CHOCOLATE BROWN AND LEATHER WHIPS

Disclaimer: A história pertence a Krazyk85, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.

Sinopse: O mulherengo, Edward Cullen, muda para sempre quando ele conhece Bella Swan. Quando ela o ignora incansavelmente, ele descobre uma maneira possível de conseguir sua atenção. Ele pode ser o sub que esta Dominadora vai querer manter? - EPDV


NOTA: Este é o lugar onde a história inicia a tortura e humilhação de BDSM e se você fica ofendido com tal assunto, eu aconselho você a desviar o olhar agora.


Capítulo 12 - Montando o Cavalo

(Traduzido por Carol Capelari)

"Porra", eu assobiei quando eu me reajustei, pela milionésima vez.

Fazia quase vinte minutos desde o teste que Bella me fez passar, e as consequências dessa pequena experiência ainda mantinham meu pau latejando. O caminho inteiro para a casa de Bella foi cansativo, e eu passei a maior parte do tempo esfregando minha mão para cima e para baixo na minha virilha, na esperança de criar alguma fricção para ajudar a aliviar a dor. Mas sem colocá-lo completamente para fora da minha calça e batendo uma para a satisfação plena, eu sabia que o alívio não viria tão facilmente.

O que eu deveria ter feito era ter transado com ela. O meu eu antigo, o Edward Cullen de três semanas atrás, teria fodido Bella duramente naquela mesa de madeira de cerejeira em seu escritório e saído sem olhar para trás. Teria sido o meu Modus Operandi clássico com o típico, zás, bam, e obrigado senhora que eu estava acostumado - mas eu não era mais aquele cara.

Os dias de gratificação rápida não existiam mais para mim. Na verdade, agora eu era o cara que recusou a mulher que ele queria ter relações sexuais porque preferiu compartilhar algo mais com ela.

O desejo de estar com a minha Senhora de toda forma possível era forte - mas o que me surpreendeu foi que a minha necessidade de ser chicoteado e degradado por ela foi ainda mais forte.

Eu não duvidava mais de mim mesmo ou da firme vontade de minhas decisões. Quando assinei o contrato, eu sabia o que estava fazendo. Eu estava ciente de que eu estava abrindo mão de: uma vez na vida uma oportunidade de dominar completamente a Bella e tomá-la como se eu tivesse tomando qualquer outra mulher. Essa era a fantasia de todo homem, mas o único problema foi à realização gritante de que eu era o único que queria ser dominado.

Foi o fogo incontrolável no meu interior que recriou o prazer que ela provocou em mim... Porra, isso era tudo o que eu podia pensar enquanto eu preenchia o check-list de meus limites difíceis e fáceis.

Merda, eu mal podia esperar para começar...

Mesmo antes de eu ter assinado o contrato, declarando que eu era dela, eu já havia me submetido para Bella. Desde o momento que olhei para ela naquele café, eu soube que a minha vida nunca mais seria a mesma.

Isso devia ter sido óbvio desde o início, considerando a forma como ela me desafiou.

O fato da questão era que eu nunca tive que trabalhar duro para qualquer coisa em toda a minha vida. Desde o nascimento, eu havia ganho tudo nas mãos, tudo sem ter que pedir, e para ser honesto, esse luxo se prolongou aos meus anos adultos. A maneira que eu agi através da minha vida sem qualquer maldita ambição.

Quer dizer, eu estava finalmente seguindo o conselho de Jasper sobre tomar alguma iniciativa.

Mesmo quando Jasper me deu aquelas palavras de incentivo no café, eu sabia que ele estava falando sobre a faculdade e minha carreira em Phoenix, mas eu estava carregando aquele pequeno grão de sabedoria sobre a minha vida como um Sub.

Não importa o que vai acontecer agora ou o que eu terei que fazer, eu só sabia que não havia nenhuma maneira no inferno que eu iria abrir mão da oportunidade de experimentar algo mais com Bella.

A maneira que eu me senti quando as tiras de couro frio penetraram minha pele sensível, ou quão erótico foi o som de sua voz de comando, agrediram minha psique com pensamentos abundantes de desejo de dominação total e absoluto.

As coisas que ela fez com o meu corpo para torná-lo ardente sobre seu toque brutal foi viciante, e eu me vi querendo mostrar a ela minha gratidão me submetendo totalmente a ela.

Enquanto eu dirigia para a minha nova casa, o pensamento da ferroada na minha pele estava fazendo meu pau ficar dez vezes mais duro - o que fodidamente era uma merda porque eu não tinha nenhuma maneira de aliviar a tensão.

A parte mais erótica de toda esta situação era que Bella sabia exatamente o que estava fazendo comigo. Houve algumas vezes de volta ao calabouço quando ela olhava para minha virilha, via a protuberância entre as minhas pernas, e sorria maliciosamente para mim porque ela sabia tão bem como eu sabia... Que minhas bolas estavam sem dúvida, azuis.

Porra, elas ainda estavam doendo intensamente no momento em que parei atrás do Audi S5 coupe branco da Bella quando ela entrou em sua garagem. Eu a vi de perto e atentamente quando ela estendeu suas longas pernas para fora do carro, estabelecendo seus stilettos no chão. Ela era uma visão de puro sexo enquanto ela saía de seu carro, esticando os braços sobre a cabeça, e expondo um pedaço de seu estômago tonificado no sol da tarde.

Eu estava completamente fascinado por ela quando ela fechou a porta de seu carro imaculado, alisando a saia lápis preta para baixo com as mãos enquanto ela fazia seu caminho até mim. Assim que ela se aproximou da minha janela aberta, eu vi o brilho de satisfação nos olhos dela quando ela concentrou o seu olhar na minha mão enquanto ela se contraía para esfregar meu pau latejante.

Eu estava sofrendo, mas o pulsar já não era relevante... Valia muito a pena.

"Como foi a sua direção, Edward?" Bella perguntou maliciosamente.

O tom de brincadeira em sua voz era óbvio... Ela estava brincando comigo. Dirigir até a casa dela foi desconfortável para dizer o mínimo, mas eu não ia admitir isso facilmente a ela. Então, eu desviei da brincadeira rindo baixinho. "Foi... Interessante."

"Você se tocou?" Bella perguntou-me severamente, todo o humor tinha ido agora.

Antes de sairmos da masmorra, ela me disse que eu não estava autorizado a me dar qualquer alívio, e que eu tinha que aprender a aceitar a dor que uma ereção causaria. Isso era mais um teste, mas eu tinha falhado miseravelmente neste. Minha reação inicial foi de tentar enganar. O que eu queria dizer a ela era o quão bom eu tinha sido, mas quando ela olhou para mim conscientemente, eu percebi que eu já tinha sido pego. Qualquer mentira a esta altura teria sido inútil, e eu poderia muito bem tirar o meu pênis para fora e acariciá-lo incansavelmente na frente dela... O resultado final teria sido o mesmo.

"Sim, eu me toquei, Senhora", eu respondi vergonhosamente.

"Saia", ela ordenou.

