N/A: Eu sei que a história parece um pouco confusa, mas é como deveria ser. Tudo será esclarecido em breve. No caso de você ter perdido isso no primeiro capítulo, Edward tem atualmente 24 anos e Emmett tem 28. Ben e Edward tinham a mesma idade, mas a irmã de Ben estava mais próxima à idade de Emmett. Ben foi embora quando ele tinha 16 anos para viver com sua mãe, e três anos mais tarde, sua mãe ligou e disse que ele morreu.

N/T: Essa fic tem várias notas da autora que julgo importantes, quando necessário eu as colocarei no início ou fim do capítulo. Peço que leiam, para evitar perguntas desnecessárias :)


~ Capítulo 3 – Entrelaçados ~

Tradutora: Sophia Missyine

~ Edward ~

"Então, se Isabella é irmã do meu irmão, o que ela é para mim?" Emmett perguntou confuso enquanto estávamos subindo o elevador para o topo da montanha. Felizmente, as mulheres passariam a tarde no spa.

"Uh, eu acho que se o seu pai fosse casado com a mãe dela, ela seria sua meia-irmã. Mas seus pais nunca se casaram e a única ligação entre vocês se foi, então eu acho que ela não é nada para você".

Emmett assentiu. "Bom, então eu não tenho que ameaçá-lo para ficar longe dela".

"O quê?" Eu perguntei, confuso.

"Ah, vamos lá, mano, eu vi a maneira como você tem olhado para ela".

"Eu não tenho olhado para ela." Eu disse defensivamente.

"Oh, sim, você tem, e isso está assustando Rose um pouco".

"Por que diabos Rose se importaria?" Perguntei irritado.

"Porque Isabella é amiga dela e você não tem a melhor reputação quando se trata de mulheres".

"Por favor, as mulheres me amam".

"Sim, e então você as descarta e as deixa com o coração partido. Você conhece aquela música sobre cobras de coração frio? Bem, você é assim".

"Você está louco. Tanya está muito satisfeita comigo".

"Cara, nem sequer fale sobre aquela harpia repugnante perto de mim novamente. Além disso, você é o maior idiota quando se trata dela, não que eu possa culpá-lo, mas, ainda assim. Apenas fique longe de Isabella... ou, pelo menos, se você não ficar, simplesmente não a irrite a tal ponto que ela conte para Rose e então eu acabe na casinha do cachorro por isso. Lembre-se, nosso casamento está chegando e vocês dois estarão lá, então não é como se você pudesse fodê-la e depois nunca mais se preocupar em vê-la de novo".

"Emmett, eu não tenho desejo de foder aquela mulher. Além do fato de que ela definitivamente não é o meu tipo, ela se parece tanto com Ben que seria uma distração muito perturbadora sequer apreciar isso, por pouco que seja".

"Não é o seu tipo? Eu não sabia que você tinha um tipo. Duas pernas, confere, dois peitos, confere, uma boceta quente, confere. Cara, a mulher é definitivamente o seu tipo".

"Vá se foder. Você sabe que eu gosto de loiras, e os seios dela estão longe de serem suficientemente grandes para o meu gosto".

"Oh, você quer dizer porque eles são reais? Eu sei que você está acostumado aos fodidos peitos falsos de Tanya, mas, vamos lá, cara, não há nada melhor do que curvas de prazer totalmente naturais, independentemente do tamanho".

"Isso é fácil para você dizer, os seios da sua garota são enormes".

"Quando você realmente ama alguém, a forma do seu corpo não importa tanto assim. Você é atraído pelo seu coração e sua alma, e isso irradia para o exterior também".

Eu apenas olhei para Em, completamente aturdido. Além de mim, Emmett era o cara mais superficial que eu conheço, o que diabos aquela vadia da Rose fez com ele?

"Não me olhe assim. Eu finalmente sei o que é amar alguém de verdade, e eu não me importaria se Rose tivesse três mamilos e doze dedos, eu a amaria, de qualquer maneira".

