Prologo

Estava escuro como breu nesse dia, ouvia-se fortes trovões ao longe como se fosse o último dia de trovoada do resto da vida dele. Parecia que o dia estava assim por causa da pena que tinha de ver um casal apaixonado a despedir-se e estava triste tal como eles pois não se veriam durante algum tempo. Pouco talvez, dois anos e meio mas para eles uma eternidade pois mais um ano era equivalente ao tempo que tinham de namoro na altura. Lembra-se de perguntar a ela se esperaria por ele e ela respondera que sempre esperaria por ele pois o seu amor por ele era eterno. Deram um beijo de despedida e ouviram a última chamada do avião… Uma lágrima… Vira uma lágrima a escorrer na face dela e lhe apertara a mão com força para reconforta-la e lhe dera um último abraço…forte talvez para ela se sentir melhor mas também para se sentir o único amor da vida dela. Lembra-se de isso tudo e agora ecoa-lhe as últimas palavras dela: "Quando voltares estarei aqui à tua espera para te abraçar outra vez. Amo-te e vamos voltar a ficar juntos para sempre… Estarei aqui…." Estas duas últimas lhe fazem impressão relembrar, pois não era verdade, ela não estava à espera dele para o abraçar.