Capitulo 1

A Endeavour estava parada na Base 753 há dois dias. Reparos de pequeno porte eram feitos nos motores de dobra, enquanto parte da tripulação era remanejada. Theodore Spencer olhava pela escotilha de sua sala, vendo as estrelas lá fora e se sentindo triste. Toda a vez que recebia ordens que implicavam em mudança de tripulação, se sentia desconfortável. E essa o fazia se sentir mais do que o normal. Simplesmente dois dos seus oficiais superiores iam ser remanejados, e isso exigiria um período de adaptação.

Spencer estava imerso em seus pensamentos, quando ouviu o intercomunicador anunciar o seu Conselheiro. Ao comando dele, as portas se abriram e Chaz entrou. O britânico vinha com uma expressão satisfeita no rosto, contrapondo-se ao aparente desânimo do seu Capitão.

- Muito bem, senhor Chaz, o que o traz aqui tão satisfeito?

O Conselheiro se sentou na cadeira reservada aos interlocutores do Capitão e esperou que este se sentasse.

- Terminei de examinar as fichas de nossos novos tripulantes e vim fazer meu relatório pessoal o mais rápido possível.

O Capitão o olhou com um brilho de interesse nos olhos.

- Prossiga, Conselheiro.

Chaz retirou um disco de uma pequena caixa que carregava consigo e inseriu no computador da mesa do Capitão.

- Computador, rode o programa "Consiglieri Endeavour", arquivo novos tripulantes. - a tela mudou em segundos mostrando a foto de uma jovem humana.

- Comecemos pela Oficial Chefe de Ciências. Christie Williams. Humana, criada em Vulcano, excelentes notas na Academia Vulcana de Ciências, serviu um ano como assistente na USS Lisbonne, com o Capitã Maggelan, que recomendou-a. Temperamento totalmente estável. Eu diria que não poderíamos querer melhor. A seguir, - a tela mudou novamente - o Oficial Chefe de Segurança, Aaron Heavyside. Serviu como oficial Tático e de Segurança em pelo menos 4 naves diferentes. Em todas recebeu altos elogios. Recomendado pelo Comando da Frota.

Spencer balançou a cabeça, mostrando admiração. Se esse era o perfil do novo Oficial de Segurança Chefe, ele ficava bem mais tranqüilo.

- Agora os três novos assistentes. A Oficial de Operações Assistente, T'mir, também vem de Vulcano.

Spencer se controlou para não fazer uma careta de desgosto. A idéia de ter uma vulcana na sua ponte não era nada agradável. Tinha tido experiências antes com vulcanos e não tinha boas recordações desse período.

- Sua mãe é terráquea e seu pai é Sorel, um dos mais famosos e competentes neurobiólogos de Vulcano. Cursou a Academia de Filosofia de ShiKahr, e na Academia da Frota esteve sempre acima da média. Uma nota do Serviço de Psicologia Aplicada da Frota diz que ela não segue as doutrinas vulcanas da maneira ortodoxa.

"Menos mal, então." Mas a idéia continuou a desagradar-lhe.

- Agora o Oficial de Segurança Assistente, Bannik. Um tyrriano.

Spencer olhou admirado para seu Conselheiro. Tyrria era membro recente da Federação e este provavelmente deveria ser o único tyrriano em toda a Frota.

- A ficha de serviço dele é impressionante. Antes mesmo de ser da Frota se envolveu em um incidente em Deep Space Nine, que sem ele teria caminhado para uma situação diplomática sem solução. Excelente aluno na Academia da Frota, serviu um ano como auxiliar de segurança no Espaçoporto de Nova Aldebarã, um período em que o número de incidentes se reduziu a zero.

O Conselheiro ia continuar a falar, mas foi interrompido pelo comunicador.

{Ponte para o Capitão}1

- Spencer na escuta.

{A Base 753 informa que os novos tripulantes estão somente aguardando permissão para vir a bordo.}

- Permissão concedida, Tenente Adachi. Informe a sala de transporte.

{Sim, senhor.}

- Bom, Conselheiro, parece que os demais eu terei que conhecer pessoalmente. Acompanha-me até a sala de transporte para recepcionar os recém-chegados?

- Claro, Capitão.

Spencer ia saindo quando parou de repente.