Desafivelando meu cinto de segurança, eu abri a porta e saí do meu carro. Mesmo enquanto eu estava ali, pairando sobre sua pequena estrutura como um carvalho alto, ela manteve seu firme e inabalável olhar em mim. Foi intenso, e eu me encontrei contorcendo-me sob seu escrutínio severo. A especulação do que ela ia fazer a seguir estava me deixando ansioso, e quando ela se abaixou para colocar a mão sobre meu pau, eu estremeci.

"Como você se tocou, Edward? Foi assim?" Bella perguntou quando ela esfregou a palma da mão sobre a minha virilha suavemente, e eu assenti. "Sério?" ela perguntou, surpresa.

"Sim", eu respondi com a voz rouca.

Ela tinha minhas costas pressionadas contra o meu carro quando ela se inclinou na minha direção, apalpando meu pau enquanto carros nos passavam em rápida sucessão. Nunca tirando os olhos de cima dela, eu vi o brilho inconfundível em suas piscinas marrons e o sorriso em seus lábios cheios vermelhos, enquanto eu sentia o seu toque além de requintado.

"Isso é tudo o que você fez? Você não se tocou assim?" Ela questionou desconfiada quando ela adicionou mais pressão no meu pau, esfregando a palma da mão mais forte, criando um atrito insuportável.

A sensação de sua mão, embora muito mais suave do que a minha tinha sido, era dez vezes melhor, e eu lutei contra a vontade de deixar meus olhos rolarem para trás na minha cabeça. Apesar de me tocar, minha força de vontade foi excepcional nas últimas horas, mas eu podia sentir meu controle lentamente diminuindo. Se ela continuasse a massagear meu pau, eu não sei se eu poderia me conter...

"Não, senhora", eu grunhi em resposta.

Rápido demais, ela tirou a mão do meu membro dolorido, deixando-me em agonia total.

Eu gemi com a perda do contato.

Ela estava claramente desfrutando o efeito que tinha sobre mim, de maneira que ela sabia que estava me torturando.

Fodida atrevida!

"Agora", ela continuou antes que eu tivesse a chance de responder. "Junte suas coisas. Quero lhe mostrar todo o lugar que você vai chamar de casa por enquanto."

"Sim, Senhora", eu respondi quando eu abri o meu porta-malas e dei a volta para pegar minha mochila.

Bella esperou pacientemente por mim, mas eu sabia que eu estava protelando. O cerne da questão era que eu estava prestes a perder a cabeça. Mesmo que eu quisesse estar aqui mais do que qualquer coisa, eu simplesmente não conseguia afastar a sensação de medo.

Ela ainda era um grande e fodido ponto de interrogação de merda para mim.

Mesmo que ela não soubesse muito sobre mim, isso era definitivamente mais do que eu sabia sobre ela. Comparando a quantidade de coisas que ela conhecia, a fazia praticamente uma especialista sobre mim. Além de ser familiarizada com a minha família, ela sabia todas as minhas informações do contrato invasivo que eu assinei.

Eu nem sequer sei quantos anos ela tem...

Enquanto eu a seguia até a escadaria da sua casa geminada enorme, eu fui forçado a fazer as minhas próprias suposições sobre ela. Olhando o lado de fora, parecia que Bella era bem afortunada. O Audi branco que ela dirigia sozinha me deu a dica de que ela tinha dinheiro, mas a casa que ela possuía na parte nobre de Wicker Park foi a cereja no topo do bolo de um milhão de dólares.

"Posso lhe fazer uma pergunta, Senhora?" Eu perguntei timidamente.

Esse era um risco que eu estava tomando, abordando-a primeiro. Os o que fazer e não fazer de uma Dom e seu sub ainda não estavam claros para mim, e neste momento eu estava apenas nadando na superfície... Na esperança de não me afogar.

"É claro", respondeu ela enquanto eu observava sua bunda balançar provocante na minha frente.

Engolindo meu nervosismo, eu limpei minha garganta. "Quantos anos você tem?

Bella parou e se virou para olhar para mim com uma sobrancelha levantada. Eu imediatamente entrei em pânico.

Ah merda...

Ela riu. "De todas as perguntas do mundo que você poderia me fazer, é isso o que você quer saber?

De repente, fui jogado para fora do curso com a possibilidade de ser capaz de perguntar-lhe qualquer coisa que eu quisesse. As coisas que eu queria saber sobre minha Senhora estavam se formulando de uma só vez, e foi se tornando difícil para mim me concentrar em apenas uma coisa. Meus pensamentos estavam um caos total, e enquanto eu tentava me focar, eu sabia que estava ficando sem tempo.

Bella olhou para mim com diversão, mas em quanto tempo tal bom humor passaria?

Então, eu me estabeleci na minha pergunta inicial e assenti. "Sim, Senhora", eu finalmente respondi quando eu a olhei em seus olhos. "Se não tiver problema?

"Está tudo bem, Edward. Apenas me surpreendeu, isso é tudo", respondeu ela, sorrindo lindamente. "Eu tenho vinte e cinco anos."

Agora que eu sabia que idade ela tinha, eu meio que me arrependi da minha escolha. Essa foi realmente uma fodida questão de merda, especialmente porque eu poderia ter lhe perguntado qualquer coisa. Quando ela se afastou de mim, sem dizer uma palavra, eu sabia que a minha janela de oportunidade divina havia passado.

Eu nunca teria um momento como esse novamente.

Merda! Droga! Filho da...

Toda vez que eu estava em torno de Bella, eu virava este balbuciante e fodido idiota. Era como se meu cérebro e a minha boca não estivessem mais conectados, e eu acabava dizendo coisas estúpidas. Houve momentos muito breves onde eu exibia confiança na sua frente, e em um dia bom, alguma arrogância... Mas, na maioria das vezes, ela tinha uma cadelinha que estava cagando de medo de falar com ela.

Não era de se admirar que ela não havia se interessado em estar comigo romanticamente antes de eu fodidamente tê-la chantageado.

Eu era um enorme e fodido, covarde, e ela precisava de um maldito homem...

Foda-se!

Eu iria fazer isso. Não importavam quais seriam as conseqüências, eu ia correr o risco e lhe fazer outra fodida pergunta.

Quer dizer, eu tinha que mostrar a ela de alguma maneira que eu era homem o suficiente para estar com ela...

"Bella", eu comecei a dizer assim que chegamos ao topo da escada. Quando ela se virou para olhar para mim, eu peguei um breve vislumbre de um vulto escuro na varanda, me parando de imediato.

"Sim," Bella respondeu, levantando a sobrancelha para mim interrogativamente.

Olhando para longe dela, eu estreitei os olhos sobre a figura misteriosa que estava encostada contra a porta de Bella tão casualmente. Ele tinha a cabeça abaixada e os braços cruzados sobre o peito. Da minha perspectiva, parecia que ele estava dormindo.

Eu balancei a cabeça em direção ao cara que estava acampado em frente à sua porta. Bella olhou para mim com uma expressão confusa quando ela lentamente virou a cabeça para seguir o meu olhar. Eu a observei de perto quando sua forma esguia endureceu um pouco antes dela o ver e rapidamente voltar para uma postura relaxada.

