CHOCOLATE BROWN AND LEATHER WHIPS

Disclaimer: A história pertence a Krazyk85, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.

Sinopse: O mulherengo, Edward Cullen, muda para sempre quando ele conhece Bella Swan. Quando ela o ignora incansavelmente, ele descobre uma maneira possível de conseguir sua atenção. Ele pode ser o sub que esta Dominadora vai querer manter? - EPDV


Capítulo 7 - Os Olhos Tem Isso

(Traduzido por LeiliPattz)

Estacionando na casa dos meus pais, comecei a lamentar a minha decisão, e eu me perguntava por que eu tinha concordado em vir. Após a semana eu tive, não estava exatamente com vontade de ser social, mas eu não era do tipo que quebraria uma promessa para minha mãe, também.

Foi um mau momento para mim–humor sábio–e eu esperava que pudesse manter a minha merda junta, enquanto eu estava lá. A última coisa que eu precisava era que a minha mãe intuitiva percebesse o meu estado de depressão mental, porque tudo o que poderia fazer era levantar questões indesejadas, e eu não acho que tinha a energia para mentir... bem, mentir de forma convincente.

É só levar a uma conversa de sondagem, e eu não tinha vontade de falar sobre Bella. Merda, eu esperava que os gêmeos soubessem manter suas bocas fechadas...

Eles tem cinco anos, idiota! Eu me lembrei.

Sim, eu sabia que a possibilidade dos meninos se manterem em silêncio era forçado, mas eu poderia esperar um pouco de sorte.

Finalmente, depois de uns bons cinco minutos de debate comigo mesmo, se devia ou não sair do carro enquanto fumava como um louco, eu abri a porta do carro para sair. O vento frio de Chicago me bateu rápido e forte, criando uma súbita vontade de colocar a minha bunda dentro da casa da minha mãe, logo que humanamente possível. Se havia uma coisa que poderia me fazer apressar era este tempo maldito.

Eu fodidamente odeio o frio!

Abrindo o portão de ferro preto que cercava a casa, corri até a curta escada que levou à pequena varanda. Enquanto batia na porta de madeira maciça com urgência, tomei um fôlego enorme, me preparando para as festividades desta noite. A lista de respostas apropriadas para o filho de um falsamente feliz e bem ajustado era longa e abundante.

Em primeiro lugar, eu tinha que lembrar de sorrir. Era um gesto pequeno, mas foda-me, se não era o mais difícil. Descobri que os sorrisos que geralmente tentavam parecer falsos saíram mais como se eu estivesse fazendo uma careta, como se eu estivesse com dor ou algo assim.

Todas essas fodidas dificuldades só para os meus pais acreditarem que eu era o filho da puta mais feliz que já tinham visto.

Qual é o ponto? Eu pensei sombriamente.

Colocando minhas mãos congeladas sobre minha boca, eu soprei meu hálito quente nelas em um esforço de mantê-lAs quentes para os meus dedos não caírem. No entanto, vendo como eu tinha a capacidade pulmonar de uma pessoa de 85 anos de idade, tudo o que eu acabei fazendo foi tossir. O ar frio estava ficando cada vez mais frio e isso estava me fazendo tremer como um Chihuahua fodido.

Deus parecia que estava levando uma eternidade para alguém atender a porra da porta, e eu estava ficando cada vez mais irritado. Enquanto eles me deixavam esperando, minhas bolas estavam oficialmente congeladas.

Ainda bem... não é como se eu as usasse...

Eu estava prestes a bater na porta novamente quando a porta se abriu, revelando o meu pai.

Ele foi à última pessoa que eu esperava ver, mas lá estava ele, elevando-se sobre mim e vestindo fodidos jeans? O fato de que meu pai estava vestido de modo casual, chocou o inferno fora de mim. Em um passado não tão distante, meu pai fez questão de usar apenas roupas recém passadas da Calvin Klein e um avental branco de laboratório – essa era própria essência do caralho de ser um médico-cirurgião, mas nunca nos meus curtos anos o tinha visto vestindo jeans escuro e uma camisa pólo.

Quem diabos é esse cara?

O homem que estava na porta olhando para mim parecia com o meu pai, mas eu tive um momento difícil em reconhecê-lo. Quero dizer, ele tinha o mesmo penteado para trás com o cabelo loiro pálido, os suaves olhos azuis claros, que sempre tiveram uma maneira de ver em linha reta através da minha mentira, e ainda tinha a sua estatura maior que a vida. Todos esses traços óbvios e inconfundíveis do meu pai, mas eu não conseguia conciliar os dois. Ele parecia diferente para mim de alguma forma, e eu não conseguia achar o ponto da mudança.

"Bem olá, filho", meu pai riu quando estendeu a mão para que eu apertasse, "Você está pensando em entrar, afinal de contas?"

"Ah, sim... claro", respondi calmamente enquanto apertei sua mão e cruzei o limiar.

"Nossa, meu filho. Quanto tempo você ficou ai? Suas mãos estão congelando", meu pai comentou enquanto fechou a porta atrás de mim.

Puxando minha mão para longe de seu alcance, eu dei de ombros, "Eu não fiquei ali por muito tempo."

"Bem, venha e se aqueça um pouco", ele disse, colocando a mão nas minhas costas e me levando para a sala da família.

A casa era enorme pra caralho. Eram pelo menos 700 metros quadrados, com grandes escadarias e uma maldita sala de cinema. Me irritou completamente que eles decidiram sair da pitoresca casa em Wicker Park, a merda onde eu cresci, apenas um mês após que eu sair para a faculdade. As possibilidades de que eu poderia ter tido para levar garotas lá era interminável, mas, infelizmente, meus pais nunca pensaram sobre o que era melhor para mim.

Quando entramos na sala de família, eu vi que havia um fogo aceso, e não é vergonha dizer que eu corri para essa merda tão rápido quanto humanamente possível. Tomando um lugar ao lado da lareira, eu estiquei as minhas mãos fechadas perto das chamas, e saboreei da sensação de calor que estava começando a penetrar minha pele gelada.

Meu pai estava junto à porta de entrada, a tensão no ar estava aumentando e tornou-se no mínimo um tanto esmagador. O jeito que ele me olhava enquanto estava perto do fogo me deixou nervoso, e eu não tinha ideia de por que eu me senti assim. Não era como se eles me convidassem para jantar, para me interrogar...

Ou era?

Sorrindo fracamente para o meu pai, eu apontei para a cozinha. "Então, o jantar está quase pronto?"

O objetivo da minha pergunta era desviar a atenção de mim. Era uma tática que aprendi em anos sendo amigo de Emmett, mas eu ainda estava incerto sob a eficácia do método com outras pessoas. Eu tinha que assumir que com qualquer outra pessoa que eu usasse isso era facilmente distraído com a menção de alimentos como Emmett.

Independentemente disso, valia a pena tentar.

"Muito em breve, eu acho", ele respondeu automaticamente. "Sua mãe e os meninos estão ajudando Alice a preparar a sobremesa. É difícil acreditar que uma babá de sua magnitude tem muito pouca experiência na cozinha."