- Não sei, senhor Chaz, mas não seria adequado que a Tenente Adachi nos acompanhasse? Afinal, é a assistente dela.

Chaz acenou com a cabeça, concordando com seu Capitão, que bateu de leve no seu comunicador.

- Spencer para Adachi.

{Pois não, senhor.}

- Poderia nos acompanhar até a sala de transporte? Gostaria que recepcionasse a sua nova assistente.

{Claro, senhor, irei para lá.}

- Spencer desliga.

Virou-se para Chaz e os dois saíram juntos da sala e se dirigiram ao turbolift mais próximo.

T'mir segurava sua mala com as duas mãos. Estava meio perdida na imensidão da Base Estelar, e procurava encontrar de qualquer maneira a sala de transporte. Um rapaz com uniforme de segurança lia um panfleto parado no meio do corredor. Ela respirou fundo e se dirigiu a ele.

- Com licença, você saberia dizer onde fica a sala de transporte 16E?

O rapaz levantou os olhos do papel e olhou para ela. Ficou meio espantado, o que para T'mir estava se tornando perfeitamente normal, com suas feições vulcanas ao mesmo tempo em que não via as típicas orelhas pontudas. Mas respondeu prontamente.

- Sei sim, e estou indo para lá. Vou embarcar na USS Endeavour, e você?

- Eu também! - ela apoiou a mala no chão e com um sorriso estendeu a mão - Alferes T'mir, futura Oficial de Operações Assistente da Endeavour.

Ele sorriu de volta, enquanto apertava a mão dela.

- Prazer, Alferes. Eu sou o Tenente Aaron Heavyside. Oficial de Segurança Chefe. Bom, vamos logo, que temos pouco tempo para nos apresentarmos na nave. Se você me permite... - o jovem se abaixou e pegou a mala dela, apesar dos protestos da meio-vulcana. - Ora, não é nada, está leve. Vamos, que estamos perdendo tempo.

Foram conversando até a sala de transporte 16E, falando sobre notas e a Academia, descobrindo até mesmo uma instrutora em comum.

A sala estava vazia. O jovem Alferes, que estava de serviço, pediu a eles que esperassem mais alguns instantes, pois estavam adiantados. Sem se importar com a espera, T'mir e Heavyside continuaram a conversar, até que uns cinco minutos depois, uma voz firme e cheia interrompeu, vinda da porta.

- Aqui é a sala de transporte 16E?

O alferes confirmou e fez o mesmo pedido que fizera aos dois Alferes. O recém-chegado assentiu com a cabeça, e se recostou na parede oposta à em que os outros dois oficiais estavam. T'mir olhou discretamente para o recém chegado. Um pouco mais baixo e forte do que Heavyside, pareceria com um humano, não fosse seus olhos. Eram totalmente brancos, sem pupilas e com uma estranha tatuagem sobre o olho direito. Ele olhou na direção dela, e T'mir desviou o olhar. Quem seria?

Quando faltavam três minutos para o horário combinado, a última nova tripulante chegou. Era uma humana alta, que tinha algo de muito familiar para T'mir. Apesar de nunca ter a visto antes, ela lhe parecia conhecida. Demorou alguns instantes para perceber o que era: a jovem andava igual aos vulcanos. Mesmo porte, mesmo espaçamento entre passos. "Interessante..."

Como todos já se encontravam ali, o oficial se comunicou com a Endeavour e conseguiu autorização para que eles fossem logo transportados. T'mir, junto com os outros, se colocou corretamente sobre os discos de transporte e não pode evitar certo frio na barriga, quando o mundo ao seu redor desaparecia na explosão de luz do raio de teletransporte.

Bannik de Tyrria desconhecia o significado da palavra medo. Mas nunca na vida estivera tão nervoso quanto nesse momento. Ser o assistente de segurança de uma nave era muita responsabilidade, ainda mais de uma nave como a Endeavour. Ele sabia que poderia agüentar, mas mesmo assim sentia um frio na barriga.

Quando se materializou na USS Endeavour, três oficiais o esperavam e aos outros recém chegados. O Capitão, de quem Bannik recordava ter visto a foto nos arquivos da Frota, deu um passo a frente e os cumprimentou.