Tentei me segurar, mas eu estava completamente sem poderes. Eu caí na risada com tanta força que meu estômago e laterais do meu corpo realmente doeram de tanto rir.

"Vá em frente, ria. Mas você verá, um dia você se apaixonará e ficará de ponta-cabeça por alguém, e não haverá nada que a pessoa possa fazer que mudaria a forma como você se sente sobre ela".

"Não. Nem pensar, sem chance. Eu nem sequer acredito nessa merda, nenhum amor é incondicional".

"Você verá." Ele repetiu com um sorriso.

Eu apenas revirei meus olhos para Emmett. Claro, ele amava Rose neste momento, mas eu não podia ver isso durando. Mesmo se eles casassem, seria apenas uma questão de tempo até que um deles ficasse entediado, ou que percebessem que eles não gostavam realmente um do outro tanto quanto eles pensavam... ou que houvesse um mal-entendido e um deles dissesse algumas coisas dolorosas, só para ter o outro indo embora para morrer em algum outro lugar.

Teria sido melhor nunca ter sentido algo tão forte por alguém do que experimentar esse nível de conexão e então vê-la desaparecer como se não fosse nada. Pequenas escolhas estúpidas, transformando-se em enormes erros fodidos...

"Edward, eu sinto muito. Eu não tenho ideia por que eu fiz isso".

"Vá se foder, seu fodido viado. Fique fodidamente longe de mim, você me enoja. Por que diabos você pensaria que eu algum dia quereria fazer isso? Se você algum dia chegar perto de mim novamente, eu fodidamente matarei você!"

Tantos erros. Palavras venenosas, que eu nunca seria capaz de retirar e que, até hoje, deixam um gosto amargo na minha boca pela maneira como rolaram pela minha língua. Um segredo que ele e eu levaríamos para o túmulo.

"Uff." Eu bati contra uma árvore, ficando sem fôlego. Sentei-me ali por um momento e não tinha ideia de como diabos isso aconteceu. Embora a verdade seja que, eu estava pensativo, mas, ainda assim, eu nunca tinha batido em uma árvore antes enquanto fazia snowboard. Não parecia que algo estivesse quebrado, mas eu fiquei dolorido e com dores por toda parte. Olhei em volta para ver se Emmett ainda estava por perto, mas não o vi em lugar nenhum.

"Uau, isso foi duro." Alguém disse. Virei-me para ver uma mulher sorrindo para mim de trás. Seu rosto estava coberto pelos óculos de esqui, mas eu sabia quem era.

"Nah, eu estava apenas fazendo uma pausa." Eu menti de forma convincente.

"Uh huh." Isabella disse sarcasticamente. A maldita mulher parecia ser a única pessoa no planeta Terra que sabia imediatamente quando eu estava mentindo. Como diabos isso era possível? "Aqui, deixe-me ajudá-lo a levantar." Ela disse e me ofereceu sua mão.

Eu sorri. "Acho que eu consigo".

"Você é tão fodidamente teimoso." Ela disse inesperadamente. Ao longo dos últimos meses, eu tinha aprendido algumas coisas sobre as mulheres que meus amigos estavam namorando. Primeiro, elas eram muito femininas, e, segundo, elas se irritavam se você usasse muito a palavra com F casualmente, sem a desculpa de estar bêbado, ou assistindo um evento esportivo. Eu, é claro, fazia o meu melhor para dizer 'foda-se' tanto quanto possível quando estava perto delas, só para irritá-las. Portanto, o fato de que Isabella nem sequer hesitou com a palavra foi... estranhamente atraente.

"Sim, eu sou teimoso, como você adivinhou?" Eu disse sarcasticamente enquanto lutava para me levantar. Eu estava seriamente começando a repensar toda essa coisa do snowboard, talvez eu devesse ter ficado com esquis. Tentando me levantar enquanto minha bunda ainda estava enterrada na neve e meus pés presos à prancha, que também estava enterrada na neve, era realmente uma droga.