Minhas mãos estavam queimando das chamas, mas eu não queria me afastar ainda. A atmosfera desconfortável ainda estava vigente no ar em torno de nós, e eu precisava de mais tempo para pensar longe de quebrar o gelo com o meu pai. Ainda era estranho entre nós desde o golpe que tivemos no ano passado sobre os meus planos para depois da formatura. Era algo que nós dois sentimos fortemente sobre isso e nenhum de nós queria ceder.

"Olha, Edward," meu pai começou quando ele deu um passo hesitante em minha direção. "Enquanto nós temos um minuto a sós, eu quero discutir algumas coisas com você."

Merda! Eu não estava pronto para isso...

"Tudo bem", eu respondi nervosamente.

"Eu sei que nós tivemos muitos debates sobre seus planos após a faculdade e a pós-graduação, e da última vez que tivemos essa pequena discussão foi muito sério, mas eu quero que você tome todas as suas opções antes de fazer sua decisão final", ele disse diplomaticamente.

"O que exatamente você quer que eu decida? Eu sempre vou escolher em ir para o Arizona, pai", eu disse sem hesitação.

Ele suspirou profundamente. "Por que você deseja se mudar para o Arizona, Edward? Você já viu a sua economia? A recessão é galopante nesse estado. Há milhares de pessoas sem emprego e muitos mais que estão ficando desempregados. Você acha que vai ser fácil conseguir um emprego de arquitetura lá? Vamos, filho, você não é tão ingênuo, é?"

Esta era à mesma conversa que tivemos inúmeras vezes e nada vai mudar.

"Talvez eu seja," eu disse arrogantemente.

"Então essa é a sua brilhante resposta para tudo?" Meu pai perguntou, irritado.

"Sempre foi a minha resposta, pai. Você só não me ouve. Você acha que eu quero ficar longe da família, mas não tem nada a ver com isso. É a minha necessidade egoísta de chegar lá sozinho. Abrir minhas asas," eu respondi, levantando e caminhando em direção à porta... eu precisava sair desta sala.

No entanto, meu pai me parou no meio do meu caminho. A energia desconfortável entre nós me fez olhar para longe dele, porque eu não poderia me manter olhando em seus olhos, com medo de ver o desapontamento lá.

Porque cada vez que eu olhava em seus olhos, eu via o meu próprio reflexo, e tornava difícil para mim decidir qual dos nossos rostos mostravam mais decepção...

"Eu entendo a necessidade de independência, mas você não pode entender que sua mãe e eu precisamos de você perto? Chame-nos de egoístas, mas raramente vemos, filho. Quantas vezes vamos te ver quando você viver a três mil quilômetros de distância?" Ele perguntou suplicante.

A viagem de culpa estava sendo colocada grosseiramente e malditamente sobre mim, e eu queria desesperadamente evitar essa conversa a todo custo. Tudo o que isso fazia era me deixar mais nervoso.

"Pai," eu gemi, "nós temos que discutir isso agora? Isto não pode esperar até outro dia?"

Finalmente olhando cima, para ele, eu vi a tristeza em seus olhos, e entendi que ele me amava, mas não pretendia entender que a atração que o Arizona tinha sobre mim. O mercado de trabalho era uma merda. Inferno, eu sabia disso. Eu verificava o Arizona Republic na internet diariamente, e eu sabia que a possibilidade de estar desempregado por um longo período de tempo era quase garantida, mas eu não me importava. Minha mente, meu coração, e tudo que eu queria estavam no Arizona.

Lá era onde eu queria para estar. Eu estava decidido e nada iria me fazer mudar de ideia.

"Tudo que eu quero de você é que pense sobre isso, talvez, à procura de postos de trabalho em Chicago. Quero dizer, apenas no caso," meu pai disse, colocando sua mão no meu ombro, e a agarrando firmemente.

Eu olho para ele suspeitosamente. "Você quer que eu apenas considere um emprego em Chicago... sem você mexer os pauzinhos?"

"Isso é tudo que eu quero, filho." Ele sorri. "Sem eu me meter. Sem compromissos. Apenas para manter suas opções em aberto."

"Tudo bem," Eu cedi.

"Ótimo. Agora, uma vez que isso está resolvido, devemos ir comer?"

O jantar foi delicioso pra caralho, e eu tinha quase esquecido de quão ótima cozinheira minha mãe era. Ela tinha ido ao céu, também. Os filés eram todos de primeira, e puta merda, ela sabia como fazer batata assada. Eu ainda não tinha sido capaz de conter a minha emoção enquanto comia pela havidamente. Ela era toda saudável com os meninos, mas sabia que era melhor fazer o jantar assim quando eu vinha.

Eu estava no céu.

"Bem, eu vejo que você está desfrutando do jantar, Edward," minha mãe riu. "Tudo o que tenho ouvido de você são gemidos e grunhidos."

Engoli o pedaço divino de carne, olhei para ela, e sorri: "O que posso dizer... Adoro a comida que você faz mãe, eu não posso te dizer como estou enjoado de pizza, e macarrão surpresa do Emmett."

Os gêmeos riram enquanto eu fazia ruídos e engasgos para expressar como Emmett era um cozinheiro horrível. Minha mãe e meu pai sorriram, enquanto Alice estava muito ocupada caminhando ao redor da mesa tendo certeza de que todos tinham repetido. A natureza de abelha operaria desta pequena mulher estava me deixando tonto, e eu me perguntava por que ninguém tinha lhe dado uma dose de Valium ainda.

"Estou feliz de ouvir isso," minha mãe disse docemente.

Eu sorri para ela enquanto enchia outra colher de batatas. Eu não estava mentindo, o alimento era o mais próximo que eu tinha de um orgasmo verdadeiro em dias...

"Então, Edward, eu entendo que você está pegando os meninos na escola e os alimentando. Como é que isso está funcionando? Você teve a oportunidade de conhecer qualquer uma das professoras lá?" Meu pai perguntou curiosamente.

Eu quase engasguei porra. A comida na minha garganta desceu pelo caminho errado, me fazendo tossir violentamente. Alice e minha mãe vieram em meu socorro, estando ao meu lado em questão de segundos e batendo nas minhas costas com entusiasmo.

Pareceu funcionar, porque a comida foi desalojada da minha garganta em uma fração de segundo.

"Eu estou bem. Eu só preciso de um pouco de água," eu resmunguei enquanto acenava.

Engolindo quantidades insanas de água, limpando a traqueia de quaisquer restos remanescentes, eu fui capaz de respirar novamente porra. Olhando para cima, vi que meu pai estava sorrindo para mim, como ele fez quando soube que algo estava acontecendo. Isso não era uma fodida surpresa. Quero dizer, eu poderia ter feito isso ser mais óbvio? Ele nem sequer disse o nome de Bella, mas isso era tudo no que eu estava pensando agora.

Merda, merda, merda!

"Filho você está bem?" Meu pai perguntou, desconfiado.

"Perfeito", eu respondi com a voz rouca, parecia que eu tinha coçado a merda da minha garganta.

Que diabos de pergunta era essa? Enquanto tentei reunir meus pensamentos, tentei freneticamente chegar a um plano para evitar responder com algo incriminador. Meu pai decidiu interpor dessa vez, parando o trem de pensamento perto do pânico instantaneamente.

