N/A : POV Master. Pós The Last of the Timelords AU.

Maneiras de acabar com o tédio

Quando éramos jovens você costumava falar sobre termos uma TARDIS e passarmos a nossa vida viajando pelo vortex. Alguns séculos, muitas regenerações e vários genocídios depois essa fantasia se realizou, embora não ocorram tantas viagens assim já que você não pode arriscar me levar a lugar algum. Isso não é um lar, é uma prisão, eu gosto de te lembrar disso.

Não é a primeira vez que eu vou para uma prisão por sua causa. Você até costumava ir me visitar naquela prisão ridícula da UNIT nos anos 70. E você adorava isso, não adorava ? Me ter em um só lugar enquanto você vindo e indo embora quando você quisesse, me tratar do mesmo jeito que você trata os seus humanos estúpidos. Pelo menos dessa vez você está preso aqui comigo.

Eu te beijo porque eu quero que você pare de falar, você estava começando a ficar emocional e isso sempre leva ao meu tédio (o nosso primeiro beijo ainda nos nossos anos de Academia em Gallifrey aconteceu exatamente pelo mesmo motivo) Você me corresponde imediatamente, porque você está solitário, tão desesperado por afeição, por conexão. E tão entediado quanto eu.

Eu faço as coisas que eu lembro que você costumava gostar, é um tanto impressionante como não importa quanto o seu corpo e personalidade mudem de regeneração para regeneração eu sempre consigo fazer com que você obtenha as mesmas reações. Você diz que você me perdoa, eu digo que não preciso ou quero o seu perdão, você diz que eu o tenho mesmo assim.

Sexo passa a acontecer com frequência depois disso. Você quer cuidar de mim, expurgar a maldade de mim uma transa de cada vez. Você adora se iludir, é fofo. Patético e ridículo é claro, mas ainda assim fofo. Mas as vezes quando eu quero algo diferente eu falo sobre os seus antigos companions.

Jack Harkness e a adorável Martha Jones . Você se lembra deles ? O que eles diriam se pudessem te ver agora ? Tão pronto para se dar completamente ao monstro que os manteve em cativeiro, que os torturou, que quase os matou. Como você me quer, o quanto você me ama. Os mencionar quando estamos na cama (ou no console da TARDIS, ou no chão, ou na sua piscina/biblioteca) é sempre divertido, você fica agressivo e brutal, seu ódio por mim presente tanto quanto seu amor.

Você pergunta se eu sinto falta dos Timelords, eu digo que não sorrindo. Um bando de entediantes burocratas, não tiveram nada mais do que eles mereciam. Você costumava achar a mesma coisa. Eu te beijo de leve e te agradeço por tê-los exterminado, você sai do quarto na hora abalado e eu me sinto satisfeito.

Na primeira oportunidade que eu tiver eu vou escapar desse lugar e de você, mas no entanto enquanto esta não surge eu sigo aproveitando os prazeres desse cativeiro afinal mexer com a sua cabeça é quase tão divertido quanto como cometer genocídio.

Obrigada por ler, reviews são sempre apreciadas.