"Você ficará aí o dia todo." Ela disse e agarrou meu braço. Ela era realmente muito forte, sendo tão magra quanto era, mas ela não era nada comparada a mim. Eu puxei de volta facilmente, o que a fez cair para a frente, praticamente no meu colo.

"Bem, isso foi útil." Eu atirei a ela o meu sorriso torto irresistível. Por que diabos eu estava gastando minhas expressões sexy com ela?

Normalmente o meu charme escorrendo ganhava as mulheres imediatamente e as deixava implorando para eu fodê-las, mas Isabella apenas revirou seus olhos e pareceu irritada.

"Deixe-me adivinhar, você sorri assim e as mulheres simplesmente baixam suas calcinhas para você?"

"É isso, sim." Eu disse, convencido.

Isabella se afastou de mim e então se equilibrou para que pudesse terminar sua descida da montanha.

"Espere." Eu disse, esperando que ela tivesse piedade de mim. Verdade seja dita, eu realmente não tinha certeza se eu poderia levantar sozinho. "Você pode, por favor, ajudar-me a levantar?" Eu perguntei pateticamente enquanto dolorosamente movia minhas pernas de debaixo de mim. Ok, talvez eu estivesse mais do que 'um pouco dolorido'.

"Tem certeza que você está bem com uma mulher ajudando um homem grande e viril como você?"

"Eu sei que você ficaria honrada em fazer isso." Eu brinquei. Eu realmente pensei que ela ficaria irritada e me deixaria ali, mas ela apenas sorriu e começou a puxar meu braço novamente. Maldição, minha bunda estava realmente presa.

Ela puxou tão forte quanto podia, enquanto eu tentava me levantar, e quando eu finalmente fiquei em pé, ela caiu para trás e eu caí em cima dela. A coisa toda foi como uma daquelas comédias pastelão ridículas, nós devemos ter parecido uns idiotas, especialmente quando ambos começamos a rir descontroladamente.

"Ok, vamos descer essa montanha antes que Emmett envie um grupo de busca atrás de nós." Eu finalmente disse depois de forçar-me a parar de rir.

"Ele definitivamente parece que seria capaz de fazer algo assim." Isabella concordou.

"Sim, ele é um pouco superprotetor".

"Eu acho muito legal que vocês dois tenham ficado tão próximos. Vocês parecem realmente se preocupar um com o outro".

"Bem, eu acho que Emmett é apenas o tipo de pessoa que precisa sentir que está protegendo as pessoas. Eu dou a ele um monte de merda por isso, mas é bom saber que ele sempre está cobrindo minhas costas".

"E você a dele, eu suponho".

"Claro, ele é como meu irmão".

Isabella assentiu como se estivesse de alguma forma reconfortada pelo meu relacionamento com Emmett.

Sempre que eu vinha esquiar ou fazer snowboard com Jasper e Emmett, nós sempre subíamos ao topo da montanha juntos, então nos separávamos para encontrar nosso próprio caminho para baixo, mas, por incrível que pareça, Isabella e eu nos mantivemos próximos pelo resto do caminho. Eu executava um salto e ela se exibia executando um maior, e não havia nenhum jeito que eu a deixaria levar vantagem sobre mim, então eu tinha que encontrar uma maneira de fazer algum truque mais impressionante.

"Não tente se superar, você pode bater em outra árvore." Ela provocou.

"Eu nunca bati em uma árvore antes, e eu não baterei em outra novamente".

"Certo... CUIDADO!" Ela gritou, e eu me virei a tempo de me desviar de uma pedra gigante. Olhei para ela, e ela sorriu maldosamente.

"Isso não era uma árvore, era uma pedra." Eu me defendi.

"Eu não disse nada".