"Os meninos dizem que você conheceu alguém por lá... bem, um professora em particular," meu pai disse bruscamente.

Os fodidos garotos me delataram, e eu não tinha ideia de quanto eles disseram aos nossos pais. Eu acho que eu deveria ter dito aos garotos que minhas conversas com Bella ficariam entre nós, mas eu pensei que chamar a atenção para isso só faria os garotos estarem muito mais ansiosos para derramar o feijão.

Bem, o segredo foi revelado, e agora, eu tinha que encontrar uma maneira para não me incriminar ainda mais.

"Hum, sim. Swan é uma professora de arte lá. Eu só falei com ela umas duas vezes", eu respondi com indiferença.

"Isso é só porque a Swan o ignora." Anthony adicionou.

Aquele pequeno babaca...

Minha mãe estava olhando para mim com a testa franzida e uma expressão perplexa. "Aconteceu alguma coisa entre vocês dois para ela te tratar tão rudemente?"

"Ela não está me tratando rudemente, mamãe. Ela é apenas ocupada e não tem tempo para sentar e conversar, como costumávamos fazer," eu defendi.

Essa foi à coisa mais estúpida que eu poderia ter feito, porque disse muito sobre a relação entre Bella e eu. Eram essas pequenas coisas que a minha mãe parecia pegar, e esta foi a maior confissão que eu jamais poderia ter admitido.

Eu deveria ter esperado o que aconteceu depois...

"O que vocês conversaram?" Ela perguntou, inclinando a cabeça para o lado.

"Eu não me lembro, mamãe. Como eu disse, nós não falamos muito e tudo mais", eu admiti com tristeza.

"Ele gosta da Srta. Swan, mãe. Ele tem uma queda por ela! Mas ela gosta de mais de mim e do Anthony." Masen decidiu acrescentar sua opinião traiçoeira na conversa.

É isso! Fodido tofu para esses pequenos babacas a partir de agora!

O fato de que ele decidiu esfregar na minha cara que Bella os favorecia não passou despercebida por mim, e eu jurei que os meus irmãos pagariam por sua deslealdade no futuro próximo.

Minha mãe olhou para o meu pai, "Alguma vez você viu essa Srta. Swan, Carlisle? Você sabe, durante a orientação?"

Ele estava sorrindo quando cortou o seu bife, mantendo seu olhar no seu prato quando ele balançou a cabeça ligeiramente. Ele sabia quais eram as minhas intenções com essa professora em particular, e eu tinha certeza que ele achou a conversa engraçada.

Eu gostaria de poder dizer o mesmo.

"Bem", minha mãe começou quando olhou de volta para mim: "Você pode querer respeitar os desejos dela, Edward, e deixar esta professora em paz. Ela parece saber uma coisa ou duas sobre se envolver pessoalmente com familiares dos estudantes."

Porra!

"Não é assim, mãe," eu disse com firmeza.

"Independentemente do que seja, Edward. Você precisa mostrar melhor decoro... tudo bem?"

"Tudo bem. Você está certa, e isso soa como uma boa ideia," eu disse por entre os dentes cerrados.

Que porra eu ia fazer agora? No curso de cinco minutos, os meus irmãos tinham me exposto na frente dos meus pais, e eu consegui concordar em deixar Bella em paz? Não havia maneira de contornar isso também. Os gêmeos seriam os espiões da minha mãe e contar para ela sempre que eu tentar falar com Bella...

Merda, porra, maldição!

Isso realmente iria colocar um amortecedor sobre meus planos de ser persistente.

Então, na semana seguinte passei intacto com a minha promessa de ficar longe de Bella, e parecia que ela decidiu fazer o mesmo. Nós dois ignoramos um ao outro como a Peste Negra. Foi difícil para mim ficar longe, porque eu estava tão fascinado por ela. Eu pensei que era a razão pela qual eu não tinha desistido ou seguido em frente, mas agora, as coisas estavam começando a mudar, e eu estava começando a perceber o quanto eu queria estar perto dela.

Isso é loucura...

Uma vez que havia espaço entre nós, eu comecei a perceber QUE a minha obsessão tinha ficado fora de controle. No começo, isso era sobre o misticismo que a cercava e meu desejo de encontrá-la. Eu sentava no café dia sim e dia não, apenas esperando que ela fizesse um reaparecimento na minha vida. Em seguida, isso mudou dramaticamente depois que me deparei com ela na escola dos meus irmãos. Meu fascínio cresceu depois disso, e eu comecei a apreciar sua beleza inegável, a boca esperta, e como ela era um desafio para mim.

Tinha que ser devido ao fato de que ela foi à primeira mulher que eu joguei duro para conseguir, e a única mulher que alguma vez me disse não.

Parecia que a sua falta de interesse em mim era a minha força propulsora, a única coisa que me empurrava.

Mas o esporte de persegui-la mudou, porque os sonhos que eu tinha começado a ter todas as noites me mostraram como seria estar com ela, mas apenas vagamente, porque eu tinha essa sensação de que a coisa real seria melhor. Isso não me fez chegar a nenhum lugar com ela, e, no final, tudo que eu tinha era um punhado do meu próprio pênis todas as manhãs. Essa merda só estava pressionando o inferno fora de mim.

Foda-se!

As possibilidades que eu vi com ela haviam criado esse desejo por ela dentro de mim, para consumi-la, tê-la consumindo-me, e eu estava ficando impaciente...

Mas agora eu tinha que ficar longe dela, e sem ser persistente, ela não saberia seus verdadeiros sentimentos sobre mim. Como eu ia saber com certeza se a minha evasão estava incomodando? Como diabos eu iria empurrar qualquer coisa para frente e até onde ela iria me deixar?

Se eu não posso tê-la... quem eu posso ter?

Alguma coisa tinha que dar, porque o fato de que eu estar no estado sexualmente frustrado era anormal para mim. Quer dizer, não experimentar um toque feminino em mais de duas semanas... era uma fodida primeira vez. Isso me fazia sentir como um monge ou um padre, e como eu conseguiria apenas tolerar o toque de minha mão estava além de mim.

Mas a ideia de ter alguém, além de Bella na minha cama... tinha me incomodado. Eu temia que se Bella não viesse para perto logo ou se eu não encontrasse uma maneira de sair deste contrato vinculativo que eu tinha com a minha mãe, eu estava condenado a punheta pelo resto da minha vida patética...

Certo, eu estava sendo excessivamente dramático, e a falta de buceta estava me deixando um pouco louco, mas eu estava perdido, porque Bella não estava deixando essa merda fácil para mim.

Ela continuou a me testar, me empurrar–só pela sua simples presença, e eu tinha que saber, se era tudo por uma questão de ser capaz de dizer que ela me fez quebrar primeiro? Era tudo um jogo para ela? Será que eu, eventualmente, cederia?

E ela viu meu desinteresse repentino como um sinal de que eu tinha quebrado?

