Vejo embaixo da cama. Não está.

Procuro atrás dos arbustos, no meio deles. Impossível...

Os pássaros inorgânicos me trazem um trevo.

Tem quatro folhas, são mecânicas como tudo aqui – exceto por eu mesma. Será que ele ainda pode ter o mesmo valor? Ouvi, pelas ondas hertzianas, que anuncia boa sorte.

- Perdeu algo, Suu? – General Ko apareceu, monitorando.

- Não, não perdi... – talvez o trevo não traga sorte.

- Então pelo que esteve procurando? – havia tom de preocupação legítima na sua voz.

- Felicidade. Eu nunca a tive para perdê-la.

Quatro folhas. Penso se eu seria capaz de encontrá-la se tivesse sorte.