Nós terminamos nossa descida e estávamos prestes a nos separar, mas, por alguma razão, eu me vi a convidando para tomar um café comigo.

"Uau, você não se cansou de mim ainda?" Ela perguntou com um sorriso.

"Bem, por todo o tempo que passamos com nossas bundas presas na neve, achei que era simplesmente certo da minha parte comprar um café para você".

"Ou talvez pudéssemos pegar um sorvete." Ela brincou.

Meu sorriso sumiu e eu apenas fiquei olhando para ela em estado de choque.

"Uh, eu estava brincando." Ela disse, depois de perceber a minha mudança de humor.

Eu não tinha certeza se ela estava apenas brincando, ou se talvez Ben teria dito a ela sobre a nossa barraquinha de venda de sorvete no inverno na infância. Mas, ainda mais surpreendente, foi o fato de que eu estava torcendo para que fosse este último. Eu estava realmente chateado por Isabella ter dito que Ben nunca falou de mim para ela, mas talvez ele tenha falado e ela simplesmente não quisesse mencionar por algum motivo.

"Ok, bem, está fodidamente frio aqui fora, então vamos entrar para pegar algo quente." Eu disse, tentando esquecer seu comentário.

Nós fomos para o pequeno café do resort e eu gesticulei para ela pedir primeiro.

"Uh... chocolate quente com marshmallow extra." Ela disse para o homem no caixa. Eu acho que deveria ter esperado que ela pedisse a bebida preferida de Ben, eles eram irmãos, e irmãos tendiam a gostar das mesmas coisas.

"Eu vou tomar o mesmo".

Eu realmente pensei que ter um outro lembrete de Ben por perto seria difícil, mas, estranhamente, quanto mais Isabella se parecia com Ben, mais ansiosamente eu queria passar tempo com ela.

"Então, o que você faz da vida?" Perguntei a ela quando nos sentamos com as nossas bebidas.

"Uh... eu sou orientadora".

"Por que você fez essa pausa?" Eu questionei.

"Bem, eu tenho uma Pós-graduação em Serviço Social, mas acabei de receber uma oferta de emprego para uma posição de assistente social em Seattle, e isso é realmente o que eu quero fazer, então..." Ela encolheu os ombros.

"Então, você está se mudando para Washington? Você não pode ser uma assistente social na Flórida?"

"Eu poderia, mas eu amo Washington, e Alice é como uma irmã para mim, por isso é difícil não querer aceitar o trabalho lá".

"Sim, acho que consigo entender isso." E então um pensamento me ocorreu, "Então, por que você não foi para o 'dia no spa' com as outras mulheres?"

"Ugh, eu realmente não gosto muito dessa coisa de spa. Eu simplesmente não consigo suportar o pensamento de alguém me tocando por toda parte. E eu absolutamente odeio pessoas tocando nos meus pés, então eu me recuso a fazer as unhas dos pés".

Eu ri. "Pés sensíveis devem ser traço de família. Ben odiava que as pessoas tocassem seus pés também".

"Nossa mãe estudou acupuntura e reflexologia por um curto período de tempo, e ela disse que os pés têm pontos de pressão que se conectam com cada parte do nosso corpo, então eu realmente odeio a ideia de alguém tendo esse tipo de poder sobre mim".

"Sério?" Eu perguntei, realmente não esperando uma resposta. "Então, o que faremos agora?"

"Você quer descer a montanha de novo?"

Eu balancei minha cabeça, "Não, não. Eu acho que estou pronto para aposentar minha prancha de snowboard de uma vez por todas".

"Oh, não foi tão ruim assim." Ela discordou. "Você sabe, há um cinema nessa rua, vamos ver um filme".

"Você sabe pelo menos o que está passando?"

"Não, isso realmente importa? Qualquer coisa seria melhor do que você caindo de novo e arriscando quebrar seu pescoço".

"Ei, eu me ofendi com essa".