Na segunda-feira após o jantar de domingo, as coisas não tinham começado tão mal. Na verdade, eu estava animado para dar a ela um pouco de seu próprio remédio. Todo dia, eu iria fazer uma aparição na escola de meus irmãos sem nunca tentar começar ativamente uma conversa e, a princípio, pareceu funcionar. Ela olhava para mim com anseio, e eu senti que o poder tinha mudado em meu favor. Se tudo o que tinha que fazer era deixá-la sozinha para conseguir que ela fodidamente olhasse para mim como ela o fez, então eu teria feito essa merda muito mais cedo.

Parecia que quanto mais eu a ignorava, mais eu consegui irritá-la. O rubor que cobria as suas bochechas era a visão mais deliciosa que já vi, e eu era um idiota, porque gostei da resposta que recebi dela quando sua testa franzia um pouco em frustração. Era divertido para mim vê-la ficar tão irritada, e eu tinha que admitir que a raiva que saiu dela tinha me excitado.

Eu poderia dizer que ela não era o tipo de pessoa que perdia a calma tão facilmente, e o fato de que eu causei uma reação dentro dela fez-me ficar esperançoso.

Deus, eu queria que ela tomasse essa raiva de mim... de preferência na minha cama.

A tensão sexual entre nós era o que tinha me feito voltar uma e outra vez, cada vez tentando mais forte do que antes. No entanto, as coisas começaram a mudar lentamente, e até o final da semana ela havia mudado suas táticas. Ela não olhava mais olhar para mim; ao invés disso, eu recebi frieza. E essa indiferença repentina, completa e absoluta que eu obtive dela me deixou mais desanimado do que nunca.

Essa foi a única coisa que poderia, eventualmente, trabalhar em mim, porque de uma só vez, ela conseguiu despir qualquer chance que eu sentia de que poderia ter algo com ela.

Era assim que dizia o velho ditado: "Se você ignorá-lo por tempo suficiente, eventualmente, ele vai embora."

Por um breve momento no tempo, eu tive a vantagem, e foi magnífico pra caralho. No entanto, quanto mais eu comecei a pensar sobre isso, mais eu vi que ela sempre teve o poder... Eu era apenas ingênuo o suficiente para pensar o contrário. Quando chegou a hora, ela foi mais esperta.

Ela realmente estava certa sobre uma coisa. Ela era, de fato, mais forte do que eu e, isso me fez sentir como um amador.

Será que ela tem alguma ideia do que estava fazendo comigo?

Os dias que passei cabisbaixo e ignorando a atenção feminina deixaram Jasper e Emmett preocupado. Meu comportamento era preocupante até mesmo para mim, e eu tinha que fazer alguma coisa para me puxar para fora do meu pânico. A parte triste era que eu não tinha vontade de enterrar meu pau em uma garota aleatória. Os dias a procura de mulheres fáceis para foder estavam muito longe, e agora tudo o que restou foi um homem que queria foder apenas uma mulher.

O que estava fodendo era que a mulher em questão não queria nada comigo, então eu tinha me tornado muito familiarizado com minha mão direita.

Porra, eu sou tão patético...

Era por isso que eu precisava sair da minha fodida casa e sair com os meus garotos. Já era sexta-feira e eu era um cara solteiro, eu precisava estar lá fora, explorando minhas opções...

Sim, certo...

De qualquer forma, independentemente do que eu disse a mim mesmo, isso tinha sido ideia de Emmett, porque esta noite tinha sido a primeira vez em um ano, que ele estava livre dos encargos de ter uma namorada porque sua mulher, Rosalie, tinha que trabalhar até tarde no seu estágio em algum escritório de advocacia de prestígio e ele estava animado por ter uma noite fora. Jasper decidiu vir também porque ele sempre saia, e bem, ele sempre desistia de fazer praticamente qualquer coisa. Como eu, ele não estava ligado a apenas uma mulher, mas ao contrário de mim, ele não era estava ligado a uma mulher que ele nunca poderia ter.

Merda...

Será que eu quero estar amarrado e comprometido com Bella? Sim – eu fodidamente quero.

"Nós vamos tomar outra rodada?" Eu arrastei enquanto bati o copo vazio para baixo.

Minha cabeça ainda estava cheio de pensamentos de Bella, e eu percebi que eu não deveria estar pensando nisso, e, portanto, isso provou que eu ainda não estava bêbado o suficiente para tirá-la completamente de mim. Aí encontrava-se o problema... eu precisava de mais bebida.

"Claro que sim", Emmett explodiu quando levantou a mão sobre sua cabeça, chamando a garçonete.

"Talvez, devemos desacelerar", Jasper disse em desaprovação.

"Foda-se!" Emmett explodiu, sacudindo a cabeça.

Por sorte, eu tinha Emmett, o garoto de fraternidade saiu hoje à noite, e estava mais do que disposto a me dar intoxicação por álcool, enquanto ria e incitava-me. Foi Jasper, que manteve a cabeça no lugar e queria manter as coisas sob controle, como um desmancha prazeres do caralho. Mesmo quando ele deveria ficar solto, ele ficou com seus princípios. Este era um grito distante do garoto com quem eu cresci. Merda, voltando no dia em que ele estava sempre fazendo alguma merda. Eu acho que o acidente de carro que ele teve quando adolescente tinha acordado a sua bunda...

Nós fizemos muitas coisas, mas nunca dirigimos bêbado...

Ignorando completamente Jasper, tentei focar as pessoas na pista de dança, observando as mulheres, com a esperança de encontrar uma garota para levar para casa, mas a música techno batia alto pra cacete. Isso a concentração parecer algo muito difícil.

Maldita seja a música rave, pensei com desdém.

O bar que estávamos não poderia nem mesmo ser considerado um bar. Era algum armazém localizado na parte decadente de Chicago, onde tiroteios eram desenfreados. Mas a cerveja era barata, e Emmett disse que seria bom ficar longe de um bar desportivo. Esta parecia ser uma boa ideia no início. No entanto, eu nunca esperava que Emmett fosse nos levar para um lugar onde havia luzes estroboscópicas, música techno, e as pessoas engolindo comprimidos de ecstasy como se fossem doces...

Deixe-a porra do Em nos levar para um lugar como este.

O babaca até mesmo sugeriu participar do ambiente através da compra de alguns bastões de luz e chupetas brilhantes, mas Jasper e eu rapidamente descartamos essa ideia. Já era ruim o suficiente que era apenas uma questão de tempo antes da polícia romper pela porta e começara prender pessoas.

O que diabos eu estou fazendo aqui?

Enquanto Emmett pedia bebida para a garçonete, notei que Jasper estava me dando seu olhar de sabe tudo, e eu abafei um gemido. Ficou claro para mim que o Jazz queria botar para fora todos os meus problemas como se ele fosse o Dr. Phil, e embora o cara fosse bom nisso, agora não era o momento. Minha mente ainda estava tão fodida, e depois de nossa conversa anterior, eu não sei se poderia lidar com a sua verdade brutal novamente.

Eu não estava bêbado o suficiente ainda.

A música fazia qualquer conversa coração a coração quase impossível, e felizmente para mim, a garçonete voltou em cima da hora com as nossas doses de Patron Silver e a garrafa de cerveja, efetivamente cortando qualquer possibilidade que Jasper tinha para atacar.

Louvado seja Jesus...