Ela estendeu a mão e agarrou a minha, parecendo como uma menina de treze anos, meu coração começou a bater com força contra meu peito ao sentir sua mão na minha. Realmente foi tão estúpido responder daquele jeito porque tudo o que ela fez foi se aproximar e agarrar a minha mão. Isso foi simples, puro, e a única razão para ela ter feito isso foi para que ela pudesse me arrastar em direção à porta, mas isso ainda fez meu pulso ficar acelerado.

Isso realmente me irritou, quão fodidamente caidinho e sentimental eu havia me tornado em tal curto espaço de tempo. Eu não era romântico e nem o cara que andava de mãos dadas, eu não era um maricas de merda. Tornou-se óbvio para mim que eu queria muito fodidamente estar com ela. Era patético que eu estivesse fazendo um grande negócio sobre sua mão agarrando a minha enquanto isso não significava nada para ela.

Jesus, acorde Cullen... São só mãos dadas!

Enquanto o meu idiota interior reclamava sobre o meu momento 'Querido Diário', eu sabia que havia algo mais importante que eu tinha que descobrir primeiro.

Como, quem diabos era esse cara e que porra ele estava fazendo lá?

Bella atingiu o último degrau, seus saltos estalando alto no alpendre de madeira, alertando-o sobre a nossa aproximação, e fazendo com que sua cabeça levantasse.

Agora que ele estava alerta e consciente de nossa presença, ele se afastou da porta de Bella, ficando de pé tão alto quanto ele pode antes de dar um passo largo em nossa direção. Ele parecia ter a minha idade e altura, mas era bastante magro para sua estatura. Seu cabelo não era uma cor distinta, porque ele tinha cortado curto em um corte militar que fazia parecer muito jovem.

Ele sorriu gentilmente para Bella, o reconhecimento em sua expressão foi instantânea. Todo o seu rosto se iluminou quando ele a viu, e foi fodidamente claro para mim que esse cara era alguém que ela conhecia... Talvez intimamente.

O maldito pensamento me doeu, e eu podia sentir meu pulso começando a acelerar em resposta. A única coisa que me estabilizava era a sensação da mão da Bella na minha, e foda-me se isso não soou como uma garota.

Essa era verdade maldita!

"Oi", ele cumprimentou hesitante.

Bella não disse uma palavra a ele enquanto ela olhava para mim de forma preventiva. Antes que eu pudesse decifrar totalmente o raciocínio por trás sua expressão, ele se foi.

O que diabos foi aquilo?

Isso foi uma coisa muito estranha, porque por um breve segundo, eu pude jurar que vi preocupação exibida em suas feições suaves. Era quase como se o homem que estava diante de nós fosse um perigo para ela ou para nós ou porra!

Bella apertou a minha mão mais forte quando ela passou por ele, fazendo seu caminho até a porta. Ele parecia realmente chocado pelo seu comportamento frio, e foi quando a porra pegou fogo.

"Eu disse 'Oi', Bella. Você está fodidamente surda?" Ele cuspiu.

"Ei", eu interrompi quando eu parei bem na frente dele.

Ele olhou para mim com olhos injetados e enlouquecidos, e eu pude ver claramente que o idiota estava bêbado. Ele fodidamente cheirava a álcool, mas eu não dava a mínima por ele estar embriagado. A maneira como ele falou com ela foi imperdoável, e eu não estava prestes a ficar de braços cruzados.

Foda-se essa merda!

Ele olhou para mim enquanto Bella o tratava como se ele fodidamente não existisse. Ela calmamente tirou as chaves de sua bolsa para abrir a porta da frente, e inseriu a chave com facilidade. O idiota nunca deixou de nos olhar enquanto ele pairava sobre ela de uma forma agressiva. Ela não estava sequer preocupada com ele. Eu queria poder sentir a mesma tranquilidade, mas eu não poderia simplesmente ignorar a forma como ele falou com ela.

"Cara, eu acho que você deveria ir embora", eu disse com firmeza.

"Edward!" Bella estalou. Eu olhei para ela e a vi balançando a cabeça para mim em desaprovação.

"Quem diabos é esse imbecil?" Ele perguntou, irritado.

A atmosfera jovial que Bella e eu tínhamos estabelecido há menos de cinco minutos atrás havia ido embora, e tinha sido substituída por extrema tensão.

Enquanto minha mente tentava colocar as peças que faltavam juntas, tive a certeza de observá-lo buscando quaisquer movimentos bruscos ele fosse fazer para ela.

O alarme na minha cabeça que sentiu o perigo estava tocando bem alto para mim. Esse cara era altamente instável, e quem diabos sabia o que ele era capaz de fazer?

Os músculos do meu corpo estavam tensos enquanto eu me preparava para intervir a qualquer momento...

"Vá para casa, James," Bella respondeu, suspirando baixinho quando ela abriu a porta de sua casa.

Mesmo quando ela me puxou para a porta de entrada e longe do psicopata, eu não tirei os olhos dele, porque ele estava claramente bêbado, e era como uma bomba prestes a explodir.

O protecionismo feroz que eu sentia pela minha Senhora me fez agir precipitadamente, e não foi até que eu me coloquei entre ela e esse tal de James que eu percebi que fui longe demais. Mas enquanto eu estava ali na porta olhando em seus olhos, eu pude ver claro como o dia... Ele queria machucá-la.

De jeito nenhum que eu iria deixar isso acontecer.

"Você precisa fazer o que ela disse e ir para casa", eu disse entre dentes.

Ele olhou para mim com olhos curiosos, antes de olhar ao meu redor e para Bella. Ele riu. "Isso é algum tipo de piada? Você me substituiu por esse cara? Este fodido idiota é seu mais novo animal de estimação?"

"Desculpe... O quê dela?" Eu perguntei, confuso.

"James, vá para casa! Edward, entre!" Bella ordenou quando ela me agarrou pelo braço rudemente.

"Você é o fodido escravo dela, imbecil", disse ele, olhando para mim com ar satisfeito enquanto Bella me empurrava para dentro de sua casa. "E é melhor fazer o que ela diz. Você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que você não significa nada para ela, e ela vai se livrar de você como ela se livrou de mim", ele zombou.

Eu senti meu interior dar um nó enquanto eu deixava a raiva me lavar. Foi a pior sensação do mundo, saber que a mulher que eu estava disposto a submeter-me já havia se envolvido com outra pessoa. As esperanças de que eu tinha de que nossa relação iria se desenvolver em algo mais rapidamente foi à merda.

Parecia que Bella gostava de trocar seus submissos a torto e a direito.

Nada parecia fazer nenhum fodido sentido mais.

"Mova seu traseiro agora!" Bella gritou em voz alta, trazendo a minha atenção de volta para ela.

Olhando para baixo, vi que Bella estava de pé na minha frente com uma expressão furiosa em seu rosto lindo. Enquanto eu tentava colocar meus pensamentos caóticos juntos, eu senti sua forma petite me empurrando de volta. Ela era fodidamente forte, e eu senti meus pés se moverem para trás com seu esforço.

Dei uma olhada rápida no James, e vi que ele estava sorrindo para mim vitoriosamente.