"Desculpe." Ela disse descuidadamente. Ela estendeu a mão e pegou a manga do meu casaco e começou a me puxar na direção do estacionamento.

Nós decidimos ver 'Jackass', porque não havia mais nada passando além de um melodrama, mas eu fiquei realmente nervoso quando a primeira cena repugnante apareceu. Eu não conhecia Isabella realmente bem, e a última coisa que eu precisava era que ela surtasse e me chamasse de porco por rir. Mas ela nunca surtou, e nada parecia ofendê-la. Nós rimos tanto que minhas laterais doíam.

Eu tinha acabado de enfiar algumas pipocas na minha boca quando uma cena surgiu, onde um rapaz estava fingindo ser um velho com uma ereção, e foi tão engraçado que eu acidentalmente cuspi o conteúdo da minha boca, um pouco aterrissando no colo de Isabella.

"Ah, merda, eu sinto muito." Eu disse rapidamente.

"Você é um porco." Ela disse chocada enquanto sacudia sua perna, e então ela prosseguiu limpando sua mão na minha camiseta e jogando alguns de seus próprios salgadinhos no meu rosto antes de começar a rir.

Após o filme, nós nem sequer questionamos que continuaríamos a nossa saída, estar com ela simplesmente era inteiramente natural. Só havíamos nos conhecido alguns dias antes, mas era como se eu a conhecesse desde sempre. Fomos jantar e depois voltamos ao hotel para a noite.

"Você quer vir até meu quarto? Nós podemos ver outro filme, ou algo assim." Eu perguntei quando entramos no elevador.

"Eu não sei, você vai tentar me seduzir?"

Eu sorri "Você se deixaria seduzir?"

"Definitivamente não. Então, se eu for até o seu quarto, eu não quero qualquer tipo de gracinha. Entendido?"

"Olhe, você é irmã de Ben, eu nunca tentaria nada assim. Você tem a minha palavra".

Ela estreitou seus olhos enquanto lia meu rosto, procurando sinceridade, e então ela assentiu. "Em qual quarto você está, eu o encontrarei lá".

"Por que você simplesmente não vem comigo agora?"

"Porque eu quero me trocar primeiro".

"Ok, quarto 414".

Isabella e eu nos separamos e, após uma hora, eu comecei a pensar que ela não viria, mas então houve uma batida na porta. Eu não estava certo do que eu achava que ela estaria vestindo, mas o que ela tinha vestido me surpreendeu completamente. Ela usava uma calça de moletom cinza e um casaco de capuz preto, com um AllStar e seu cabelo puxado para trás em um rabo de cavalo bagunçado.

Ela tirou completamente o meu fôlego.

Eu nunca entendi por que algumas mulheres insistiam em usar roupas masculinas, mas, por alguma razão que eu não entendia completamente, eu me sentia muito atraído por ela. Quanto menos produzida ela estivesse, mais atraído eu me sentia por ela, mas eu me forcei a manter esses sentimentos tão escondidos quanto possível e lembrei-me de quem ela era. Ben definitivamente não quereria que eu me envolvesse com ela, e eu tinha que respeitar isso.

Nós assistimos um dos filmes da Série Jogos Mortais e, em seguida, algum tipo de filme de super-herói, eu não estava realmente prestando muita atenção. Nós passamos a maior parte do tempo tirando sarro dos personagens e atacando o minibar. Em algum momento no meio do terceiro filme, eu olhei para ela e percebi que ela tinha adormecido, então eu não tinha certeza do que fazer. Eu poderia tê-la acordado e depois a acompanhado até seu quarto, ou eu poderia simplesmente tê-la deixado dormir ali mesmo. Era uma cama king size, então nós dois poderíamos dormir e nunca notar a presença um do outro, ou eu poderia sempre dormir no sofá.

Encostei-me no travesseiro e então olhei para Isabella e percebi que este era um arranjo de dormir completamente aceitável, então desliguei o filme e adormeci.

