Cap 1 – Dreamer

Meu nome é Noelle, se diz Noellllll ~com enfase no L~ tenho 18 anos, nasci em Los Angeles - CA mas moro no Brasil desde 1 mês de vida, não tive chance de aprender inglês quando pequena. Minha mãe era americana, meu pai brasileiro, ele viajou para Los Angeles para abrir sua própria empresa, que não durou 6 anos. Minha mãe era estagiária, meu pai acabou se apaixonando, namoram 4 anos, se casaram e bla bla bla... 2 anos depois minha mãe engravidou, de mim, então, morreu no parto. Meu pai ficou arrasado. Com a sua empresa à beira da falência meu pai teve que voltar ao Brasil e recomeçar a sua vida... Agora pai.

Era 15 de novembro aniversário da minha falecida mãe que eu nunca conheci, meu pai e eu estávamos à mesa jantando sem dizer uma palavra, até que eu vi que ele parecia aflito antão resolvi puxar algum assunto.
- E então? - eu disse jogando meu garfo à mesa.
- E então o que? - ele disse mastigando olhando para o prato.
- Você me prometeu que quando eu acabasse a escola poderia ir para LA ver a cidade onde nasci.
Ele não disse nada, continuou com o olhar fixo no prato em que comia.
- Talvez eu faça um teste para algum filme, ou série, eu não sei, não teria orgulho de ter uma filha atriz? - falei sorrindo o encarando.
- Quer ser atriz nos EUA? - ele ironizou.
- Qual o problema? Falo inglês fluentemente você mesmo me ensinou. E você sempre soube que eu queria ser atriz.
- Você não fala nisso a 2 anos. - ele rebateu.
- minha formatura é mês que vem, já sou maior, já posso viajar sozinha, você sempre me ensinou a ser independente. - falei, ignorando completamente seu comentário.
- Quanto tempo passará lá?
- Eu não sei, me dê 6 meses, eu vou conseguir algum papel algum trabalho, o que for.

- Sua mãe sempre quis ir pra faculdade. - bati as duas mãos na mesa com força~
- porque você me compara a ela? Eu não sou ela pai! Nunca vou ser. - disse irritada, ele riu.
- Ela também odiava comparações, e era teimosa, como você. - não consegui responder, olhei pro meu prato e voltei a comer.
Passamos um tempo em silencio. Até que ele percebeu que fiquei realmente triste.
- Só 6 meses? - tentei não sorrir, mas acabei abrindo um sorriso maior do que eu esperava.
- 6 meses pai, tudo o que eu preciso.
- Bom, isso pode lhe custar o presente de formatura. - dei um pulo da cadeira, derrubei meu garfo e o abracei muito forte.
- Obrigada pai. - sorri.
O mês de novembro passou, até que chegou minha formatura, nada demais, mesma coisa de sempre, só pensava em viajar para LA e me tornar uma atriz. Assim que cheguei em casa, corri para o twitter para ver as datas do show da minha banda preferida Big Time Rush, suspirei quando vi a foto dos meus meninos no meu twitter. 01/13/12, 01/19/12 era a data dos shows em LA vibrei como uma criança, e fui dormir feliz.
Ia viajar dia 3 de janeiro às 17:45, peguei o voo direto SP - LA, eu estava tremendo, estava feliz e com medo ao mesmo tempo. Me despedi de meu pai e parti, para minha "aventura". Meu pai alugou um apartamento de luxo para mim, quando cheguei no apartamento pensei "faltam 10 dias pro show" já tinha comprado o ingresso com antecedência, estava tudo perfeito.