Esse filho da puta acha que ganhou...

"Você tem alguma coisa para me dizer?" Eu perguntei, chateado.

"Sua Senhora é uma maldita vagabunda," ele zombou.

"O que você acabou de dizer, caralho?" Eu sibilei quando eu me empurrei contra a força de Bella, e comecei a avançar sobre o imbecil.

Ele sorriu tortuosamente. "Eu disse que a sua Senhora é uma vagabunda."

"Edward, eu disse para entrar na casa!" Bella ordenou.

Mas eu sequer a ouvir falar quando eu empurrei suas mãos do meu peito, e incitei-a suavemente para o lado. Tudo o que eu podia ver era vermelho, e eu queria a cabeça de James. O babaca iria morrer por ter chamado Bella de vagabunda. Além disso, minha mente estava fora de controle, enquanto eu repassava a forma como a sua voz soou quando ele a chamou de Senhora. As palavras eram como uma carícia simples quando rolaram de sua língua, e mesmo que eu não tivesse ideia de quem ele era, o fato de que ele se dirigiu a ela tão intimamente tinha me apertando meus punhos em uma fúria cega.

A súbita vontade de pulverizar o filho da puta era tudo o que eu podia pensar, independentemente se Bella estivesse gritando para eu parar.

Se o filho da puta sabia ou não, ela era a minha Senhora, e eu era o único que tinha permissão de chamá-la assim.

A possessividade e o sentimento de propriedade que eu sentia por Bella era forte, e mesmo que ela me levasse até a porta e fora de contato direto com este imbecil, eu ainda tinha o macho alfa dentro de mim, tomando conta do meu corpo, enquanto eu tomava uma rápida inversão de posição e avançava de forma agressiva em direção a ele.

Aquele filho da puta me olhou com uma expressão divertida quando eu avancei em direção a ele com força total. Eu afastei meu punho e o atirei para frente, conectando com rosto do filho da puta.

Tudo aconteceu tão rápido quanto a fúria cega tomou conta de mim. O intenso ódio que eu senti por esse cara que zombou de mim com seu desrespeito flagrante sobre Bella estava abrangendo todos os meus sentidos. Não senti nada quando eu o ataquei, nenhuma dor, nenhuma preocupação, nenhuma tristeza... Apenas ódio.

James caiu no chão, cobrindo o rosto, enquanto eu pairei sobre ele socando-o implacavelmente. Eu infligi golpe após golpe contra ele, consumido pela minha ira. Quando eu pensei que estava bom o suficiente e considerei soltá-lo, ele abriu sua fodida boca.

"Ela é uma maldita prostituta! Ela vai partir o seu traseiro em dois!" Ele cuspiu, empurrando-me para longe dele.

Dessa forma, a minha raiva acumulou dentro de mim quando eu o agarrei pelo colarinho de sua camisa, e dei outro soco em seu rosto presunçoso.

Tudo o que eu queria fazer era calá-lo, mas ele não queria fazer isso nem fodendo. Parecia que quanto mais eu batia, mais coisas degradantes ele dizia. Palavras como prostituta, vadia, vagabunda e escravo eram tudo o que saia de sua boca, e eu não conseguia parar de bater nele.

Não importava se eu havia quebrado minha mão no processo, eu sabia que o rosto dele ia sofrer o maior dano no final.

Em algum momento, eu permiti que Bella me puxasse para longe de James, me empurrando de volta para a casa. Ela fechou a porta com força atrás de mim, me deixando sozinho e ofegante no saguão vazio.

O que diabos tinha acabado de acontecer?

Meu punho estava sangrando e latejando com dor, e quando eu tentei abrir a mão para esticar meus dedos, uma queimadura lancinante disparou no meu braço. Minha mão não estava quebrada, mas ia me incomodar por algum tempo.

"Porra", eu assobiei baixinho.

Bem, isso era simplesmente perfeito pra caralho. Como diabos eu iria explicar isso para as pessoas? Era do conhecimento geral que eu estava de cabeça quente, mas eu nunca tinha ido tão longe antes. Nunca deixei um filho da puta, me irritar assim.

Merda! Bella!

A dor e auto-aversão haviam me distraído, e eu tinha esquecido completamente que Bella ainda estava lá fora com aquele idiota.

Enquanto eu ouvia atentamente, a comoção do lado de fora ainda estava em alta velocidade, eu mal podia ouvir a voz melódica de Bella gritando com ele. O homem das cavernas em mim queria ir lá fora para se certificar de que ela estava bem, e que James não estava a fodidamente machucando.

O espancamento que eu dei nele foi muito grave, e da forma como os meus dedos estavam todos sangrando, eu só podia esperar que o filho da puta estivesse nocauteado. Mas eu não podia ter certeza, e meus instintos de proteção pela segurança de Bella foram substituindo todos os meus outros sentidos.

O fato de que eu não podia ver ou ouvir o que estava acontecendo estava me deixando louco, e a curiosidade foi finalmente obtendo o melhor de mim.

Quando eu corri para a porta, a realização gritante do que eu tinha feito merda me ocorreu.

Minhas ações quando ataquei James foram claramente como a de um amante ciumento. Quer dizer, a merda que saiu de sua boca foi ofensiva, ele mereceu o que eu lhe dei. O cerne da questão é que eu desobedeci minha Senhora. A memória dela gritando ordens para eu entrar na casa e ignorar James me lembrou que eu a tinha ignorado totalmente enquanto eu partia para cima dele como um touro enfurecido.

Puta que pariu!

Eu fodi tudo. Minhas ações não foram de uma porra de um submisso. O contrato que assinei me disse quais eram os meus deveres, o qual a Bella fodidamente explicou para mim, e em nenhum lugar do contrato de merda dizia que eu tinha permissão para bater em seus ex-submissos. Na verdade, Bella me alertou sobre as consequências se eu a desobedecesse. A punição seria severa e o tempo na sala de jogos seria proibido... Eu precisava desse tempo na sala de jogos.

Esse era o lugar que eu sabia que eu tinha permissão para desfrutar das coisas que eu nunca admitiria em voz alta, e foi o único lugar que Bella verdadeiramente me notou. A sala de jogos significava mais para mim do que apenas sexo, porque eu percebi que era a minha única maneira de chegar mais perto dela.

Era a minha clara oportunidade de estar com ela de uma forma que nos permitia apenas ser nós mesmos.

O que diabos eu tinha feito?

Por que eu tenho que ser tão fodidamente impulsivo todo o tempo?

O pânico foi se infiltrando dentro de mim quando eu tropecei para trás da porta, olhando em volta freneticamente, esperando por uma maneira de me arrepender. Tinha de haver uma maneira de pedir desculpas por minhas ações para a minha Senhora. Minha mente tentava pensar de volta para hoje cedo, quando ela falou sobre as regras breves de sua casa e toda essa merda básica.

Deus, por que eu fodidamente não ouvi?

Tudo o que eu consegui me lembrar da discussão era que meu pau estava duro, e como eu tinha sido distraído por seus lábios deliciosos. Meus pensamentos estavam tão consumidos com ela no geral que eu completamente fui eliminando as coisas que poderiam ter sido úteis para mim agora.