~ O ~

Algo mudou durante o verão quando tínhamos 14 anos. Eu tive um surto de crescimento e cresci alguns centímetros, tornando-me de fato mais alto do que Ben pela primeira vez desde que eu o conheci. Mas as mudanças físicas não foram a maior diferença na minha vida, a maior mudança ocorreu no meu relacionamento com Ben.

Eu sempre tinha sido um pouco doido por garotas, enquanto Ben sempre teve outros interesses, como baseball, mas, naquele verão, meus hormônios assumiram o controle total e tudo que eu queria fazer era ir para a piscina local espionar a salva-vidas. O nome dela era Heidi, e ela tinha que ser a garota mais linda que eu já tinha visto. Ben ia para a piscina comigo no começo, mas depois de perceber que tudo o que eu estava fazendo era espiar Heidi, ele decidiu encontrar outra coisa para fazer.

Depois de algumas semanas, a melhor coisa imaginável aconteceu comigo, Heidi me notou.

"Então, você planejava alguma vez fingir que estava se afogando para que eu pudesse salvá-lo?" Ela perguntou, flertando comigo.

"Não, mas eu acho que estou tendo dificuldade em respirar e poderia realmente necessitar de alguma respiração boca a boca".

"Bem, como eu poderia ser uma boa salva-vidas se eu apenas ficasse olhando e o assistisse sufocar?"

"Você não seria." Eu disse com um sorriso, e então Heidi plantou seus lábios nos meus e imediatamente enfiou sua língua em minha boca. Foi uma sensação incrível, e minha mente adolescente depravada logo fez com que minha sunga ficasse apertada.

"Oh, eu sinto muito, isso deve ser doloroso. Deixe-me ajudá-lo com isso." E, em seguida, Heidi me tocou de uma maneira que apenas eu tinha me tocado. Ela enfiou sua mão dentro da minha sunga e começou a me acariciar. Sendo um virgem intocado, eu não durei muito tempo, mas foi a experiência mais gratificante que eu tinha tido até aquele momento.

Heidi e eu nos tornamos um casal depois disso, e não demorou muito até que eu perdesse a minha virgindade completamente. Eu comecei a passar todo o meu tempo com ela, mas não foi até que eu a peguei nos amassos com Demetri que eu percebi que tinha negligenciado minha amizade com Ben por muito tempo.

"Quer ver o que está acontecendo no terreno baldio?" Perguntei depois de subir através da sua janela uma tarde.

"Heidi estará lá para aplaudir você?" Ben perguntou irritado.

"Não, aquela vagabunda pode ir se foder".

"Tudo bem." Ele disse confuso, mas não me pediu para elaborar os detalhes. Não importava que eu não estivesse ao redor por algumas semanas, nós simplesmente continuamos exatamente de onde tínhamos parado.

As tempestades de verão foram particularmente brutais naquele ano, e eu ainda tinha que superar o meu medo delas. Eu odiava ter 14 anos de idade e ainda ter um medo mortal do mau tempo, mas Ben nunca zombava de mim, e ninguém mais sabia.

Toda noite, eu entrava pela sua janela e dormia ao lado dele em sua pequena cama. Eu estava crescendo rapidamente, então caber nós dois na cama estava ficando cada vez mais difícil, mas eu preferia ficar desconfortável do que dormir sozinho. Nós geralmente acordávamos completamente entrelaçados, tanto nos lençóis, como um no outro. Os braços sempre no rosto do outro e as pernas espalhadas, de modo que se misturavam umas às outras. Mas isso nunca foi estranho, ou desconfortável, isso realmente era completamente normal e natural. Eu sabia que nós não poderíamos dormir ao lado do outro para sempre, mas eu não queria pensar sobre o dia em que teríamos de parar. Naquele ponto, eu não conseguia dormir sem ele, e o mero pensamento de ter que fazer isso me aterrorizava.

