N/A : Se passa durante a edição 45 do Volume 3 de X-Factor

Significados em um beijo

Rictor havia pensado muitas vezes em como seria quando ele encontrasse Shatterstar de novo. Nunca lhe ocorreu que ele estaria possuído e tentando matá-lo, mas levando em conta o tipo de vida que vivia ter um dos seus melhores amigos possuído e consumido por um desejo homicida não era algo tão chocante assim.

Eles ficaram juntos uma vez no México, o resultado de tequila, e dividir um quarto com apenas uma cama com o melhor amigo que já teve, alguém que o via como se ele fosse melhor do que como ele se via, melhor do que todas as merdas que haviam acontecido com ele, melhor do que os piores erros que já tinha cometido, alguém que o amava completamente e que por mais que ele tivesse tentado negar pra si mesmo que ele amava também. Mas ele não estava pronto realmente naquela época então decidiu que o melhor seria que se separassem, que fossem para lugares diferentes. Era impossível calcular o número de vezes em que Rictor xingou o seu eu do passado por essa decisão porque a verdade é que ele não apenas queria que Star tivesse estado lá nos últimos anos, ele precisava que ele estivesse. Ele precisava dele quando perdeu seus poderes. Ele precisava dele quando estava no telhado de um prédio pensando em pular.

Quando Shatterstar recobra a sua consciência Rictor diz que tudo vai ficar bem, e antes ele se de conta Shatterstar o beija. Ele ainda está confuso, ele sabe que já que Guido está ali logo todos os membros do X-Factor vão saber disso, mas quaisquer que venham ser a ser as consequências disso estas não são tão importantes quanto o fato que Shatterstar está ali com ele, presente e tangível. Ele não vai para trás ou se acanha, ele o beija de volta da melhor maneira que pode, o beija do jeito que quis o beijar durante quase todo o tempo em que o conhecia. Ele o beija e espera que Shatterstar consiga entender que ele nunca mais vai deixar que ele vá embora de novo.

Obrigada por ler, reviews são sempre apreciadas.