Olhando para longe de Jazz, eu olhei para a garçonete quando ela estava estabelecendo nossas bebidas, e de repente meu rosto estava profundamente em seu peito. Eu mal podia ver seu rosto. Era tudo peitos que dificultava meu ponto de vista. Seus seios não fizeram nada comigo. Presumido, se isso fosse há algumas semanas atrás, eu teria esbofeteado a garçonete sem rosto na bunda dela, enquanto deslizava meu número entre seus seios, mas as lembranças do sonho com Bella era tudo o que eu podia ver, e a garçonete nunca seria capaz para se comparar...

Ugh, porra não mereço ter um pau.

Fracamente no fundo eu ouvi os caras rindo enquanto a garçonete pressionou o decote em mim ainda mais, e eu queria fodidamente matá-los. Uma vez que ela saiu de cima, eu olhei para os caras e vi sorrisos enormes em seus rostos feios.

Sim, riam, idiotas...

Ignorando-os, voltei minha atenção para o que eu realmente queria, e era o bom e velho Jose... espera, nós estávamos bebendo Patron?

"Tudo bem, pessoal, Vamos beber," Emmett interrompeu os meus devaneios internos fúteis quando ele cerimoniosamente ergueu a copo.

A atmosfera mudou apenas com isso; não era mais sobre os meus pequenos tristes problemas, mas estar com os meus amigos. Assim, seguindo o exemplo de Emmett, Jasper e eu levantamos nossos copos, e juntos viramos, deixando a bebida descer por nossa garganta. A tequila era o meu salvador, pois aquecia o seu caminho até meu esôfago.

Esta era a minha forma de terapia, e enquanto virei a cerveja gelada, eu senti que estava finalmente conseguindo o zumbido que tão desesperadamente desejava. Tudo que eu precisava era de mais três doces acompanhados de mais quatro cervejas, e eu estaria oficialmente derrubado.

Olhando por cima da borda do meu copo, enquanto tomava a cerveja, eu vi que Emmett estava terminando a sua cerveja em goles grandes, quase como se ele estivesse tentando ganhar de mim. Ele bateu o vidro com força na mesa, rapidamente seguindo-o com um arroto alto. Ele acariciou sua barriga, fazendo com que Jasper e eu a ríssemos de suas palhaçadas.

"Isso é nojento", eu disse, revirando os olhos.

"Hey, não aja como se você não me quisesse, E. Eu li o seu diário," Emmett gargalhou.

"Eu não tenho um diário, idiota", eu respondi.

Emmett riu, "Oh, isso é certo, você apenas está obcecado com os olhos castanhos."

"Ainda?" Jasper perguntou surpreso.

Porra...

Eu sabia exatamente onde isso estava me levando, e se eu não estivesse tão bêbado, eu teria feito qualquer coisa para evitar a conversa. Mas como isso era, mais as bebidas começaram a fluir livremente, mais eu estava começando a me sentir bem. Minhas habilidades motoras ainda estavam intactas, mas a minha mente estava à deriva. As doses e os copos de cerveja estavam finalmente fazendo o seu trabalho, neste ponto, e eu descobri que estava me sentindo muito aberto e falante. No fundo da mente, eu sabia que iria me arrepender mais tarde. Tudo o que me levaria era um bom tempo mijando para me livrar de todo o álcool para recuperar a minha mente, ou qualquer merda que restava dele.

Os olhos de Emmett saltaram enquanto registrava as palavras de Jasper, "O que diabos você quer dizer com 'ainda'?"

"Nosso menino Eddie aqui é fascinado com uma garota que ele conheceu brevemente no café algumas semanas atrás. Esta bela mulher lhe disse que não," Jasper respondeu, divulgando todos os meus segredos de merda.

Idiota!

"Espere, espere. Segure o telefone. De que garota que estamos falando?" Emmett perguntou, olhando para mim intencionalmente.

Dei de ombros enquanto eu tomava um gole rápido da minha cerveja.

"Você sabe sobre essa garota?" Jasper perguntou a Emmett desconfiado.

Os caras foram lentamente colocando o quebra-cabeça, mas eu estava a ponto de não dar à mínima. Que porra importava se eles sabiam. Não importava. Bella não me queria.

"Se nós estamos falando sobre a mesma gostosa, eu fui quem apontou ela para ele," Emmett declarou com orgulho.

Lancei um olhar de ódio em sua direção, porque a minha miséria era culpa dele, porra. Se não fosse por ele, eu estaria alheio a tudo ao meu redor, e estaria por ai fodendo alguma cadela aleatória agora. Ele era a razão pelo meu pau só encontrar a pele da minha mão.

"Sim, eu não posso lhe agradecer o suficiente por isso, idiota," eu murmurei sarcasticamente.

Ele olhou para mim com olhos de grande filhote de cachorro, eu gostava de ver o seu ego ferido ou algo assim. Mas foda-se ele e seus sentimentos estúpidos! Ele não tinha ideia do estresse que essa mulher causou na minha vida. A falta de sexo começando a chegar a mim, e me deixando mais irritado do que de costume.

"Então, você vai nos contar a verdade sobre o que diabos está acontecendo com você?" Jasper gritou sobre a música alta que decidiu bater de novo.

"Desculpe?" Eu gritei de volta.

Tanto Emmett e Jasper olharam para mim com expectativa, e eu sabia que não havia nenhuma maneira de conseguir me desviar da situação. O meu comportamento tinha sido uma bandeira vermelha, e agora que eles sabiam que eu não estava sendo aberto com eles; essa merda estava prestes a ganhar profundidade.

Porra... essa música é detestável.

"O que diabos vocês vadias querem saber?" Eu cuspi.

"Bem, vamos começar com toda essa merda emo que você tem feito ultimamente, e para não mencionar a falta de sexo que você tem tido," Emmett disse, listando as razões em seus dedos.

Apertei os olhos para ele, "Que falta de sexo? Eu não vejo como isso faz algum fodido sentido."

Emmett estava fazendo todo o sentido... maldição!

"Seja legal com ele, Edward. Você sabe que esta merda sensível não é fácil para ele. Ele quis dizer é que temos notado as mudanças em você e nós estamos um pouco preocupados," Jasper disse suavemente.

Emmett concordou com as palavras de Jasper, "Sim, o que ele disse. Vamos lá, cara. Compartilhe conosco. Quer dizer, garotas fazem isso o tempo todo. Por que não podemos?"

"Porque não temos vaginas, Em," Parei, olhando para Emmett desconfiado. "Bem, talvez você tenha."

Ele sorriu, "Foda-se, idiota."

Nós três começamos a rir, e eu pensei que tinha conseguido me esquivar da conversa inteiramente, mas Jasper não estava disposto a deixar essa merda ir.

"Sério, o que é?" Jasper perguntou com todo o seu jeito de mãe.

"Jesus, pessoal. Eu sou gay", eu brinquei.

"Pare de ser um idiota e seja apenas direto com a gente..." Jasper arrastou.

Eu ri, "Boa escolha de palavras."*

*A piada se perdeu aqui, o Jasper usa a palavra 'straight' que além de significar direto também pode ser uma palavra usada para 'heterossexual'.

"Você sabe o que quero dizer, idiota," Jasper disse e bateu no meu braço.