- Bem-vindos a USS Endeavour. Eu sou o Capitão Spencer, e estes, - disse, fazendo um gesto com a mão para indicar os outros dois oficiais - são a Oficial Chefe de Operações, Tenente Tami Adachi, e o nosso Conselheiro, Tenente Chaz Hanges.

Bannik retribuiu os cumprimentos com um aceno de cabeça. Tentava esconder seu nervosismo falando o menos possível.

- É uma honra poder servir na USS Endeavour, senhor. Espero cumprir bem meu trabalho.

- Fico grato em ouvir isso, Alferes Bannik. Tenho a mesma esperança em todos vocês. O Tenente Heavyside, - o capitão se vira para o outro homem que foi trazido a bordo - será seu chefe.

Bannik virou-se para trás para cumprimentar seu superior. Foi aí que reparou nos outros que vieram a bordo com ele. O Tenente Heavyside era um humano de estatura média, mas corpulento. O cumprimentou de volta com um ligeiro aceno de cabeça.

Os outros eram, na verdade, as outras. Uma estava com o uniforme da área de ciências e olhava tudo com o ar de enfado e desinteresse que Bannik achava tão típico dos vulcanos, apesar dela ser humana. Olhou na direção dele, e a única reação que ela esboçou foi levantar uma sobrancelha. A outra usava um uniforme de operações e provavelmente deveria ser a nova assistente da tenente Adachi. Seus traços eram definitivamente vulcanos, mas não tinha as orelhas pontudas tão características. Bannik reparou que seus olhos estavam arregalados, e se mexiam como se ela quisesse ver tudo ao mesmo tempo. Foi nesse instante que os olhares se encontraram, e Bannik soube imediatamente o que ela era: uma meio-vulcana. Nenhum vulcano poderia - ou se permitiria ter - o olhar tão transparente, tão legível, não pelo que ele sabia. Quando a jovem percebeu que ele a olhava, mudou rapidamente a direção que ela própria fitava, ficando um pouco ruborizada.

Bannik se virou novamente para seu superior.

- Será um prazer servir ao seu lado, Tenente.

- Obrigado, Bannik. Será um prazer para mim também. Capitão, permissão para ir até a sala da segurança.

Spencer acenou com a cabeça.

- Claro, senhor Heavyside. O senhor está liberado. Alferes Bannik, acompanhe-o.

O jovem Tenente deu uma piscada para a meio-vulcana e acenou, saindo da sala de transporte, sendo seguido por Bannik prontamente. "Bom, vamos ver o que eu posso fazer consigo, senhor Heavyside."

O Capitão voltou a sua sala, enquanto Tami levava T'mir e Wills para uma volta pela nave. Preferia voltar logo para seu posto, mas o Capitão, em sua maneira sutil, a convencera. A meio-vulcana, que seria sua nova assistente, olhava tudo e todos com uma expressão de interesse que agradou Tami. "Uma assistente interessada era o melhor que podia me acontecer.", pensou enquanto mostrava a área de engenharia para as recém-chegadas.

Já a nova oficial de ciências parecia estar familiarizada com a nave, não fazendo perguntas nem comentários. Olhou para os tubos Jeffries com desinteresse, como se aquilo não fosse absolutamente nada de novo. Tami se sentiu um pouco irritada, afinal quem estava perdendo tempo mostrando a nave era ela, que deveria estar na ponte, fazendo os últimos acertos para a iminente partida da nave.

Quando se aproximaram do reator, um vulcano alto e magro se aproximou delas. Era o engenheiro chefe Salek, que se aproximou das três fazendo a típica saudação vulcana.

- Tenente Adachi, a que devo essa visita?

Tami pensou antes de responder. Tinha por norma sempre refletir antes de responder, e refletir duas vezes antes de responder um vulcano. Ela nunca saberia dizer se o engenheiro estava sendo simpático ou irônico, ou simplesmente vulcano; e tinha certeza de que ele sabia exatamente como ela se sentia.

- O Capitão me pediu para mostrar a nave a nossas duas novas tripulantes. T'mir, que vai ser minha nova oficial assistente, e...

Antes que Tami pudesse terminar de falar, a nova oficial de ciências deu um passo a frente e fez a saudação vulcana.

