Lá estava eu, no meu quarto, curtindo minhas últimas horas em casa, olhando através da janela a Lua. Era a maior e mais brilhante que eu já vira na minha vida, queria que significasse que eu ia me dar bem em Londres. Até que meu hipnotismo pela lua se acabou quando meu irmão mais novo Fred (ele é o segundo mais velho) bateu em minha porta, sentou do meu lado e disse:

–Sabe...eu sei que brigamos muito, muito mesmo, mas , acho que eu irei sentir sua falta - os olhos de Fred enchem de lágrimas - eu não irei mais ter alguém que irá ficar brava quando eu chamar os meninos da ONE DIRECTION de feios - e Fred desaba em lágrimas, as mais verdadeiras que eu já tinha visto.

Eu logo falo com dó de Fred:

– Eu também irei sentir sua falta, mas não é o fim. Você ainda tem Jonas (o meu irmãozinho de 5 anos), ele é legal!

Fred fala com raiva:

–Bom mas Jonas só chora, não tem graça! Isa eu tenho que ir deitar e você também, boa noite - e me dá um beijo na testa - eu espero realmente que você se de bem em Londres - e fecha a porta

Já eram 22:30, resolvi tomar um banho. Sei lá, foi um banho aconchegante, diferente! Mas acho porque era o último antes da viagem. Lavei o cabelo arrumei a minha mala... Quando vi já eram 00:00, então fui dormir e fiz um pedido falando bem baixinho:

– Que Londres seja aconchegante. - Depois de minutos adormeci.

Acordei assustada com o choro de Jonas, dei um pulo da cama, olhei pro relógio eram 5:30 da manhã e meu voo saía ás 7:00. Troquei de roupa, arrumei o meu cabelo e coloquei um pouco de maquiagem. Meu pai chegou no meu quarto e disse:

– Ta pronta Isa?

Disse:

– SIM - com firmeza - o que a Georgia (minha madrasta) fez pro café?

Disse meu pai:

– Panquecas, suas preferidas - sorrindo, mas seus olhos estavam tristes.

Desci as escadas correndo, faz comer panquecas. Dei bom dia pra todos. E dei um beijo em Fred que estava tristonho. Comi panqueca feito louca, estavam deliciosas. Quando eram 6:30 eu subi e peguei minhas malas e me despedi da casa, do meu quarto. E entrei no carro, todos não disseram uma única palavra até chegarmos no aeroporto. Pegamos minhas malas e entramos correndo dentro do aeroporto, já eram 6:50. Peguei tudo e quando já estava na minha vez de ir pro avião dei um abraço apertado em todos (principalmente em Fred), dei um beijo no meu pai e fiz cócegas em Jonas pra ele ficar mais alegre, e deu um pouquinho certo, dei tchau a Georgia (que era uma boa madrasta), e fui... chorando mas fui...

Demorou umas 5 horas pra chegar em Londres, quando cheguei a 1° coisa que eu fiz foi ligar pro meu pai de dizer que tava tudo bem. Chegando em terra firme, fui no banheiro do aeroporto. Saindo de lá fui em uma pequena lanchonete (no aeroporto mesmo), e perguntei á moça aonde ficava a pensão da Dona Mary (era onde eu ia ficar), ela disse tudo e anotei certinho, peguei um Táxi e ele me deixou na pensão. Era uma casa rosa bem bonitinha...