Eu suspirei, "O que você quer saber exatamente? Eu pensei que tinha lhe dito tudo já."

Emmett ficou quieto enquanto ouvia atentamente a nossa conversa.

"Sim, isso foi há duas semanas. Você mudou drasticamente desde então. Há algo mais que você não está nos dizendo," Jasper disse perceptivelmente.

"O nome dela é Bella," eu me ouvi dizendo. "Ela é a mesma mulher que conheci no café e ela não quer nada comigo."

Jasper olhou para mim confuso, "Como você sabe o nome dela?"

Porra!

"Ela é professora na escola dos gêmeos", eu disse enquanto comecei a rasgar um guardanapo de bar.

"Puta merda! Você quer dizer para nos que ela trabalha na escola... foda-me correndo! Não é de admirar que você busca os meninos todos os dias." Emmett finalmente falou, dando sua opinião não pedida.

"Não podemos apenas deixar isso pra lá?" Eu perguntei em um tom exasperado.

"Claro", Jasper respondeu hesitante.

"Obrigado," eu respondi, grato por ele não continuar cavando.

"Mas só com uma condição," disse Jasper, alterando seus termos.

Eu olhei para ele e o vi sorrindo, mas ele não estava olhando para mim. Em vez disso, ele estava olhando além de mim. Virando na minha cadeira, eu vi o que – quem ele tem estado olhando. Era uma mulher que estava no bar improvisado. A vista era agradável de se olhar, mas encontrei-me entediado.

Virando na minha cadeira, eu vi que Jasper e Emmett estavam olhando para mim. Eles estavam, obviamente, fazendo alguma coisa e eu sabia que não tinha como ser bom.

"O que?" Eu perguntei cautelosamente.

"Dance com ela", Emmett respondeu animadamente.

"O que? De jeito nenhum, caras... isso não vai acontecer. Ela não é meu tipo," eu disse, balançando a cabeça.

"Quem fodidamente se importa se ela faz o seu tipo? Ela tem uma vagina e você precisa de alguém para silenciar este período de seca. Posso dizer-lhe que a menina está mais do que disposta", Emmett disse com firmeza.

Revirei os olhos, "Sim, eu tenho certeza de que ela está."

"Essa é a minha condição, Edward," Jasper declarou.

"Eu não vou concordar com qualquer merda de condição maldita Jazz," eu disse irritado.

"Tudo bem então, mas se você não falar com aquela garota você vai ter que nos dizer sobre Bella", ele afirmou severamente.

"Isso é uma armadilha", eu gemi enquanto belisquei a ponte do meu nariz.

"Chame do que quiser, mas considere isso como terapia. Você pediu minha ajuda e é assim que eu estou dando", afirmou Jasper.

Era inútil lutar contra eles, porque isso caiu em cima da minha relutância em falar sobre Bella. Ela era a única coisa que eu não queria divulgar a ninguém, e se isso significava que eu tinha que ir falar com uma garota aleatória para manter Bella firmemente presa, então era o que eu ia fazer.

"Tudo bem", eu bufei.

Levantando da cadeira, eu segurei a borda da mesa, tentando obter alguma estabilidade. Foi a primeira vez que me levantava em duas horas e minhas pernas estavam se sentindo um pouco fracas. Era como se eu fosse um animal estúpido de desenho animado que os meninos me faziam assistir com eles, ele tinha problemas ao tentar andar, também. Tomando mais um olhar para os caras, eu vi que eles estavam sorrindo como idiotas malditos. Ficou claro que a forma de terapia de Jasper era mais ao longo das linhas para seu próprio entretenimento.

Não importa se eles esperavam que eu falhasse ou mesmo se eles não esperavam. O que importava era o meu desejo de acabar com isso o mais rápido possível...

Finalmente consegui meu fodido equilíbrio, euconsegui andar no meio da multidão barulhenta, relativamente ileso. Notei que a mulher em questão não se moveu um centímetro, e quando cheguei mais perto, vi que ela era muito bonita. O cabelo castanho, que ela usava em ondas longas, era de uma profunda cor vinho, e os peitos que ela tinha quase em exposição eram definitivamente real.

Ela estava madura para a colheita...

Assim que me aproximei dela, eu me senti desconfortável. Algo não estava certo sobre o que eu estava fazendo e eu tinha nessa porra de sensação em mim como se... como se eu estivesse traindo.

Que diabos ...

Engolir a culpa desconhecida, enquanto coloquei um sorriso falso. "Oi."

Naturalmente, meu sorriso saiu como uma careta, e não havia nada que eu queria dizer a ela, minha mente estava em branco. Enquanto eu olhei em seus olhos cor de avelã, senti a súbita vontade de fugir. O jeito que ela olhou para mim como se eu fosse um pedaço de carne enquanto bebia uma porra de Martini de maçã, me fez querer estremecer.

Infelizmente, eu prometi a Jasper que iria falar com ela, mas valia a pena tentar essa merda, certo? Mas o que eu não esperava era a sua agressividade enquanto deu um passo em minha direção, pressionando seu corpo firmemente contra o meu... isso foi o quanto eu tive que me esforçar para ficar. Mesmo quando ela colocou a mão diretamente sobre meu pau, eu tive que lutar contra o impulso de me afastar dela.

"Olá, bonito", ela ronronou. "Por que você demorou tanto tempo?"

"Hum", eu hesitei. "Na verdade, estou aqui para comprar algumas bebidas."

Empurrando-me para longe dela, eu acenei para o barman na minha ordem de improviso. A mulher desconhecida olhou para mim o tempo todo, sem dúvida se sentindo rejeitada, mas eu simplesmente não poderia fodê-la. Era apenas algo sobre a situação que me aterrorizava, e eu não sei se foi devido ao fato de que ela era morena e me lembrou de Bella, ou o fato de que ela não era Bella.

"É isso?" Ela perguntou furiosamente quando me virei para caminhar de volta para minha mesa.

Eu balancei a cabeça, "Eu sinto muito, senhorita, mas eu tenho uma namorada."

As mentiras que foram derramando da minha boca agora estavam se tornando uma parte de uma imagem maior... minha vida era uma farsa.

Foi por volta de uma e meia da manhã quando acabamos cambaleando para fora do bar. A noite de união masculina e procurando por uma boceta disponível estava chegando ao fim, e eu estava exausto pra caralho. Minha visão estava embaçada consistentemente a partir das quantidades excessivas de álcool que ingeri.

Eu estava pronto para encerrar a noite.

Enquanto estávamos na beira da calçada, tentando chamar um táxi que nunca apareceu no nosso caminho, eu odiava admitir que minhas pernas estavam começando a ficar moles de novo, e estava chegando ao ponto em que eu poderia ter de me apoiar em Jasper para me manter em pé. Foi quando Emmett decidiu virar e bater-me com força no braço, vindo do nada. A força do impacto me fez tropeçar para trás, e bater em Jasper.

Felizmente, ele estava fodidamente mais sóbrio do que eu, porque seus reflexos foram rápidos e ele foi capaz de me pegar antes que eu desse de cara na calçada. Ele me levantou de volta na posição vertical, e eu sorri agradecido a ele. "Obrigada, Jazz."

