O Trio

"De todos os dias que você podia escolher para aterrissar tinha que ser justamente no dia de uma revolução ?" Donna perguntou após entrar na TARDIS e fechar a sua porta.

"Não foi uma escolha, eu simplesmente não sabia que esses eventos ocorreriam hoje" o Doutor disse.

"Eu sabia" o Mestre disse.

"Porque você não disse nada ?"

"Eu estava com vontade de ver um pouco de caos e violência aleatória"

"Doutor porque exatamente você decidiu que viajar com um sociopata ?" Donna perguntou.

"Porque ele me ama e quer cuidar de mim. E também desde que a presidente Romana deu um fora nele ele parece ter uma queda enorme por pessoas loiras" o Mestre respondeu.

O Doutor pareceu um tanto irritado com esse comentário. Donna não conseguiu deixar de achar isso um tanto divertido (nos últimos meses viajando na TARDIS era claro ela e o Mestre não eram e provavelmente nunca viriam a ser amigos, mas zoar o Doutor era um hobby que ambos tinham em comum)

"Você foi de alguma maneira responsável pelo governo desse planeta ter entrado em colapso ?"

"Eu temo que não, essa foi a primeira vez que eu estive em Trion"

"Então como você sabia o que ia acontecer hoje ?"

"Durante a Academia nós tivemos longas e tediosas aulas sobre a história dessa civilização durante um semestre"

"Então como o Doutor não sabia ?"

"Porque ele nunca prestava atenção nas aulas"

"Porque alguém ficava me distraindo o tempo todo" o Doutor disse.

"E ainda assim esse alguém conseguia ter as segundas melhores notas da classe, acho que esse alguém era simplesmente bom desse jeito. Só pra você saber Donna o alguém que nós estamos falando nessa conversa sou eu"

"Isso é óbvio, e não apenas pelo seu egocentrismo de sempre" Donna disse.

"Sinto muito minha cara, quando se conversa com criaturas com cerebrozinhos tão primitivos quanto o seu é difícil saber o que é compreensível ou não"

"Não fale com ela desse jeito. E voltando ao assunto teve um monte de vezes que as suas notas só foram tão altas porque você fazia os projetos e provas em dupla com a Ushas"

"Não é minha culpa você só lembrar-se de chamá-la no último momento"

"Quem é essa ?" Donna perguntou.

"Uma Timelady que estudou conosco. Depois ela passou a ser conhecida como a Rani, uma renegada como nós também, ela parecia um pouco como ele, só que bem menos insana, bem mais competente e com nenhuma tendência a gostar de programas de televisão destinados a crianças com menos de cinco anos de idade. De qualquer maneira ela era nossa amiga na Academia, bem, mais ou menos nossa amiga" o Doutor disse.

"Se nós irritássemos ela o suficiente ela nos deixava copiar os deveres que ela tinha feito e ela sempre dizia que nós éramos idiotas" o Mestre disse.

"Ela estava certa" Donna disse.

"Ela também sugeriu que eu e ele nos casássemos um monte de vezes" o Mestre disse.

"Sim ela fazia isso, mas ela dizia mais algo do tipo : Vocês são um par de pestes que se merecem" o Doutor disse.

"Ela estava certa de novo" Donna disse.

Os dois Timelords se entreolharam.

"Donna por um acaso você tem um relógio de bolso que você não nota realmente e que você nunca se preocupou em abrir ?"

"Não"

"Você tem certeza ?"

"Sim. Porque você quer saber ?"

"Por nada"

Só para garantir horas mais tarde quando Donna estava ocupada na Piscina/Biblioteca eles procuraram por entre as malas delas algum relógio, eles não encontraram nenhum, se sentiram um tanto tolos por um momento. Depois eles seguem sem pensar mais nesse assunto, e sem notar os símbolos Gallifreyanos que haviam no anel que sempre estava na mão de Donna.

Obrigada por ler, reviews são sempre apreciadas.