O Estudante de Intercâmbio

Nome: The Exchange Student/O Estudante de Intercâmbio
Autora:
Lady Gwynedd
Tradutoras:
LeiliPattz e Ingrid Andrade
Beta:
Luciana
Gênero:
Romance/Humor
Censura:
M
Sinopse:
Ele é simplesmente um estudante de intercâmbio à procura de uma xícara decente de chá e Bella fornece isso. Ela acha que ele é completamente perfeito. Quando ele se encontra em um problema, ela se oferece para ajudá-lo; no entanto logo ambos terão muito com o que lidar. Será que o amor verdadeiro vai prevalecer?

Disclaimer: Essa fanfic pertence a Lady Gwynedd que me autorizou a tradução, Twilight e seus personagem pertencem a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução


Capítulo 1 - Crime Doloso
(Traduzido por Ingrid Andrade)

Eu estava limpando o balcão da lanchonete, quando ele entrou. Eu o tinha visto por perto antes, caminhando pelo pátio para o departamento de Engenharia com um monte de livros. Ele era diferente e certamente todas as mulheres próximas o notaram: alto, com tufos de cabelos castanhos avermelhados e as características de um Deus Grego.

Felizmente, eu não me fiz de tola fora de mim mesma, quando ele estava andando perto de onde eu estava sentada comendo meu almoço. Eu tinha meus óculos de sol e então meus olhos não podiam ser vistos, e eu usava meu jeans marrom, uma camiseta bege, e um capuz marrom – o que Alice chamava de minha camuflagem – que acidentalmente de propósito se misturava ao fundo, assim como eu gostava. Tenho certeza que ele não me notou.

Ele me intrigou. Eu pensei nele frequentemente enquanto meu dia passava – enquanto eu caminhava para minha próxima aula, durante meu turno na lanchonete, e enquanto caminhava para meu pequeno apartamento de estúdio. Fiz questão de almoçar no pátio ,no mesmo horário, todos os dias, na esperança de revê-lo. Ele foi se tornando meu hobby.

Eu o vi todos os dias, carregando os mesmos livros e indo na mesma direção. Achei que ele era um estudante de engenharia, devido ao edifício que ele entrou. Ele não tinha idade o suficiente para ser um funcionário da Universidade – portanto, ele deve ser um estudante. Esforcei-me bastante para ler os títulos de seus livros, mas levava-os de forma que a espinha dos livros ficava contra seu corpo, obscurecendo o seu título.

Um par de semanas se passou assim, até o dia que eu estava no meio do caminho para meu turno no Mel's Diner. (Sim, eu sei – exatamente como nos seriados velhos de TV dos anos 70. Nós até tivemos que usar os mesmos vestidos rosa como uniforme que Alice e Flo usavam antigamente, uma bunda feia, Oxford brancos ortopédicos e redes de cabelo. Meu chefe pensou que estava sendo inteligente. Mas foi um trabalho que me permitia comer, eu trabalhava no caminho da escola). O objeto da minha secreta obsessão caminhou até o balcão, deslizou em um assento e sorriu na minha direção.

Ooooh. Senti o seu sorriso varrer até os dedos dos meus pés. Limpando a garganta, eu sorri de volta e perguntei se poderia ajudá-lo.

"Poderia ter uma xícara de chá, por favor?"

Eu quase desmaiei no chão. Ele era inglês. Seu sotaque acariciou meus ouvidos e eu sei que minha boca estava aberta. Quão mais perfeito ele poderia ser? Eu apenas me impedi de babar.

Juntei meu juízo disperso e perguntei ,"Claro. Gostaria de algo para comer com ele?"

"Você não teria algo como um bolinho ou biscoito, teria?"

Agora, eu estava pensando sobre coisas da graduação inglesa e eu sabia de algumas coisas que talvez fizessem meu novo cliente feliz. Embora eu nunca tenha estado no Reino Unido, eu tinha estudado. Eu era uma anglófila sem exceção. Eu sabia preparar um bule de chá perfeito – de acordo com Sra. Marple* – e felizmente, o Mel's Diner tinha bules em abundância. Eu também sabia que para um inglês, biscoitos eram tais como cookies, em vista do que os americanos consideram biscoitos.