"Não mencione isso", ele respondeu quando me deu um tapinha nas costas.

Uma vez que eu tinha conseguido o meu equilíbrio de volta, eu concentrei o meu olhar feroz em Emmett. Sua fodida cabeça grande e gorda estava um pouco embaçada, mas o meu aborrecimento com a sua atitude com excesso de zelo tinha me deixado ansioso para ir.

Então, com toda a força que conseguiu reunir, eu soqueie ele de volta no ombro... forte. Mas, como sempre, eu estava fodido pela perda de energia, porque ele nem sequer cambaleou.

Tudo o que consegui fazer foi levá-lo a olhar para mim com confusão, enquanto meu punho ficou latejando de dor.

"Porra", eu sibilei enquanto embalava a minha mão.

"Qual é o seu problema, cara?" Emmett perguntou, atordoado.

"Você é o meu problema. Por que diabos que você me bateu?" Eu cuspi.

"Não seja um bunda mole, E. Eu não bati forte." Emmett se defendeu.

"O inferno que você não! Porra eu quase comi a maldita calçada por sua causa imbecil!" Minha voz estava começando a subir algumas oitavas, mas Em parecia imperturbável.

"Pare de ser uma pequena bicha e ande com essa merda", ele disse acenando a mão para mim.

"Você é um idiota", eu murmurei.

"Eh, você vai viver. A razão de eu bater em você, idiota, era porque eu queria chamar sua atenção. Tenho uma ideia incrível", Emmett disse brilhantemente.

Meu punho estava latejando pra caralho, e eu não estava com vontade de ouvir uma das ideias brilhantes de Emmett.

"Isso deve ser bom pra caralho", eu disse sarcasticamente.

Ignorando-me completamente, ele olhou para Jasper, seus olhos estavam brilhando de emoção e um sorriso maroto, de repente se espalhou por todo o seu rosto, "Vamos fazer algumas tatuagens!" Emmett sugeriu.

"Você quer fazer tatuagens? Do que exatamente?" Jasper perguntou confuso.

"Tatuagens de melhores amigos… o que mais?" Emmett disse como se fosse óbvio.

A ideia da tatuagem era a última coisa que eu esperava que saísse da boca de Emmett, e quando meus olhos desviaram ao nosso redor, percebi de onde ele tinha tirado a ideia.

Aparentemente, havia um estúdio de tatuagem em frente a nós... como uma fodida coisa espontânea.

Eu comecei a rir, "Você não pode estar falando sério porra? Você é o maior maricas que eu conheço quando se trata de dor, Em," Eu lanço de volta.

"Eu estou bêbado, vadia. Eu não vou sentir qualquer dor... dã!" ele falou disso com naturalidade.

"Ele tem um ponto", Jasper falou.

Meus olhos foram para Jasper, incrédulo. Ele era a única pessoa que deveria ser o paterno desse grupo e parar absurdos como esses dos nossos caminhos. Ele não deveria incentivá-lo porra.

"Então está resolvido... a menos que você esteja assustado, garotinho," Emmett zombou de mim.

Ele agia como uma criança às vezes com suas tentativas tristes de zombaria... Como se eu tivesse alguma fodida coisa para estar com medo de tatuagens.

"Você esquece que eu já tenho duas tatuagens, babaca. Sei o que fodidamente esperar. Você é a virgem de pele, lembre," Eu retruco, revirando os olhos para sua ignorância.

Ele zombou, "Por que você está sendo tão um imbecil, E? Quer dizer, eu tentei fazer você descontrair essa noite, não foi? Mas não, você era tudo sobre uma puta que nem mesmo conhece–"

"Não se atreva a chama-la assim, caralho," eu o cortei com raiva, marcando em seu rosto.

Homens, testosterona e álcool nunca eram uma boa mistura... isso sempre seria uma espécie de combustão espontânea.

"Você precisa dar um passo, E," Emmett disse em advertência.

"Foda-se, Em. Você não a conhece, então não tem a porra do direito de chamá-la disso," eu cuspi furiosamente.

"Sério, cara. Você precisa sair da minha frente ou vou ser forçado socar você", Emmett falou com os dentes cerrados.

A situação estava se intensificando enquanto Emmett e eu olhamos um para o outro. Minhas mãos estavam apertadas em punhos e eu estava pronto para brigar com ele. A maneira como ele tinha pisado sib o bom nome de Bella tinha me deixado furioso e suas palavras eram desnecessárias.

Como ele ousa chamar Bella de puta? Quero dizer, ele não pensou que ele estava fodidamente namorando?

Antes que a situação pudesse ficar fora de mão, Jasper foi interveio, colocando-se entre Emmett e eu. Ele colocou as mãos sobre o nosso peito e empurrou Emmett e eu longe um do outro, mas eu estava muito chateado para notar o que Jasper estava fazendo.

Tudo o que eu vi era vermelho.

"Vamos lá, pessoal. Vamos acalmar os ânimos, ok? Edward, eu tenho certeza de que Emmett não queria chamar a Bella de puta. Não é verdade, Em?" Jasper perguntou a Emmett calmamente.

Ele resmungou como um palhaço enquanto deu um passo para longe de mim, mas eu estava além de chateado, e não ia deixá-lo sair tão facilmente. Infelizmente, Jasper antecipou cada movimento meu, e me parou no meu caminho com apenas uma mão, colocando-a no meu ombro.

Isso teve um efeito poderoso sobre mim... era como se Jazz fosse o próximo Messias.

"Você precisa relaxar, Edward. Como pode esta mulher ter você tão enrolado do caralho que está disposto a brigar contra o seu melhor amigo sobre isso?" Jasper perguntou cético. "Não soa como você."

Ele estava certo e eu sabia disso, mas não ia admitir isso, no entanto. Eu estava bêbado. Meus pensamentos estavam caóticos e o sangue Irlandês estava bombeando em minhas veias. Eu estava procurando por uma briga e alguém para tomar todas as minhas frustrações para fora. Não precisava dizer que não foi sábio fazer isso para os meus melhores amigos, mas Emmett começou.

Deixei escapar um suspiro derrotado. "O que, como eu fodidamente não sei disso? Como eu não vejo que há algo de errado comigo? Quer dizer, não havia uma vadia quente no bar esta noite apenas disposta a abrir as pernas para mim, mas que porra eu fiz? Eu lhe disse que tenho uma namorada ", eu respondi com a voz rouca. Os olhos de Jasper e Emmett arregalaram na minha admissão e eu assenti. "Yup! Eu menti e para quê? Esclareça-me, Yoda. Porque agora, eu não tenho nenhuma ideia de que porra eu estou fazendo."

Emmett deu um passo hesitante na minha direção e eu fiquei tenso. O que diabos ele vai fazer? Porra, eu não ficaria surpreso se eles me trancassem em um manicômio porque a merda que eu estava dizendo era loucura. A maneira como eu me desliguei de qualquer tipo de buceta fodida tinha que ser por uma de duas razões: ou eu era uma bicha fodida ou eu estava louco.

Bem, sinto que eu odiava o meu próprio pau, eu teria que dizer que estava fora da minha sanidade.