A maçaneta da porta foi lentamente torcida, e agora eu podia ouvir sua voz dizendo à James para ir ao hospital e ficar sóbrio.

Minha Senhora estava voltando para dentro para lidar com seu sub mau comportado, e tudo que eu estava fodidamente fazendo era ficar lá como um idiota de merda. O tempo para descobrir uma forma de explicar meus pecados havia passado, e agora eu tinha que pensar rápido.

Do nada eu me lembrei da única coisa que ela me disse sobre a minha obrigação como sub. Ela disse que todos os dias quando ela chegasse em casa do trabalho era essencial que eu a cumprimentasse, e não de qualquer maneira. Ela quis dizer que quando ela entrasse pela porta eu deveria assumir a posição submissa. Ela disse que era para mostrar o respeito e lealdade à Dominante.

Essa era a única coisa que eu esperava que fosse minha fodida salvação.

Quando a porta se abriu, eu respondi ficando de joelhos, e curvando a cabeça para baixo. A dor na minha mão aumentou quando eu a bati com força no seu piso de madeira de cerejeira. No momento eu sabia que isso foi merecido.

O castigo que eu já estava me dando não era metade do que eu fodidamente ganharia. Eu esperava que minha Senhora decidisse que eu era digno o suficiente de ser mantido.

A porta se fechou suavemente enquanto eu mantive meus olhos grudados no chão. A súbita sensação de déjà-vu causou arrepios na espinha. A espera por ela se aproximar de mim estava agoniante. A sala estava completamente silenciosa. A única coisa que eu podia ouvir era minha própria respiração pesada. Era como se minha Senhora fosse um fantasma, uma maldita entidade que não estava lá porque eu não podia nem ouvir sua respiração e não importava o quanto eu tentasse.

Isso era enlouquecedor e meu corpo inteiro estava tenso com antecipação. O desejo de tê-la e o medo de decepcioná-la era devastador dentro de mim, e eu só precisava que ela dissesse alguma coisa. Eu queria que ela fizesse alguma coisa, para acabar com essa minha miséria. O silêncio estava me matando, porque eu não sabia o que ela estava pensando. E se ela não me quisesse mais, ou se ela estivesse tão indignada com as minhas ações que não podia sequer olhar para mim?

O que diabos eu faria então? Para onde eu iria? A perspectiva de ter de voltar para a minha disputa com Emmett por um pedaço da casa não era algo que eu desejava, e minha vida com essas vadias desprezíveis arranhando e me apalpando era a última coisa que eu fodidamente queria.

Mesmo que eu mal tivesse começado essa vida com a minha Senhora, minha curiosidade era muito forte, e eu queria vê-la continuar.

Eu apertei meus olhos bem fechados, a fim de me acalmar, porque o pânico do desconhecido estava me fazendo hiperventilar, e eu precisava ficar equilibrado. Ela ainda não tinha me mandado embora, e continuar pensando assim era totalmente contraproducente.

Por favor, me queira...

Minha imploração interna era a minha única distração. Era a única maneira que eu poderia pleitear a minha Senhora sem enfurecê-la ainda mais. Porque eu sabia que ela estava com raiva de mim, eu vi em seus olhos quando eu coloquei minhas mãos sobre ela e a empurrei para o lado. A idiotice suprema das minhas atitudes estava aumentando a cada segundo que passava, e eu sabia muito bem que o meu castigo não ia ser suave.

Porra... Se ela quisesse, ela provavelmente poderia amarrar-me pelas bolas e eu iria pedir-lhe para me dar mais.

A verdade é que se a minha Senhora fosse me punir isso significava que ela queria me manter.

Por favor, me mantenha...

Eu estava implorando no meu interior pela centésima vez quando ela se moveu. Meu mundo inteiro parou no momento em que o clique alto de seus saltos invadiu meus pensamentos. Deus sabe quanto tempo eu estive lá. Poderiam ter sido por horas e eu nunca saberia a diferença, mas agora que ela estava se movendo, parecia que tudo o que eu podia pensar era sobre o fodido tempo.

Ela levou quarenta e nove segundos para andar ao meu redor. As pontas de seus sapatos de salto alto pretos estavam na minha linha de visão por um minuto e vinte e dois segundos antes dela começar novamente a caminhar ao meu redor para um acumulado de três minutos e dezesseis segundos.

Finalmente, depois de um total de cinco minutos de pura agonia, minha Senhora falou.

"Olhe para mim, seu pequeno verme choramingão."

Eu levantei minha cabeça com seu comando sem um segundo de hesitação. Ela estava olhando para mim, com a sobrancelha franzida em um grave "V". A fúria em suas feições delicadas era algo que eu nunca tinha visto antes, e a verdade era... Ela estava bonita pra caralho.

Ela era o anjo severo, forte e dominante que eu não podia desviar o olhar. Mas parecia que quanto mais eu olhava para os seus olhos castanhos, mais isso a irritava. O fato de que eu olhei para ela com adoração ao invés de medo não a fez se sentir nenhum pouco melhor.

Ela rosnou baixinho quando levantou o pé, e como ela fez no calabouço na noite anterior, colocou seu calcanhar no meu ombro e me empurrou para trás. A sua força e o fato de que eu não estava esperando que ela me pegasse de surpresa, fizeram com que minhas costas batessem com força contra o chão.

Ela pairou sobre mim com seu calcanhar cavando em meu ombro. Essa porra dóia como o inferno, e eu estremeci de dor quando ela enfiou-o em mim ainda mais.

Ela olhou. "Você tinha que ir e agir como um Neandertal completo, não tinha, sua doninha covarde e bajuladora?"

"Senhora, eu sinto -" Eu comecei a dizer, mas ela me parou no meio da frase, quando ela apertou o pé no meu ombro.

"Não fale comigo, seu porco imundo e podre. Já ouvi o suficiente da sua voz irritante. Eu não o avisei das consequências de me desobedecer?" Ela rosnou.

Eu não sabia como responder. Ela continuou a me fazer perguntas diretas, mas não queria que eu respondesse. Essa foi à primeira vez na minha vida em que eu fiquei inseguro sobre mim mesmo...

"Você achou que eu não iria puni-lo? Que eu só iria deixá-lo agir como um idiota imaturo?" ela perguntou asperamente. Eu balancei minha cabeça enquanto eu engolia de volta as minhas palavras. Ela suspirou profundamente quando ela tirou o pé do meu ombro latejante. "Você realmente é uma fodida criança, não é? Você é muito estúpido para pensar com a cabeça apropriada. O que aconteceu? O seu pau sugou todo o sangue maldito do seu cérebro, e como um maldito homem das cavernas, você decidiu agir por instinto. Você é meu Submisso, Edward. Você é inferior a escória. Você não é nada além de um pedaço de chiclete no meu sapato!"

Ela estreitou os olhos para mim enquanto eu estava debaixo dela com os olhos arregalados. O sentimento de desesperança e vulnerabilidade era algo que eu nunca havia sentido antes, mas o que me surpreendeu foi o fato de que eu odiava o jeito que eu a tinha decepcionado.