*Sra. Marple: foi uma criação de Agatha Christie e foi bastante determinada sobre suas xícaras de chá.

"Acho que posso fazer isso", respondi.

Rapidamente montei o chá – substituindo alguns chás Lipton*da lanchonete por PG Tips** que eu sempre carregava na mochila. Derramei o leite na pequena jarra e tinha um pouco de açúcar para fora, e enchi o açucareiro com ele. Lavei o bule de cerâmica pouco depois com água quente, e depois o enchi, colocando chá dentro e fechando a tampa. Felizmente, tinha acabado de comprar alguns biscoitos Girl Scout Trefoil*** – afinal, eu tinha sido uma escoteira quando criança – desde que a menina foi para a próxima a porta , eles foram para minha mochila. Eu coloquei quatro em um prato.

* Lipton Tea: é a marca registrada de uma bebida sem gás, não fermentada e não alcoólica. É composto por chá e aromas, com sumo natural de pêssego, água, açúcar, extrato de chá preto, acidulante ácido cítrico, antioxidante ácido ascórbico (vitamina C).

** PG Tips: é uma marca de chá do Reino Unido, fabricado por Unilever UK.

*** Girl Scout Trefoil: é uma marca de cookies vendidas por escoteiras do EUA. Girl Scout, como Bella menciona significa escoteira, mas achei mais legal deixar na tradução literal.

Eu coloque o chá e os cookies na frente dele. "Por favor, deixe-me saber se há algo mais que você gostaria", eu tentei dizer sem soar que eu estava chegando nele. Mas não importa qual sequência eu poderia moldar, nada parecia inócuo. Só esperava que ele me levasse ao pé da letra. Eu estava simplesmente tentando pagar o pequeno prazer que ele tinha me dado nas últimas semanas simplesmente andando por mim em seu caminho para a classe. Eu era louca. Eu sabia disso.

Fui até a outra ponta do balcão e comecei a secar alguns copos que tinham acabado de sair da máquina de lavar louça, enquanto eu observava-o disfarçadamente com o canto do olho. Era evidente que ele estava gostando de seu chá e alguns minutos mais tarde, ele chamou-me novamente.

"Este chá está delicioso. Eu não tinha uma boa xícara de chá desde que saí de casa!"

Emocionada que eu lhe agradava, sorri. "Eu aprendi a fazer o chá com uma doce velha senhora inglesa. Fico feliz de fazer direito."

"Você a fez orgulhosa", ele disse levantando sua xícara. Eu prometo, posso ter corado, mas não babei.

Então, tornou-se um hábito passar aqui todas as tardes para tomar um bule de chá. Eu convenci o cozinheiro a assar bolinhos, além dos muffins da manhã, porque eu sabia que meus biscoitos Girl Scout iriam acabar. Cheguei a fazer uma apresentação provando que os bolinhos eram mais baratos de se produzir e foram se tornando mais populares que os muffins. Eu sei que ele pensou que eu estava louca, mas ele faz tudo para tornar seu trabalho mais fácil.

Começamos a desenvolver algum tipo de camaradagem ao longo das semanas seguintes. Ele sabia meu primeiro nome, Bella, porque eu tinha um crachá proclamando isso com orgulho, mas ele nunca pensou em se apresentar. Mas eu aprendi que ele era um estudante de intercâmbio de Londres, e ele estava terminando a licenciatura de Engenharia aqui com um visto de estudante. Do pouco que ele disse, poderia dizer que ele estava com saudades de casa, então eu o incentivei a contar um pouco sobre sua terra natal. Eu amava conversar com ele em meio aos clientes.

Um dia, quando eu estava sentada no pátio fazendo a leitura de alguns Marlowe*, minha página foi ofuscada por alguém que se aproximou de mim. Olhei para cima e assustei-me ao vê-lo sorrindo para mim.

