MY HOT MAMA

Disclaimer: A fanfic pertence a addicted-to-romione-bedward que me autorizou a tradução. Twilight e seus personagens pertencem a Stephenie Meyer.

Sinopse:Carlisle morreu. O que Bella pode fazer com um adolescente desobediente como Edward? O que acontece quando Edward sente algo por sua madrasta? Só o tempo pode dizer se há uma chance para seu relacionamento e se seria aceito socialmente.


Capítulo 25

Bella PDV

Desde quando Jasper trouxe Alice ao meu escritório, parecendo que havia sido atropelada por um trem, eu sabia que tudo iria mudar.

Eu insisti que Jasper fosse a pessoa que cuidasse de seus machucados, não querendo que todos pudessem ver ou ouvir sobre isso. Estava claro que ela sofreu abuso doméstico.

James – aquele filho da puta!

Em casa, quando contou sua história a Edward... foi horrível. Principalmente quando ela disse o que ele fez com ela todos esses anos.

Em seguida, a cereja no topo do bolo foi Alice insinuando algo que quase me destruiu da última vez que isso aconteceu. Agora, isso não é verdade. Eu sei.

Ela está imaginando coisas.

Eu não estou grávida.

Eu não posso estar.

Na última vez...

Tremo e me recuso a lembrar pelo que eu já passei. Ninguém além de Carlisle e Kate, a ginecologista, sabiam disso.

Edward me traz de volta ao presente, perguntando o que está acontecendo.

Eu lanço um olhar de aviso para Alice então olho para ele. "Ela é louca," digo a ele. "Talvez você deva ir descansar. Você está cansada, Alice. Você está grávida," eu sibilo a última palavra.

Nós dizemos boa noite e eu levo Edward para o nosso quarto.

Ele é implacável, me irritando com o que Alice quis dizer com a coisa do "quanto tempo."

Finalmente, cansada disso, digo a ele.

"Ela acha que eu estou grávida."

Seus olhos verdes ficam tão arregalados que quase lembram duas bolas de tênis. E sua boca fica aberta, provavelmente, tentando imitar o Peixe.

"Eu não posso estar," eu acrescento, na esperança de que ele ainda esteja me ouvindo. "Me disseram há muito tempo que eu não posso engravidar. Apesar de..." Eu paro, encontrando seus olhos. "De qualquer forma, eu sei que eu não estou."

Edward fecha a boca e engole audivelmente, depois abre de novo, não fazendo um som. "Você tem certeza? Você tem estado muito estranha ultimamente."

"Quer que eu faça um teste para provar para você e Alice que eu não estou? Eu aposto que foi uma coisinha de nada... horrível," eu estou falando comigo mesma.

"Whoa! Do que você está falando?" Edward grita, saindo da cama.

Eu aceno minha mão com desdém. "Esqueça isso. Vamos deitar. Tem sido um longo dia."

No dia seguinte, a primeira coisa que eu faço quando eu começo a trabalhar é visitar Kate.

Certo, a segunda coisa, porque a primeira é deixar Alice em meu escritório.

O dia inteiro eu fico ansiosa e nervosa. Eu mal consigo falar com Alice ou Jasper ou qualquer pessoa que venha em meu escritório. Eu sei que minha amiga tem algo como um sexto sentido, mas eu espero que ela esteja errada.

Quando Kate vem a mim com os resultados, acho que meu mundo cai ao meu redor.

É verdade.

Ela me leva para mais exames, mas estou flutuando, não muito consciente dos meus arredores.

Tudo o que consigo pensar é no que ela me disse da última vez. Talvez desta vez seja melhor... Embora com qualquer coisa que ela me disser, me sentirei culpada por destruir a vida de Edward.

Ele tem apenas 17 anos – ainda faltam 2 meses para seu aniversário de 18 e a formatura.

Estou segurando as lágrimas enquanto Kate faz vários testes. Aparentemente eu estou grávida de dois meses.

Isso aconteceu no Dia dos Namorados, quando aceitei estupidamente fazer sem camisinha.

"Sra. Cullen," Kate sussurra recebendo minha atenção. "Receio que eu tenha más notícias... de novo."

Não.

Me lembro nitidamente quando ela me contou usando a tecnologia para nos mostrar como o bebê se desenvolvia e Carl estava todo empolgado. Ela viu alguns problemas com o bebê como uma doença rara - não me lembro do que ela chamou. Mas depois de um pouco de pesquisa, ela nos disse que o aborto era melhor porque o bebê só sofreria e não viveria muito.