Mas aquele também foi o verão em que a minha avó morreu.

Meu pai estava por perto, mas nunca realmente tomou conta de mim. Ele ainda era um alcoólatra e, após 12 anos de luto pela morte da minha mãe, ele não estava nem um pouco mais perto de tentar ser um pai. Mas eu não precisava de ninguém para cuidar de mim, não era como se minha avó tivesse feito muito, mas, pelo menos, a presença inadequada do meu pai permitiu-me não ser forçado a ir para um lar adotivo.

Eu basicamente vivia na casa dos Swan, de qualquer maneira. Emmett tinha parado de reclamar sobre eu estar lá e o Chefe nunca pareceu se importar. Ben e eu estávamos sempre juntos, noite e dia, e depois do meu romance com Heidi terminar, eu não me importava tanto com as meninas. Não era porque eu não gostava de meninas, porque eu definitivamente ainda me sentia atraído por elas, mas eu estava sempre ocupado e sem tempo para paquerar.

Ben e eu tínhamos encontrado uma clareira no topo da montanha atrás da casa dele quando éramos mais jovens, e nós frequentemente íamos lá para ficar juntos, ou simplesmente relaxar. A nossa casa da árvore foi construída não muito longe dali, mas, com 14 anos, nós não a usávamos tanto como antes. Era apenas um lugar para onde fugir quando tínhamos um dia ruim, ou quando queríamos apenas deixar tudo para trás. Não havia máscaras lá, ninguém tentando ser legal, e nada com o que se preocupar. Era para a clareira que eu escapava quando meu pai mostrava seu interesse em mim, jogando suas garrafas de cerveja na minha direção, ou me batendo um pouco. Mesmo que eu fosse para lá sozinho, nunca demorava muito até que Ben aparecesse e simplesmente me deixasse saber que ele estava lá para mim. Nós não precisávamos falar, apenas saber que ele se importava era a coisa mais importante do mundo para mim.

O ano seguinte não foi muito diferente. Eu passava por fases obcecadas por garotas, onde eu seguia a garota pela escola e, às vezes, elas tinham pena de mim e me masturbavam, ou algo assim, mas eu sempre voltava para Ben à noite. Ele parecia um pouco amargo quando eu o abandonava por um rosto bonito, mas ele nunca me expulsou de sua cama à noite.

Eu tentava passar o mínimo tempo possível em casa, mas havia dias em que meu pai fingia se importar comigo e me forçava a ficar em casa, foi em uma dessas noites que ele ficou irritado com algo que eu fiz, e quase me matou .

"Você, não serve para nada, seu merdinha, você acabou de responder para mim?" Meu pai perguntou enfurecido.

"Não, pai, eu só disse que a vovó nunca colocava maionese nos meus sanduíches, eu apenas não gosto. Eu disse a você que poderia fazer o meu próprio sanduíche".

"Você está dizendo que eu não consigo cuidar do meu filho?"

"Não, eu estou dizendo que eu não sou mais uma criança e eu posso cuidar de mim mesmo".

Ele me olhou fixamente por um minuto, e então explodiu. Ele começou jogando uma cadeira em mim, e então ele seguiu em frente. Eu levantei minhas mãos defensivamente enquanto ele dava socos, mas alguns aterrissaram no meu rosto. Em seguida, ele fez algo que nunca tinha feito antes, ele jogou as mãos em volta do meu pescoço e começou a apertar. Eu não conseguia respirar e eu não conseguia me mover. Meu pai tinha um brilho de ódio assassino em seus olhos, e eu realmente pensei que ele me mataria. Eu comecei a sentir minha cabeça muito leve, e então eu apaguei.

Eu não tinha ideia de quanto tempo fiquei inconsciente, mas, quando acordei, eu tinha a maior dor de cabeça que já tinha tido, e um zumbido nos meus ouvidos. Eu nunca tinha sentido tanto medo na minha vida, e assim que eu tive a certeza que meu pai tinha saído, eu fui mancando até a casa de Ben. Eu não queria ficar sozinho, eu estava com tanto medo que meu pai voltasse de onde estivesse e tentasse terminar de me matar, então eu fui para o único lugar onde eu me sentia seguro.