* Marlowe: foi um dramaturgo, poeta e tradutor inglês que viveu no Período Elizabetano. Para saber mais sobre o escritor clique no link pt. wikipedia wiki/ Christopher _ Marlowe (Retire os espaços).

"O que você está fazendo Bella?"

Eu segurei o meu livro. "Leitura."

"Eu não sabia que você era uma estudante aqui". Nunca tínhamos conversado sobre mim em tudo.

"Eu estou me graduando em Inglês. Terceiro ano.", contei a ele.

Ele sentou-se no muro baixo de pedras ao meu lado. "Sinto-me muito tolo. Eu deveria saber."

"Como você poderia saber? Eu nunca disse nada sobre isso. Estava muito ocupada absorvendo qualquer coisa que você pudesse me dizer sobre sua terra natal. Eu sou um anglófilo no armário." Sorri.

"Eu sabia que algo estava acontecendo. Quando eu ia para a lanchonete nos seus dias de folga, o chá estava horrível."

"Tenho uma confissão. Tenho estado compartilhando meu chá PG Tips com você."

"Você tem? Não precisa fazer isso."

"Você parecia como se realmente pudesse usar, e apreciaria uma boa xícara de chá."

"Bem, certamente eu o fiz. Onde você consegue seu chá?"

"Você pode comprá-lo no supermercado local no seu corredor de especialidade. Deixo-me ser levada lá ocasionalmente."

"É bom saber disso. Vou ter que reabastecer suas fontes."

"Não é necessário, honestamente."

"Você trabalha na lanchonete há muito tempo?"

"Eu comecei a trabalhar lá no ano passado. Isso me mantém em Rice Krispies." Eu fechei meu livro e sorri.

"Você sabe, agora percebo que tenho sido um completo idiota sobre estas últimas semanas. Eu nunca realmente me apresentei. Meu nome é Edward Cullen." Ele estendeu sua mão para mim agitá-la.

Eu peguei e de repente estava sobrecarregada com um burburinho enervante que envolveu minha mão e começou a correr pelo meu braço. Oh Senhor, eu estava me tornando uma completa idiota fora de si mesma. Recebendo um aperto, eu fui capaz de dizer, "Bella Swan" e rapidamente soltar sua mão.

"Extremamente apropriado."

"Apropriado?"

"Seu nome combina com você. Bella quero dizer, é bonita em italiano e cisnes são animais muito adoráveis e graciosos."

Eu sei que estava ficando em cada tonalidade de vermelho que havia. Eu botei pra fora, "Obrigada, mas isso só mostra que os nomes podem ser enganadores."

"Eu discordo. Seu nome combina."

Ele levantou-se naquele momento e disse, "Eu preciso cir para a minha classe. Vejo você esta tarde?"

"Sim. Eu estarei lá."

Ele sorriu e acenou para mim e então caminhou em direção ao seu prédio. Eu notei que o primeiro livro de sua pilha se intitulava: "Os Membros Estruturais". Eu tive que rir. Havia apenas um membro que pensei quando pensava em Edward Cullen.

À medida que os dias passavam minha obsessão por Edward Cullen não diminuiu e eeu achava os momentos que passávamos juntos – ele começou a comer seu almoço comigo no pátio – eram os destaques do meu dia, ainda mais do que minha classe de Shakespeare o que diz muito. Como a temperatura baixou, porém, estava muito frio para snos sertarmos do lado de fora para o almoço, então nos mudamos para o grande lobby do edifício de Engenharia.

Eu conheci alguns dos colegas de Edward dessa forma. Alguns paravam para falar com ele no caminho para a aula que compartilhavam. Edward sempre foi cavalheiro e sempre me apresentou. Um dia, uma linda loira morango esgueirou-se – sim, ela se aproximou –até Edward, me ignorando completamente e disse, "Edward, que horas você disse que viria essa noite?"

Por alguma razão, as bochechas de Edward ficaram vermelhas e ele respondeu nervosamente: "Uh, em torno das sete?"

"Isso é ótimo. Estou realmente ansiosa para isso." Ela sorriu e deslizou– sim, ela deslizou – para baixo no corredor.