Ela estava certa sobre tudo. Ela não estava indo para adoçar a minha desobediência. Como seu submisso, eu estava lá para obedecê-la, e o que eu fiz do lado de fora com o James foi como um tapa na cara dela. O controle que eu tinha lhe dado de bom grado no momento em que eu assinei o contrato, eu tentei pegar de volta. Foi um breve momento no qual me senti poderoso, mas que durou pouco porque eu não era fodidamente poderoso ou algo assim.

Eu não era nada, além de uma fodida escória.

"Levante-se!" ela cuspiu para mim.

Ficando rapidamente em meus pés, o sangue correu da minha cabeça, e eu oscilei um pouco quando eu perdi meu equilíbrio. Minha Senhora olhou para mim com intensidade quando eu, instintivamente, flexionei os dedos da minha mão ferida. Estudei cada parte de seu rosto perfeito, tornando-se mais e mais irritado. Isso foi uma coisa muito estranha, ficar tão excitado por ela quando eu deveria estar com medo, o que eu não estava.

Qualquer que seja a punição que a minha Senhora escolheu para infligir em mim foi bem merecida e eu não poderia não concordar com ela.

"Eu sou uma Domme muito paciente e você é uma fraca e patética desculpa para um submisso. O fato de que você sentiu o desejo de ir acima de mim como um fodido e fanático cão - " Bella bufou com irritação. "Sim, você é um cão para mim, e exatamente como um cachorro que mija no tapete de seu mestre, você merece ter a porra do seu nariz esfregado nele. Isso é o que eu vou fazer."

Ela olhou para a minha mão por um breve segundo antes de me agarrar pelo braço e começar a me arrastar para fora do hall de entrada.

"O que diabos eu vou fazer com sua idiotice agora, hein? Você achou que essa sua pequena façanha ia lhe fazer ganhar comigo? Não, tudo o que esse ato impulsionado pela testosterona fez foi ferir o seu instrumento de satisfação de cinco dedos!" ela esbravejou. "Fodido garotinho irracional."

Meus pensamentos eram uma bagunça confusa quando eu tropecei nos meus pés colossais apenas tentando manter o ritmo com ela. Ela estava em uma missão me arrastando pela casa quando passamos pela cozinha, pela sala de estar imensa, e pelo banheiro antes dela me puxar escadas acima para o segundo andar. Uma vez que estávamos no topo da escada, ela se virou para a esquerda, e foi direto para duas enormes portas duplas.

Uma vez que estávamos lá, ela soltou meu braço, e abriu as portas revelando uma espécie de calabouço. Quando ela entrou, me ocorreu de repente que a porra do meu castigo não ia ser como aquele da sala de jogos tinha sido. Não ia ser qualquer provocação ou chicotadas que me dessem prazer. Não, minha Senhora ia me fazer pagar por minhas imprudências.

Porra!

Eu ainda estava de pé congelado no corredor quando ela se virou. Havia um brilho em seus olhos quando ela inalou o ar estagnado em torno dela. Ela parecia tão bonita e em paz naquele quarto. Foi realmente magnífico de se ver, e eu sorri um pouco enquanto eu a observava.

Isso foi um grande e fodido erro...

Ela me viu de pé na porta, sorrindo, e o olhar de raiva no seu rosto fez minhas bolas se encolherem. Essa foi a primeira vez que eu realmente fiquei com medo por minha ação. A fúria em seus olhos castanhos era puramente animalesca.

Ela pisou em minha direção em um movimento rápido e me puxou para o quarto, batendo as portas ruidosamente atrás de nós. A tensão no quarto aumentou dez vezes, enquanto meus olhos vagavam em volta do mesmo, catalogando tudo na minha memória. Este quarto foi decorado de forma semelhante ao do resto de sua casa com o piso de madeira de cerejeira e as paredes de cor creme, mas o mobiliário indicava claramente que esta era a sua masmorra. Em uma parede, ela tinha sua coleção de chicotes, floggers e bastões. E o outro lado do quarto era uma mistura que parecia ter vindo diretamente do calabouço onde Senhora Marie me deu meu primeiro gosto do prazer real. Havia umas engenhocas que eu era vagamente familiar e outras que eu nunca tinha visto antes. No fundo, eu queria que ela me levasse até o banco de chicotadas, e quando seus dedos começaram a desabotoar a minha roupa, eu pensei que seria esse o meu castigo.

Ah, como eu estava errado...

Antes que eu percebesse, eu estava fodidamente com a bunda de fora e minha Senhora estava me arrastando para o canto da sala. Instintivamente, eu senti a necessidade de me cobrir, porque eu estava me sentindo exposto. Mas quando ela me colocou ao lado de algum tipo estranho de cavalete de serrador, eu esqueci que eu ainda tinha um fodido pau a mostra e balançando ao vento.

A engenhoca era algo que eu nunca havia visto antes. Era o tipo de cavalete de serrador que eu lembrava de ter visto na minha aula de marcenaria no primeiro ano do ensino médio, exceto pelas duas vigas que se levantavam verticalmente a partir dele, um em cada extremidade. Estas suportavam outra viga que foi colocada horizontalmente entre eles e acima do cavalete por cerca de trinta centímetros. A viga horizontal parecia ter sido um pedaço de madeira de quatro por quatro que foi reduzida em um triângulo com uma borda levemente arredondada na parte superior.

No começo eu estava confuso quanto ao que o inferno aquilo era porque era fodidamente certo que não parecia o tipo de banco de chicotadas que eu tinha visto na minha pesquisa na internet. Quero dizer, ele só não parecia muito confortável. Se eu me inclinasse por cima das bordas arredondadas por muito tempo, provavelmente, escavaria a minha pele em dois segundos.

Que porra era aquela?

"Altura perfeita", ela murmurou, enquanto ela media como estava o nível em relação aos meus quadris. "Agora suba e sente com as pernas abertas. Você vai ter que ficar nas pontas dos pés", disse ela na sua voz de comando.

A realização do fodido propósito do aparelho me bateu duro como uma bola de demolição, e eu senti minhas entranhas apertarem. Meu desconforto anterior de estar nu e exposto de repente trouxe um significado totalmente novo, não havia absolutamente nenhuma proteção entre as minhas bolas e a madeira. Aquela tábua que eu achava que eu iria me deitar ia dar bem certo entre as minhas pernas. Naquele momento, eu estava um pouco grato pela borda arredondada. No entanto, eu ainda estava nervoso por ter de sentar com as pernas abertas nisso... Essa merda não ia ser divertida.

Mas eu estava com problemas o suficiente e eu não queria torná-los pior por hesitar. Assim, como um pequeno e bom sub, eu vagarosamente e com cuidado balancei minha perna por cima para entrar em posição. A largura do cavalete forçou minhas pernas abertas mais do que a largura dos meus ombros. Estar na ponta dos pés nesta posição não era totalmente confortável, mas eu iria acabar com as minhas bolas naquela tábua mais cedo ou mais tarde.

Uma vez que eu me situei, pairando perigosamente perto sobre a aresta da borda, minha Senhora segurou minhas mãos e puxou-as por trás da minha cabeça. Sem qualquer aviso, eu senti o metal frio de um par de algemas sendo colocadas firmemente em meus pulsos e as ouvi fechar rapidamente.