"Cara, eu não sabia que você estava tão ruim", Emmett disse calmamente.

Eu riu sem graça, "Eu não estou, Em. Esse é o problema."

"Bem, se boceta não é a resposta, então eu acho que o que você precisa de uma tatuagem", ele disse, envolvendo seu braço em volta de meu pescoço e me puxando para outro lado da rua.

As luzes de néon do estúdio de tatuagem brilhavam, Virtual Reality Tattoo and Piercings. Não era um lugar que eu costumava ir e eu suspeitava que sua política de saneamento não era tão rigorosa, mas estava muito bêbado para levantar essa questão.

"O que diabos vamos fazer, caras?" Jasper gritou quando se arrastou atrás de nós.

Vinte minutos depois, todos nós decidimos em fazer braçadeiras correspondentes de um arame farpado. Emmett fodidamente pulou quando todos nós concordamos com ele, porque ele disse que sempre quis ter uma, e, neste ponto, eu poderia me importar menos. Enquanto era fácil para encobrir, eu aceitaria qualquer coisa.

Mesmo se na parte da manhã eu me arrependesse da minha decisão...

O estúdio de tatuagem estava deserto e nós nos apressamos para entrar. Os dois tatuadores eram ambos do sexo masculino, mas polos opostos. O cara era alto e magérrimo com cabelo preto espetado, e seu corpo estava cheio de tatuagens. Ele se apresentou como Aaron. O outro cara era tão alto quanto, mas cerca de vinte quilos acima do peso, e parecia tão limpo como eu. Aparentemente, Drew gostava de tatuagem, ele simplesmente não gosta de ter tatuagens.

De qualquer modo, os dois estavam livres e capazes de fazer duas de cada vez. Desde que Jasper e Emmett eram os novatos, eu decidi deixá-los ir em frente, enquanto esperava no lounge. Era melhor que os virgens de pele fossem primeiro, porque sinceramente, tatuagens eram terapêuticas para mim, e eu queria estar mais sóbrio quando fizesse a minha.

Os sons de Emmett gritando de dor estavam rachando-me, e eu jurei fazer o divertimento de sua bunda marica mais tarde por isso. Jasper, por outro lado foi tranquilo, e eu encontrei-me verificando-o para ter certeza que ele não desmaiou ou morreu. Mas cada vez que eu olhava atrás da cortina para verificar, vi que ele estava bem acordado e alerta. Ele estava lidando com a sua primeira tatuagem com alguma classe.

Sentado em um dos seus sofás de couro duros, eu folheava uma das numerosas revistas de tatuagem. A obra de arte que foi exibido nestas páginas me deixou em fodida reverência. A criatividade que tomavam era incrível, e se eu pudesse, eu faria tatuagem em todo o meu corpo, porque estava sempre chegando com novas ideias, mas me contive.

Tatuagens eram ainda vistos como um tabu na minha profissão desejada, e eu odiaria ser julgado pela obra do meu corpo do que o meu corpo de trabalho.

Emmett estava saindo de um dos quartos quando eu vi pela primeira vez o anúncio, era um anúncio de serviço de dominatrix, e a única coisa que eles mostravam era um par de olhos amendoados, mas isso era tudo o que eu precisava ver. Eu não podia contar quantas vezes eu olhei para esses mesmos olhos. Eles eram inconfundíveis, e sabia que no momento em que eu contemplava os orbes marrons profundas, que não havia uma fodida dúvida... esses eram dela.

Os olhos pertencem a Bella.

Isto tem que ser um erro...

Mas, claramente, em negrito, afirmava que a Senhora Marie era uma dominatrix que era especializada em palmadas, jogos, suspensões, e muito, muito mais.

Isso não pode ser verdade...

Não estando disposto a ignorar a possibilidade, eu rapidamente rasguei o anúncio de revista, e empurrando-o profundamente em meus bolsos. Minha respiração estava difícil agora, e eu senti que quase fui pego fazendo algo errado. Era tudo tão eletrizante e gostei muito da corrida...

Não havia nenhuma dúvida em minha mente. Eu ia ligar para o número e marcar uma hora.

"Cara, como é que você aguenta?" Emmett gemeu quando ele desabou ao meu lado.

Havia uma faixa cobrindo seu bíceps esquerdo, e ele acariciou.

Que maricas...

Eu ri, "Não é tão ruim assim."

"Ha!" ele zombou.

Eu estava indo para repreendê-lo, provoca-lo, dizendo-lhe quão grande maricas ele era, mas Aaron escolheu esse momento para espreitar a cabeça para fora e olhar pela cortina, "Você está pronto, senhor?"

"Sim", eu respondi quando me levantei do sofá.

Enquanto eu caminhava para ir se tatuado, o simples pensamento de que a dor que vinha da agulha enquanto ela penetrava a minha pele me deixou animado. Era a única coisa que era para ser doloroso com que eu tinha prazer extremo... bem, isso foi antes de pensar sobre uma Dominatrix.

Eu quero saber o que muito, muito, mais implica...

No passado, eu teria zombou da ideia de uma mulher infligir dor a um homem, mas o pensamento de Bella ser a única a me bater...

Porra – isso excitou-me mais do que a dor de fazer uma tatuagem.

Eu estava decidido. Não havia dúvida em minha mente... Eu ia ligar.


N/A: Vocês acham que é ela? Eu quero dizer, o anuncio só mostrou os seus olhos e pode ser qualquer pessoa... LoL

N/B: De todas as formas que eu pudesse imaginar eles se conhecendo, não passou pela minha mente. Eu sei que existem esses anúncios até na internet, pq a anos atrás quando li A submissa/O Dominate fiquei curiosa e fiz pesquisas na internet sobre o assunto, até que o interesse morreu. Mas owww que legal :)


Capítulo com informações interessantes, percebemos o relacionamento do Edward com o pai, os planos do filho não o agrada, mas ele quer o melhor para o Edward. Masen e Anthony são muito lindos, morro de rir com eles entregando o irmão. Jasper e Emmett são bons amigos, só não da pra beber muito hahaha acaba em quase briga e uma tatuagem. Agora, esse final, será que são os olhos dela? O que será que o Edward vai tatuar?

Bem, esse capítulo sair foi uma luta, quando terminei de traduzir, no começo do mês, mandei ele pra beta, acabou que o email não chegou e nós só falamos disso no fds passado, ai mandei pra ela de novo, ela betou, me mandou, não chegou a fonte do note dela queimou e hoje ela teve que betar novamente. No meio da confusão toda o capítulo chegou atrasado, mas pelo menos chegou.

Vou voltar com ela todos os sábados, mas como disse outras vezes, vocês também tem que fazer a parte de vocês, que é comentar. Os capítulos dela são grandes, da trabalho traduzir, da trabalho betar e tudo o que eu e as meninas podemos ter em retorno de vocês é saber o que estão achando da fic.


PREVIEW

Quem comentar vai ganhar uma preview, quem tem conta mandarei por PM (se não quiser a preview, é só avisar) e quem não tem deixa o email como no exemplo: chocolate(underline)brown(arroba)seuemail(ponto)com, escrevendo os simbolos entre parênteses, porque se escrever normal o FF some com o email.


Beijos

xx