Meu coração despencou em meus sapatos. Era evidente que eles estavam indo para um encontro naquela noite. Mas isso não era da minha conta, então eu olhei para o meu sanduíche tentando pensar que coisa inocente eu poderia dizer, mas antes que pudesse pensar em qualquer coisa, Edward se levantou. "Eu te vejo mais tarde, Bella?"

Eu estampei um sorriso e olhei para ele. "Certamente". Então, eu vi que ele seguiu a loira no corredor.

De repente enjoada, joguei o resto do meu almoço fora. Repreendi-me por ficar tão chateada sobre isso. Fui estúpida pensando que alguém tão atraente e fascinante não teria uma vida social ativa. Eu era apenas uma companhia agradável para ele – talvez a chance de desfrutar memórias de casa com uma ouvinte muito disposta.

Eu resistia e consegui seguir minha vida. Eu ainda via Edward no almoço e no jantar, mas eu firmemente freei qualquer tipo de dia de sonhos sobre ele. Eu precisava ser realista. Ele estava muito fora do meu alcance e estava muito grata com o tempo que tive com ele.

Semanas se passaram e de repente, nosso recesso de inverno estava sobre nós. Perguntei a Edward se ele tinha planos.

"Eu vou ficar por aqui. Eu não posso ir para casa agora, por causa das questões de custo e visto. E você?"

"O mesmo. Eu vou trabalhar durante o recesso e reabastecer minha conta bancária."

"Ótimo. Talvez possamos manter a companhia um do outro?"

"Eu gostaria disso". Eu gostei muito, estava emocionada.

Nós não dissemos mais nada sobre nossos planos. Finalmente uma fuga em massa, e a excitação dos prazos finais de viagem correram pelo campus e deixou nossa cidade universitária vazia, exceto por alguns retardatários como Edward e eu.Não vi Edward pelos dois primeiros dias do nosso tempo. Nós não tínhamos feito nenhum plano concreto e assumi que faria quando ele aparecesse na lanchonete. Mas ele não veio. Eu estava começando a pensar que ele teve a oferta de passar as férias com alguém, talvez a bela loira. Meu coração estava pesado com esse pensamento, não importa o quanto eu o repreendesse.

No terceiro dia de pausa, eu estava tentando escrever o cardápio especial do dia na lousa, mas estava tendo um tempo difícil com ela. Por alguma razão, o giz tinha ficado saturado com óleo e não queria escrever.

"Talvez se você quebrasse pela metade?", eu ouvi a sugestão atrás de mim.

Virei-me, inteiramente cheia de alegria. "Edward, você está aqui!"

Ele riu e disse, "Eu lhe disse que estava."

"Eu esperava te ver mais cedo, acho. Estava pensando que você tinha saído da cidade depois de tudo."

Ele suspirou e sentou-se no balcão. "Eu não estava planejando ir a qualquer lugar, mas talvez eu tenha da mesma forma."

"Ah". Ocupei minhas mãos fazendo seu chá, mas ouvia avidamente o que ele dizia.

"Parece que há um problema com meu visto. Eu não posso ficar e terminar meu curso."

"O quê?", fiquei horrorizada.

"Por alguma razão, foi emitido um visto errado. Era para ser por quanto tempo eu levasse para obter meu diploma – eu tinha contado dois anos -, mas meu visto se esgota no final desse ano, em três semanas. Passei os últimos dias conversando com oficiais, tentando resolver isso, mas não há muito que eu possa fazer e nada dentro do razoável .Vou ter que ir para casa."

"Porém, não é possível voltar depois?"

"Não. Fui enviado aqui por uma bolsa de estudos da empresa onde trabalhei. Eles concordaram em pagar meus estudos, mas eu tinha que terminar minha licenciatura no próximo mês de Junho. Se eu for para casa, não serei capaz de fazer isso."

Pus o chá na frente dele e ele olhou desanimado para o copo vazio. "Você disse que não havia muito que poderia dentro do razoável. Qual a coisa não razoável que você poderia fazer?"

Ele revirou os olhos para o absurdo da solução impossível. "Você vai rir."