Oh merda…

"Agora, que tenho a sua atenção", ela sussurrou em meu ouvido.

Ela estava posicionada em algum lugar atrás de mim, e quando me virei para localizá-la, meus pés saíram de baixo de mim, e minha virilha aterrissou com força na borda daquela madeira arredondada. A dor lancinante no meu estômago estava fodidamente excruciante e eu mordi o interior da minha bochecha para evitar-me de ganir de dor.

"Devagar cowboy, eu posso precisar das suas bolas mais tarde", ela riu suavemente quando ela ficou na minha frente.

Enquanto a dor lentamente começava a se dissipar, eu já estava na ponta dos pés para manter as minhas bolas longe da madeira. Se havia algo sobre mim, era o fato de que eu era um aprendiz rápido pra caralho, e não havia nenhuma maneira no inferno que eu ia cometer o mesmo erro duas vezes.

Minha Senhora foi paciente enquanto ela me via me recompor. A punição estava em andamento, e agora eu entendi o que ela quis dizer quando ela falou que eu jamais iria esquecer. Tinha sido apenas dois minutos e eu já havia esmagado minhas bolas. Como eu ia me sair, se ela me mantivesse assim durante 10, 20 ou possivelmente 30 fodidos minutos?

"Você está pronto para ouvir?" perguntou ela com firmeza.

Eu concordei com fervor. Qualquer coisa para tirar o meu foco das minhas panturrilhas que estavam queimando.

"Estas são as regras que você vai obedecer enquanto você for um Sub e elas não são negociáveis. Você vai manter a casa para mim. Eu a quero limpa e nos trinques todos os dias. Você vai preparar nossas refeições todas as noites, e o café da manhã, se a nossa programação permitir. Você é obrigado a fazer compras de supermercado toda sexta-feira, e vai me acompanhar para o calabouço nos fins de semana..." Ela fez uma pausa enquanto ela me olhava incisivamente. "Está claro?

"Sim, Senhora", eu respondi quando eu me mexi um pouco, raspando meu pau por toda a madeira.

Eu estremeci com a sensação. Era uma batalha constante entre descansar minhas panturrilhas doloridas, e ter o meu pau e minhas bolas esfregando a borda pontiaguda do banco ou salvar minhas estimadas posses por estar na ponta dos pés e suportar a queimadura das dores musculares. Ambos eram um inferno em sua própria maneira, e eu orei por misericórdia da minha Senhora.

"Você parece muito delicioso amarrado e vulnerável desse jeito", ela refletiu enquanto seus intensos olhos castanhos ficaram vidrados com a luxúria, ao mesmo tempo em que mordia o seu lábio inferior.

Essa foi a coisa mais quente e única que eu já vi. Mesmo que eu estivesse desconfortável e com dor, meu pau traidor veio à vida, e tornando sua fodida presença conhecida. Ela, obviamente, desfrutou do efeito imediato que tinha sobre mim, porque o sorriso que enfeitou seu rosto era traiçoeiro e de tirar o fôlego.

Ela suspirou com satisfação. "Bem, há mais algumas coisas para discutir antes da sua punição que está a caminho."

O quê? Isso fica pior?

Minha Senhora passeou ao redor da sala casualmente quando eu me mexi desajeitadamente no banco. O suor escorria em mim enquanto eu me esforçava para me concentrar em suas demandas, mas a pele lisa dos meus pés me fez perder o equilíbrio mais uma vez, fazendo minha virilha bater forte na borda.

Porra!

Foi muito difícil me segurar, porque embora a dor tivesse fodidamente atingido o meu intestino, e por mais que eu quisesse gritar, eu sabia que seria inútil. Ela viu a agonia no meu rosto e pensou que essa merda era engraçada.

Eu fui capaz de recuperar a minha posição mais uma vez enquanto ela fixava os olhos em mim. Ela sorriu. "Eu já marquei um horário para você na depilação amanhã," disse ela calmamente. O choque e a confusão deve ter sido evidente no meu rosto porque ela riu. "Há coisas que meu Sub é obrigado a fazer. Esses termos não são negociáveis e eu quero você completamente nu na região genital. É higienicamente melhor, e seu cinto de castidade não vai doer tanto se você não tiver cabelo lá em baixo ", ela sorriu. "Tentativa e erro provaram esse fato".

Meus olhos esbugalharam para fora de suas fodidas órbitas quando ela explicou essas coisas para mim. Era difícil manter-me na posição com todas estas notícias bombásticas que ela jogou sobre mim. A culinária e a limpeza era algo que eu podia aprender a lidar, mas a situação da depilação e o cinto de castidade me deixaram zonzo.

Como diabos eu iria ser depilado? Quer dizer, que cara heterossexual faz isso? Não era como se fosse para manter essa merda aparada, mas sim para ficar completa e fodidamente careca?

Houve tantas vezes que eu quis falar, mas o fato de que eu estava sentado sobre um fodido cavalete que estava machucando minhas bolas a cada vez que eu me mexia, lembrou-me o meu lugar. Minha dedicação a minha Senhora estava firmemente enraizada.

Fui eu que fodi tudo de forma ruim o suficiente para me meter nesta situação.

Ela inclinou a cabeça para o lado, avaliando-me, quando eu fiz uma careta de dor por causa da região da minha virilha que caía sobre o cavalete, e o deslocamento constante foi só piorando as coisas. O prudente era eu manter o equilíbrio na ponta dos pés.

Meu pau e minhas bolas de merda não sobreviveriam a mais uma queda.

"Bem, eu posso ver que a tentativa de chegar até você enquanto você estiver assim é bastante inútil", disse ela, bocejando. "Estou cansada de ficar em pé. Estou indo me deitar um pouco", disse ela, virando-me as costas e se dirigindo para a porta.

Não! Não me deixe! Eu quis dizer, mas não o fiz.

Mesmo que o pânico tivesse aumentado quando eu a vi sair do quarto, eu sabia que implorar só iria piorar as coisas. No momento, eu sabia o que esperar. A constante batalha entre as minhas pernas e virilha foi se tornando muito intensa e dolorosa, mas eu poderia lidar com isso... Isso foi até que eu fodidamente mexi o meu pé, e para o meu maior pânico, caí na madeira ainda mais forte do que antes.

Puta que pariu!

A dor era fodidamente insuportável, e quando, ou se, eu sair deste banco, eu jamais vou fazer algo estúpido para me colocar aqui novamente.

Porra, eu poderia querer ter filhos um dia...

Como o silêncio tomou conta do quarto, tudo o que havia de se ouvir era o meu grunhido enquanto eu mudava de posição pela fodida milionésima vez. Era difícil me manter pairando sobre a viga, e quando eu dei uma pausa as minhas panturrilhas, fiz questão de me abaixar devagar e gentilmente.

Deus, a punição era brutal pra caralho e minha panturrilha ia doer por dias, talvez até semanas... Eu fodidamente não sei.