- Vida longa e próspera, senhor Salek. Sou a Tenente Júnior Wills, e vou ser a nova oficial de ciências da nave. Li alguns de seus relatórios na Academia, e os achei deveras impressionantes.

O engenheiro ergueu uma sobrancelha e olhou para a humana. Ele tinha a expressão típica de um vulcano que controlava suas emoções. Quando ele falou, Tami poderia jurar que era com uma ponta de ironia.

- Realmente? Não me parece muito lógico, já que meus relatórios são extremamente voltados para a área de engenharia.

A nova oficial de ciências não respondeu, tentando se recompor. Tami pode ver sua assistente escondendo um sorriso, enquanto Salek se virava para ela.

- Tenente Adachi, eu posso ser o guia a partir de agora. Meus afazeres na engenharia estão adiantados, e não me atrapalharia em nada. E como devem estar atarefados na ponte, seria melhor para a senhorita.

Tami agradeceu ao vulcano que respondeu com a mesma frase que todos os vulcanos usam quando alguém agradece uma ato de gentileza: "Não se agradece lógica." Sem ligar muito, se dirigiu ao turbolift mais próximo, revisando mentalmente todos os seus afazeres.

As ordens já tinham chegado, e para a surpresa de Spencer eram bem simples. Patrulhar o setor da estrela Janus, onde se situava uma extensa colônia de mineração de pergium, já que havia relatos de naves ferengi rondando aquele setor.

Prometiam serem quatro meses tranqüilos, e, ao fim destes, outra nave viria rendê-los e voltariam a Base 753 para reabastecer a nave. Falou com seu primeiro oficial sobre suas expectativas de calmaria.

T'Gar deu um meio sorriso, sem mostrar nenhum de seus dentes.

- Será, Capitão? Afinal, estamos falando de ferengi. Eles podem tentar algo.

- Não, T'Gar... não creio que iremos ter problemas. Janus é um sistema distante, e somente naves comerciais ferengi de baixo poder de fogo foram detectadas. Iremos simplesmente marcar território.

Se levantou de sua mesa e foi até a escotilha. Podia ver a Base Estelar, com seu movimento de cargueiros e naves de carreira. Pensou que mesmo que fosse apenas para ficar rodando de um lado para outro em um sistema distante, era preferível estar dentro de uma nave do que servir em um lugar como a Base. Como qualquer Base.

- Bom, senhor T'Gar, vamos até a ponte. Vamos levar a Endeavour para Janus.

Andaram pelos corredores vazios. A tripulação já estava de prontidão, todos em seus postos, simplesmente esperando a ordem. Ao chegar na ponte, viu com satisfação que todos os oficiais lá estavam, com a exceção do doutor Zamblivinsk, que não era necessário. Por precaução, Spencer resolveu se comunicar com ele.

- Spencer para Enfermaria.

{Zamblivinsk na escuta, senhor.}

- A enfermaria está devidamente abastecida?

{Sim, senhor. Só falta o conhaque altariano que encomendei, mas parece que ainda vai demorar uns dias.}

- Terá que ficar para uma próxima, Doutor.

{É a vida, Capitão, o que se vai fazer? Zamblivinsk desliga.}

Spencer dirigiu-se para cadeira de comando sorrindo. Realmente prometiam serem os meses mais tranqüilos desde que fora comissionado para a Endeavour.

- Tenente Adachi, abra um canal de comunicação com a Capitã Glamis.

- Sim, senhor. Canal aberto, pronto para comunicação.

- Na tela.

Na tela principal da ponte de comando da nave surgiu a imagem de uma mulher de pele clara e olhos castanhos. Tinha um rosto firme e sereno, e sorria.

- Olá, Comandante, soube que vai nos deixar por uma importante missão de patrulhamento.

Spencer deixou transparecer um leve sorriso.

- Ordens são ordens. E além do mais, umas férias dentro da nave não caem tão mal. Sempre temos os holodecks.

O sorriso da capitã se abriu mais um pouco.

- Divirta-se, então, Theodore. Glamis desliga.

A tela passou a mostrar novamente o exterior da Base Estelar 753. Spencer suspirou e disse para a Oficial de Operações.

- Tenente, nos leve para Janus, dobra 4.

- Sim ,senhor.

Em três minutos, a nave estava entrando em dobra, se dirigindo para o sistema Janus.