Ben deu uma olhada em mim e imediatamente ficou furioso. "Eu vou matar aquele filho da puta." Ele disse agressivamente. Não importava que eu tivesse ficado maior que ele, ele ainda agia como se tivesse que me proteger.

"Não, Ben, ele saiu e eu não sei quando ele voltará, além disso, simplesmente não vale a pena. Apenas deixe pra lá".

"Eu não deixarei pra lá, olhe para você. Seu rosto está mais azul do que branco, e você mal consegue andar. Aquele homem precisa provar do seu próprio remédio, talvez eu simplesmente conte ao meu pai e ele seja preso por abuso infantil".

"Não B, eu não quero que ele vá para a prisão. Além disso, se ele se for, eles me enviarão para um lar adotivo em algum lugar. Está tudo bem, eu estou bem, eu não quero ir embora e viver com estranhos. Apenas durma e esqueça sobre isso".

Mesmo que nós sempre acordássemos entrelaçados um no outro, nós nunca adormecíamos desse jeito, mas, naquela noite, Ben passou seus braços em volta do meu corpo trêmulo e me segurou até que eu adormecesse.

~ O ~

O cheiro de Ben invadiu meus sentidos assim que eu acordei de uma das noites mais tranquilas que eu tive em algum tempo, mas Ben não estava lá, ele estava morto há mais de cinco anos. Era sua irmã que estava emaranhada comigo agora.

Desde que Ben e eu paramos de nos falar, eu nunca tinha dormido com ninguém. Meus encontros sempre terminavam assim que o sexo acabava, e mesmo que eu tenha ficado com Tanya por um tempo, eu me recusava a dormir ao lado dela. Nós geralmente nos encontrávamos em seu apartamento e eu ia embora depois, eu simplesmente não podia suportar a ideia de ficar vulnerável enquanto dormia ao lado de alguém. Mas, acordar com Isabella, foi absolutamente incrível.

Eu tinha esquecido como era bom não me sentir sozinho.

Nós começamos em lados opostos, mas, mesmo em uma cama king size, nós conseguimos encontrar o nosso caminho um para o outro em nosso sono. Seu cabelo estava todo sobre o meu rosto e pescoço, e seu braço estava pendurado no meu peito. Uma das suas pernas estava entre as minhas, e meus braços estavam envolvidos em torno da sua cintura e sob a sua cabeça.

Estávamos, obviamente, ambos totalmente vestidos, mas isto era o mais íntimo que eu conseguia me lembrar de estar com alguém em muito tempo, e eu não conseguia imaginar uma forma mais confortável e pacífica de estar.

Ela começou a se mexer e, quando abriu seus olhos, ela nunca comentou sobre a forma comprometedora como estávamos entrelaçados, ela simplesmente sentou, se esticou e sorriu um olá.

Absolutamente hipnotizante.


N/T – Estou chocada com os acontecimentos da fic... Bella/Ben, como ela conseguiu gente, e o Edward todo vulnerável *chora*

Vem cá que eu te abraço pra dormir hihhi

N/B- Espero que tenham lido a nota no começo. Se tivermos 30 reviews até quinta, nos vemos lá, obrigada por todo o carinho que temos recebido nas reviews, e alguns chutes, uns certeiros, outros + ou – e outros bemmm longe rs.

No próximo capítulo teremos pov Bella *.*

N/B- Espeor que tenham lido a nota no começo. Se tivermos 30 reviews até quinta nós vemos lá, obrigado por todo o carinho que temos recebido nas reviews, e alguns chutes, uns certeiros, outros + ou – e outros bemmm longe rs.

No próximo capítulo teremos pov Bella *.*