Meus braços estavam começando a ficar doloridos por causa da tensão que estavam sob. As algemas estavam cavando em meus pulsos cada vez que eu me movia, e eu mencionei que o meu pau e minhas bolas estavam esfolando com a fricção constante?

Isso tinha que ser a pior parte do caralho. A fricção dos meus genitais sobre a madeira era muito leve, mas depois da minha sétima fodida queda e de raspagem contínua, a minha pele começou a ficar muito agitada e dolorida, e Jesus Cristo, o interior das minhas bochechas... Eu não quero saber o que fodidamente parecia.

Minha Senhora me deixou lá desamparado e eu sabia o por quê. Ela queria me ensinar uma lição de merda, e depois de quase 30 minutos no banco, eu considerei a lição aprendida, porra.

Toda vez que eu ia pensar em algo para me distrair, era hora de mudar, e mais uma vez eu estava bem consciente da dor, da impotência, e da punição.

Era um ciclo vicioso entre o esmagamento das minhas bolas na trave arredondada, a queimadura das minhas panturrilhas, e a fricção do interior da minha bunda. Foi assim durante horas e horas... Bem, eu estava exagerando, isso provavelmente era mais como uma hora, mas foda-me se o tempo não estava se arrastando.

No momento que a minha Senhora voltou, eu estava tão fodidamente delirante pela dor nas minhas bolas que eu quase chorei porra.

Eu era tão patético…

Ela entrou na sala vestindo calças de yoga e um top, com os olhos sonolentos, parecendo ter saído do seu sono de beleza. Seu cabelo estava empilhado em cima de sua cabeça, e mesmo que eu estivesse em agonia por causa dela, eu ainda a estava desejando pra caralho. Especialmente depois de tê-la visto com o top branco que era praticamente transparente, e com seus mamilos duros.

"Como estamos indo? Será que nós aprendemos a lição?" Ela perguntou quando estendeu sua mão e me tirou as algemas.

"Sim, Senhora", eu respondi com a voz rouca.

Minha garganta estava fodidamente seca e foi difícil para eu conseguir colocar essa porra de sentença para fora.

"Agora, você pode descer do cavalo ou você precisa da minha ajuda?" ela perguntou com simpatia.

Massageando meu pulso, eu olhei para ela e balancei a cabeça. Essa era uma daquelas coisas em que, mesmo que eu não pudesse fazer isso, eu iria agir como um homem sobre isso. Ela pareceu entender imediatamente e assim, ela deu um passo para trás do banco.

Levantando-me em uma posição vertical, eu quase perdi o equilíbrio quando a dor de picadas de alfinetes e agulhas reverberaram pelas minhas pernas. Ela foi rápida e estendeu a mão para me pegar se eu caísse, mas felizmente, eu fui capaz de recuperar o equilíbrio rapidamente.

"Teimoso", ela murmurou.

Eu lhe dei um sorriso fraco quando eu joguei minhas pernas por cima do banco. Foi a maior dor que eu já senti lá. Havia uma textura entre as minhas coxas, que me fez sentir como se alguém tivesse pego uma lixa e moído a merda na minha virilha... Isso foi fodidamente excruciante.

"Aqui, isso deve ajudar", disse ela enquanto esguichava um pouco de loção na palma de sua mão.

Meus olhos se estreitaram quando ela se aproximou de mim, mas assim que ela colocou a loção fria lá e esfregou-a em minhas coxas, a dor começou a diminuir. Eu tinha que admitir, isso era agradável pra caralho. Por um breve momento enquanto estávamos lá, eu tive a impressão de que minha Senhora não era realmente o demônio, e que poderia sim ser muito fodidamente boa.

Eu posso ter gemido, mas eu estava tão fodidamente fora de mim. A única coisa que eu poderia concentrar-me era na forma como a mão dela esfregava a loção na minha pele. Ela alcançou tudo: meu pau, minhas bolas, e a minha bunda. Todos tinham sido esfolados e estavam vermelhos por causa do banco.

É claro que meu pênis traidor decidiu juntar-se à festa. Eu juro que esse filho da puta ia me causar sérios problemas...

Minha Senhora riu quando ela olhou para a minha excitação óbvia, parecendo bastante divertida. "Você é o primeiro sub meu que monta o cavalo e ainda sai duro. Podemos nos dar bem depois de tudo."

Sem aviso, ela agarrou-me firmemente em torno de meu eixo e começou a fazer movimentos longos e lentos com a mão. Levou apenas um segundo para eu perceber que esta era a primeira vez que minha Senhora estava realmente me tocando do jeito que eu queria há muito tempo, e com toda a minha energia sexual reprimida, isso estava causando um frenesi em mim.

Porra, do jeito que eu estava me sentindo, uma leve brisa me faria gozar... Mas isso era muito mais do que isso.

Eu apreciei o modo como seus dedos se enroscaram em volta do meu duro comprimento enquanto eu ofegava pesadamente. O sentimento intenso estava me deixando na borda enquanto ela me levava para mais perto da minha libertação. Cada golpe de seu pulso deixava meu pau latejando, e assim quando eu estava pronto para o clímax... Ela tirou a mão de mim.

"Agora, eu vou lhe mostrar o seu quarto. Quero que você entre no chuveiro, se limpe, e depois venha para o jantar", ela disse brilhantemente.

A mulher estava me dando nada além da doce agonia. O momento que eu pensei que a dor teria diminuído, ela vai e aumenta dez vezes mais.

Porra, eu preciso de um banho gelado.

Ela estava olhando para mim com expectativa, e eu sabia exatamente o que ela queria...

"Muito obrigado, Senhora," eu disse rapidamente.

Ela sorriu gentilmente para mim enquanto estendia sua mão. "Vem".

Eu agarrei a sua mão, saboreando a suavidade de sua pele contra a minha. O fato de que eu estava caminhando para fora do calabouço desajeitadamente tentando evitar esfregar minhas coxas juntas foi muito divertido, especialmente porque o meu pau ainda estava em saudação completa e estava dolorosamente estampado no meu rosto que esse era o pior caso de todos de fodidas bolas azuis.

Mesmo que eu estivesse em más condições, nada disso fodidamente importava, porque eu acabei de sobreviver ao meu primeiro castigo como um sub e essa merda foi épica pra caralho...

No entanto, a menos que eu pretendesse investir em algumas fodidas bolsas de gelo, eu ia ter a maldita certeza de que essa punição fosse a minha última...


Nota da Carol: Que cap mais tenso hein? Aposto que o Edward nunca mais vai fazer nada de errado para ser punido dessa forma novamente... E a tal depilação? Estou morrendo de curiosidade para saber como vai ser. ;P


Agora sim a história começou de vez, Edward até já teve seu primeiro castigo. Oh James, uma pedra no sapato u.u ODEIO!

Espero que vocês estejam gostando da fic, o próximo é um Outtake e se quiserem posso postar no sábado, mas claro que para isso tem uma meta: 30 reviews nesse capítulo. E não vale postar várias reviews em anônimo, que eu não vou contar. Mas caso não batam a meta, o outtake vem na quarta que vem mesmo.

Como é outtake não vai ter preview.

Espero que estejam gostando da fic :)

Beijos

xx