"Eu não creio que seja uma questão de rir, Edward."

"Não, eu acho que não ."

"Bem", eu perguntei. Estava caindo em mim que ele iria embora e nunca mais eu iria vê-lo. Ridícula ou não, eu estava desesperada.

Edward olhou para mim e disse, como se ele engasgasse com suas palavras, "Se eu casasse com uma cidadã do EUA, eu poderia ficar."

"E não há ninguém que possa ajudá-lo com isso?", estava lhe perguntando se ele tinha uma namorada.

Ele fez uma cara confusa. "Uhm. Não. Não há ninguém.", ele estava me dizendo que não havia. Gostaria de saber o que aconteceu com a bela loira deslizante?

Eu olhei para ele. Ele olhou para mim. Isso simplesmente ficou ali, entre nós.

Em seguida, um cliente chegou e quebrei o contato visual com Edward. Eu tinha trabalho a fazer. Ele me deu alguns momentos para pensar. Anotei o pedido do meu novo cliente e trouxe-lhe o café solicitado. Eu tive alguns momentos, por isso achei melhor fazer algo agora ou eu amarelava. Edward estava cuidando de seu chá na extremidade da lanchonete.

Reunindo minha coragem caminhei até ele, respirei fundo e disse, "Edward, você poderia casar comigo."

Ele parecia chocado. "Casar com você?"

"Sim. Parece que é a solução mais simples para o seu problema, eu acho. Sou uma cidadã do EUA. Você pode ficar aqui e terminar sua escola a tempo. Quero dizer, nós não temos que viver juntos nem nada. Poderia ser apenas no papel, só assim você poderia ficar. Eu estaria te ajudando e em seguida, em Junho, quando você já tiver terminado, poderíamos obter um divórcio tranquilo. Seria simples. Ninguém tem que saber, exceto o governo. Muito fácil."

"Você faria isso por mim?", Edward perguntou incrédulo.

"Por que não? Não tenho nada melhor para fazer."

"É pedir demais."

"Você não pediu. Eu ofereci."

Ele estava começando a sorrir. "Tem certeza? Sua família ficaria bem com isso?"

"Você não tem que se preocupar com isso. Tenho certeza. Minha vida não vai mudar em nada."

Então,foi assim que me casei com Edward Cullen. Foi um casamento de conveniência. Edward nos comprou uma licença de casamento no dia seguinte, e dias depois nos encontrávamos de pé nervosamente em frente ao juíz de paz local e nos casamos. Depois, nós seguimos nossos caminhos separados. Eu tive que começar a trabalhar e Edward tinha que mostrar a certidão de casamento na frente dos impertinentes funcionários do governo e tudo estaria bem. Ou, então pensávamos.

Eu estava já por volta de uma hora no meu turno na lanchonete, quando recebo um telefonema.

"Alô?"

"Bella é Edward.", ele parecia estressado.

"Sim, Edward. O que há de errado?"

"Evidentemente, não podemos apenas nos casar e seguir nossos caminhos separados Temos que provar que estamos realmente vivendo juntos em felicidade conjugal durante o período do meu visto, e aparentemente se casar com a intenção de permitir que alguém, legalmente, fique no país é um crime doloso."


YAY FIC NOVA! E essa eu estou dividindo com a Ingrid que pegou os primeiros capítulos já que eu não tenho como traduzir agora. Espero que gostem da fic, ela é MUITO legal, eu sou apaixonada por esse Edward British rsrs

Deixem a opinião de vocês, e passem no meu group no facebook, lá tem todos os meus planos para esse mês de Outubro.

www(ponto)facebook(ponto)com/groups/leilipattzfics/

ESSA FIC TERÁ DIAS PARA POSTAGEM: TODA SEGUNDA-FEIRA!

xx

E a Gui tem uma conta onde ela tá postando uma fic que eu também vou traduzir com ela:

Lifestyles of the Rich and the Famous

www(ponto)fanfiction(ponto)net/s/8550132/1/

Leiam e comentem! Essa fic é ótima também :)

Beijos

xx