Foi durante as férias de verão, quando isso aconteceu – quando aquela coisa horrível aconteceu com a gente. Eu estava sob um monte de estresse após a notícia, e estava constantemente preocupada, embora eu não devesse ter ficado. Mas, falando sério, quem não ficaria estressada depois de descobrir que o seu filho está condenado desde o início?

Edward estava fora com Emmett e sua família.

Fomos para a casa de Kitty após o aborto; Carlisle queria tirar a minha mente disso. Eu não me lembro muito dessa época – eu era um zumbi ambulante.

Ele estava perto de mim o tempo todo, me ajudando a superar os momentos difíceis.

Nós decidimos nunca contar a Edward sobre isso.

E agora... eu tenho que envolvê-lo nesta loucura.

"O que é?" Sussurro para Kate.

"Você está com apenas dois meses, mas, pelo que posso ver, alguma coisa está errada. Eu não posso dizer ainda. Parece que a posição do seu útero e o tamanho pode afetar a gravidez também. Você deseja continuar com isso?"

Eu?

Eu tenho 30 anos.

Meu relógio biológico está batendo o tique taque. Alto.

A pergunta é – eu posso fazer isso com Edward?

Posso passar por isso de novo... se eu tiver que matar uma vida inocente? Eu sempre me senti culpada pela maneira como a minha última gravidez terminou.

"Bella?" Kate sussurrou, chegando perto de mim. "Eu digo para esperar mais um mês. Então nós vemos o que está acontecendo."

Eu concordo.

Em casa, deixei Alice preparar o jantar quando ela insiste.

Acho Edward em seu quarto, fazendo dever de casa.

Como posso dizer a ele?

Eu vou destruir sua vida.

Eu fico lá parada na porta o observando enquanto ele está escrevendo furiosamente no notebook, até que um soluço que mantive preso na garganta explode fazendo com que ele se vire para mim.

"Bella!" Ele sorri. "Oi."

Eu me aproximo dele e inclino sobre as suas costas, passando os braços ao redor de seus ombros. "Eu te amo," eu sussurro, beijando seu pescoço.

"Eu também te amo." Ele vira a cabeça para olhar para mim. "Então... você sabe se... você sabe?"

"Sim."

"E?"

"Sim," eu repito, olhando-o nos olhos.

"Ah. Você... está... você sabe... mas..." Ele vai entrar em pânico, eu posso ver.

"Eu sinto muito por destruir sua vida. Eu nunca deveria ter permitido que você estivesse dentro de mim sem camisinha."

"Não!" Ele se levanta e me abraça. "Eu não estou deixando você. E você não destruiu a minha vida."

"Sério?" Pergunto sarcasticamente. "Você se vê como um pai antes mesmo de concluir o ensino médio?"

Suas orelhas ficaram vermelhas. "Eu vou terminar em alguns meses. Então vou conseguir um emprego."

Suas palavras fazem meu coração inchar com todo o amor que eu tenho por ele.

"Mas você não quer? Você não parece feliz."

Perspicaz como sempre.

"Eu nunca pensei que fosse possível. Ainda estou em choque," eu minto. "Você está com fome? Vamos ver o que Alice cozinhou."

No caminho para a cozinha, Edward segura a minha mão. "Eu nunca pensei nisso, mas graças a Deus que você nunca teve um filho com o meu pai. Teria sido super estranho."

Suas palavras fazem meus passos vacilarem. "Sim," murmuro.

Enquanto comemos, eu organizo meus pensamentos. Precisamos aquietar essa memória horrível da única outra vez que eu engravidei.

Alice come mais do que Edward, o que é engraçado. Ela está com seis meses e já está tão grande. Aposto que ela vai parecer uma bola quando atingir os 8-9 meses.

Depois do jantar, eu digo a ela para assistir TV ou fazer o que quiser. Eu preciso ficar sozinha com Edward. Ele ainda oferece para me ajudar a lavar os pratos.

"Eu preciso te dizer uma coisa," eu sussurro tão baixo que eu mal escuto. Tenho certeza que ele não me ouve por conta do barulho da torneira.

"O que foi?" Edward pergunta, olhando para mim.

Eu pulo em cima do balcão – o meu lugar favorito – pego o prato das suas mãos e a toalha para secar.

"Há algo que você não sabe. Nós não queríamos dizer-lhe porque... tinha acontecido antes que você voltasse de viagem," murmuro, polindo o prato até que esteja completamente limpo.

"Você e papai?" ele verifica, procurando meus olhos.

"Sim," eu murmuro, assentindo.

Deus, por que é tão difícil?

"Está tudo bem, Bella. Tenho certeza de que havia muita coisa apenas entre vocês dois. Isso é normal," ele diz em voz baixa, desligando a água.

