Sailor Moon não me pertence.


N/A: Antes de ler esta fic, recomendo a leitura de "Aquela foi uma noite nem lua", uma vez que esta fic começa de onde "Aquela..." terminou.

*O príncipe e a princesa*

Capítulo 1

Ele estava sonhando de novo.

E de novo, estava trajando aquela mesma armadura, aquela mesma capa e carregando aquela mesma espada.

Sua visão, a princípio, estava embaçada, fosca, mas foi clareando com o tempo, tornando-se mais nítida a medida que o tempo passava. Seus olhos, não mais encobertos por aquela névoa mística e surreal, agora estavam mais do que arregalados, fixos numa paisagem esplêndida e inacreditável.

Ele conseguia ver o planeta Terra de onde estava.

"Tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe..."

Uma voz, uma voz melodiosa e angelical, chegou aos seus ouvidos e ele, então, logo deixou de admirar o majestoso globo azul para procurar pela dona daquelas palavras. Mas nem precisou procurar muito, já que ela estava bem ali, de costas viradas para ele, seu comprido vestido branco esvoaçando delicado com o vento, bem como seu comprido cabelo prateado.

"O que quer dizer?" Ele perguntou, intrigado, andando em direção à garota sem rosto. E ele andou e andou, passadas largas e determinadas, suas sobrancelhas grossas franzindo e seu rosto assumindo uma expressão frustrada ao perceber que, por mais que tentasse se aproximar da bela moça, ele não conseguia sequer chegar perto dela.

Como se ela fosse... inalcançável.

"Às vezes nós buscamos as respostas mais difíceis para nossas perguntas... quando na verdade, deveríamos aceitar aquelas mais simples."

Ele enrugou a testa, ainda sem entender as charadas que ela falava. "Eu não compreendo!" Admitiu, frustrado e aborrecido ao mesmo tempo, seu tom de voz firme, mas não grosseiro.

"Você só precisa abrir os seus olhos, Endymion..."

"Endymion... por que você me chama assim? Quem é Endymion?"

Ela não o respondeu, mas ele ouviu um som suave escapar dos lábios femininos, algo entre um soluço e um choro. "Apenas abra seus olhos... e veja o que está bem debaixo do seu nariz... veja o que você teima em continuar ignorando..."

Emudecido, ele prendeu a respiração por um instante, apertando os olhos e tentando reconhecer a jovem princesa, mas a luz prateada que parecia irradiar do pequeno e delicado corpo dela o impedia de poder enxergá-la com a nitidez necessária. Seus olhos se voltaram mais uma vez para o planeta Terra, e ele suspirou profundamente enquanto contemplava o globo azulado. "Meus olhos estão abertos... mas eu não sei o que devo enxergar. Eu não sei o que estou ignorando..."

"Você precisa acreditar... apenas acredite."

"Acreditar em quê?"

"Na possibilidade..." O jovem abaixou a cabeça, visivelmente cansado. Passando uma mão pelo cabelo negro, voltou a mirar a bela princesa, mas continuou calado. "Tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe..."

"Por favor..." Suplicou, seu tom de voz carregado de derrota. "Eu não consigo compreender as suas charadas! Que possibilidade é essa? O que está tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe? É o Cristal de Prata? É disso que você está falando?" Ele encarou o chão por alguns segundos, apenas para fechar os olhos com força logo em seguida, dedos deslizando inconscientemente pela bainha da espada presa à sua cintura, traçando com leveza os detalhes da arma.

"Eu estou falando..." Ouviu a voz dela mais uma vez, seus olhos se abrindo e sua cabeça se erguendo assim que notou o quão próxima ela parecia estar... e ele não pôde evitar de se espantar ao finalmente ver que a jovem princesa estava bem na sua frente, lábios macios contorcidos num pequeno sorriso, olhos azuis repletos de calma e bondade, uma lua crescente marcada bem no centro da sua testa. Com a leveza de uma pluma, ela traçou com os dedos o contorno do rosto dele, lábios doces se aproximando do rosto do alto rapaz. "...de mim." Sussurrou, um hálito fresco acariciando os lábios do jovem.

"Eu... eu sei quem você é..." Ele respondeu devagar, sua boca muito próxima da dela.

"Sim, você sabe... e até o seu coração já aceitou..." Ela pousou uma mão sobre o peitoral dele, mas sustentou o olhar, seu rosto ainda erguido. "...no entanto a sua mente está confusa, pois teme que você ame duas pessoas... quando essas duas pessoas são... uma só." Ela suspirou contra os lábios dele, e ele abaixou um pouco mais a cabeça, finalmente diminuindo a sofrida e tentadora distância entre suas bocas, calando-a com seus lábios, beijando-a com doçura.

Darien despertou de supetão.

Apesar do frio que estava fazendo naquela madrugada de inverno, seu corpo estava todo suado, sua roupa e o seu cabelo, ensopados. Levou as mãos trêmulas ao rosto, esfregando os olhos e se sentando na cama. Afastando o cobertor, se pôs de pé e caminhou um tanto quanto trôpego até o banheiro, pálpebras pesadas, quase fechadas por causa do sono.

Ele tinha sonhado com ela mais uma vez. Tinha sonhado com a sua princesa.

Só que dessa vez, diferentemente dos outros sonhos, a sua princesa sem rosto havia ganhado sim um rosto.

Um rosto que ele sabia muito bem a quem pertencia.

Ele só não sabia o que aquilo significava. Muito menos sabia como poderia conversar com ela sobre isso, principalmente porque ela, Serena, o vinha evitando a todo custo desde o último encontro que tiveram.

Desde o dia em que ele descobriu que ela era Sailor Moon e que ela descobriu que ele era Tuxedo Mask.

Desde o dia em que ele descobriu que nutria algo muito mais profundo do que afeto pela loira com cara de lua cheia.