminou com o seu vestuário se dispôs a se pentear, seria algo simples, então escovou seu cabelo e o alisou. Ficou um pouco longo e lhe ficava bem. Colocou um faixa em seu cabelo que combinasse com sua roupa e em alguns minutos seu penteado estava pronto, agora o único que restava era a maquiagem. Não gostava de exagerar, isso deixava para os palhaços. Um pouco de maquiagem, discreta o suficiente bastou, ainda faltava meia hora, ao menos chegaria a tempo. Foi à sala e acendeu o televisor para matar o tempo, sairia quando faltassem dez minutos para as oito.

Ao dar as 7:50 pm, a rosada saiu de sua casa levando as chaves e sua bolsa. Caminhou sem pressa, a casa de, sua agora chefa, ficava muito próxima a sua, então não havia com o que se preocupar. Chegou à direção indicada e com um pouco de nervos tocou a campainha , esperou e em poucos segundos escutou alguns passos se aproximando a porta. A garota respirou fundo e logo em seguida a porta se abriu, revelando o garoto com o qual se havia encontrado duas vezes no dia de ontem.

Não pode evitar abrir a boca pela impressão assim como seus orbes jade, simplesmente não tinha palavras. O que fazia ele aqui? Seria por acaso o filho de Mikoto? Ou ela havia tontamente se equivocado de direção? Sim, com certeza era isso. Que vergonha!

— Se vai falar faça já — ordenou o moreno cansado. Sakura compreendeu a maneira ridícula que se encontrava e recobrou a compostura.

— Sinto muito — se desculpou fazendo uma pequena reverência, por alguma estranha razão, pensava que o garoto via outra direção que não fosse ela — é aqui a casa de Uchiha Mikoto? — perguntou timidamente. Sasuke demorou em responder, pensava que essa voz já a havia escutado em algum lugar, e esse odor...

— É aqui. Você é a convidada de minha mãe? — perguntou com uma voz que fez Sakura se estremecer e que também respondeu uma das perguntas que se havia feito segundos antes, mas continuava intrigada. Por que não a olhava?

— Sim, muito prazer, sou Haruno Sakura — disse entusiasmada oferecendo-o a mão em sinal de cumprimento, mas se surpreendeu quando este não a aceitou, o olhou e compreendeu que esse garoto não a podia ver, esses olhos tão belos não podiam ver absolutamente nada.

.

.

.

Ohayo! Como estão?

Aqui está o quarto capítulo, um pouco curto e, provavelmente, com vários erros ortográficos, mas compreendam, estive ocupada com alguns trabalhos, acabo de terminar um de física e ainda faltam tantos... final de ano letivo é sempre corrido!

Como podem ver, Hinata e Naruto (Akamaru também, mas enfim...) já entraram em cena, e como sabemos que Sasuke é uma pessoa solitária – ou forever alone ou antissocial ou excluído , vocês escolhem c: bb – também percebemos que Naruto será uma peça importante nesses primeiros capítulos de "introdução" à trama.

Ainda nesse final de semana, trarei o segundo capítulo de Dez coisas que odeio em Sasuke Uchiha e já no início da próxima semana trarei uma one-shot muito fofa – chama-se Fairytale Real Estate, da queridíssima Neon Genesis, também do inglês.

E como sou uma pessoa muito má, vou deixar aqui já a sinopse.

Fairy Real Estate – Neon Genesis

Ino apontou com um dedo cuidado até ele. — Esse — disse, com um tom de satisfação petulante — É Uchiha Sasuke. Seu encontro. Sou uma boa amiga ou o que?

.

Enfim, até o final de semana, e não se esqueçam: Reviews = atualização rápida.

.

.

Reviews?

.

.