"Esta não é a primeira vez que eu engravido," eu solto, olhando para o pano de prato em minhas mãos.

"Você disse o que?" exclama surpreendido.

Eu olho para ele através de alguns fios do meu cabelo que caiu sobre meus olhos. "Cerca de quatro anos atrás..." Eu engulo em seco. "Você estava com a família de Emmett na viagem ao Grand Canyon. Você se lembra?"

"É claro. Mas o que você está me dizendo?" Ele franze a testa, movendo o cabelo dos meus olhos. "Eu tenho... Jesus. Me diz isso é uma piada! Me diz que você não tem um filho com o meu pai!"

"Eu não tenho," eu soluço, cobrindo os olhos com as mãos. "Uma coisa terrível... aconteceu. Ele não seria normal... Eu levei... isso... tão..." Eu engulo. "Mal," gaguejo.

"Ah, porra!"

Então estou em seus braços e tudo parece melhor. Ele sabe como me consolar, mesmo sem palavras.

"E hoje, Kate, minha médica , ela... disse que pode haver problemas de novo," eu sussurro em seu peito. "Eu não acho que consigo passar por isso novamente."

"Shh. Vou com você em sua próxima consulta. Certo? Você não estará sozinha." Ele esfrega as minhas costas lentamente. "Uh, sobre a outra gravidez... Eu não me lembro de você estando... Na verdade, quando eu voltei, você estava um pouco mal, mas meu pai me disse que você ia ficar bem e que eu não devia me preocupar."

"Exatamente. Nós dois concordamos em nunca lhe contar. Descobri que estava grávida um dia antes de você sair... embora, eu suspeitava por algum tempo. Carl estava no trabalho quando eu fiz o teste, mas você estava em casa." Eu levanto minha cabeça para olhar para ele. "Você não tem ideia de como foi difícil para mim, não lhe dizer, mas eu queria que o seu pai fosse o primeiro a ficar sabendo."

"Oh, entendo. Quero dizer, eu me lembro do quão feliz você estava naquele dia." Edward ri. "E eu pensei que você estava feliz por me ter fora do caminho para... você sabe o que eu quero dizer."

Eu ri e seguro sua bochecha. "Ficamos felizes por cerca de quatro dias depois que você saiu, então a minha barriga doía tanto... que Carl chamou Kate no meio da noite. Fomos para a clínica e depois de alguns testes... ela viu algum tipo de problemas com o bebê. Eu não me lembro de que tipo de doença rara ela me disse que ele teria, mas ela disse que nós iríamos sofrer – todos nós, incluindo o bebê. Voltamos para casa e chorei a noite inteira porque eu sabia o que poderia acontecer." Eu respiro estremecendo. "No final da semana, Kate me deu a pior notícia: eu já tinha perdido o bebê. Eu não posso dizer a você como me sentia quando sai de seu consultório. Eu esperava policiais do lado de fora para me prender por matar uma vida inocente. Eu era responsável pela morte do meu bebê. Ele nunca teve uma chance e foi tudo por causa do meu corpo com defeito."

Edward seca minhas lágrimas e beija minha testa, um braço ainda em volta de mim.

"Nós fomos para a casa da Kitty na semana seguinte. Ela viu como eu estava infeliz e, ao contrário de todas as outras vezes, ela não fez nenhum comentário sarcástico. Eu tenho certeza que Carl lhe disse algo – não sei. Mas sua ideia para me distrair não funcionou. Adormeci chorando todas as noites durante meses a fio. Então, quando eu estava um pouco melhor, eu falei com Kate e ela me disse que era impossível eu ter filhos."

"Aparentemente, ela estava errada," comenta Edward.

"Ela me disse que na próxima vez vai ser capaz de me contar mais coisas. Parece que eu sou o problema – algo sobre a maneira como meu útero está posicionado e o tamanho dele que é pequeno demais para carregar um bebê. O risco de outro aborto, ainda é alto, e minha idade não está ajudando nisso."

"Oh." Edward faz questão de olhar nos meus olhos. "Se... se tem um risco... o que você vai fazer?"

Essa é a pergunta que não quer calar.

Eu gostaria de ir até o fim.

Mas e se algo acontecer comigo?

Eu não posso deixar um adolescente com um fardo – mesmo que ele diga que quer isso.

"Vamos orar, não haverá quaisquer complicações," digo finalmente, me inclinando para beijá-lo.


A Bella está grávida como todas suspeitaram, mas não é tão simples como parecia. Ela pode ter problemas com a gravidez e isso é triste :/ Só nos resta esperar para ver o que vai acontecer com ela e o bebê.

Obrigada pelas reviews s2 Volto domingo

Beijos

xx