N/A : Para Mols que me pediu pra escrever Will/Jem (e meio que para o resto do pessoal da Ordem também)

Níveis de Compreensão

Jem Castairs não entendia Will Herondale. Para ser justa o mesmo valia para o resto dos habitantes do Instituto mas ainda assim era algo curioso já que desde que chegara a Londres ninguém havia passado tanto tempo com o rapaz quanto ele.

Ele sabia os fatos mas não conseguia entender o que havia por trás destes.

Não entendia porque Will havia decidido deixar seus pais e ir para lá, as vezes Will ficava com um olhar meio distante, meio perdido, mas caso ele ou Charlotte perguntava o que estava em sua cabeça ele desconversava (e se sentia um tanto egoísta porque não queria que fosse diferente já que se esse não fosse o caso a sua vida ali provavelmente teria sido bem mais entediante sem a presença do outro rapaz) .

Não entendia porque sempre tentava projetar uma imagem de ser mais vil do que realmente era.

Não entendia como alguém como ele gostava de poesias ao ponto de decorá-las. Will não devia ser do tipo que citava poesia durante conversas, ou que as declamava em plenos pulmões quando a adrenalina da caçada ainda estivesse pulsando em suas veias ou caso estivesse particularmente bêbado (Jem sabia que esse segundo item ocorria com bem menos frequência do que a maioria supunha).

E não entendia porque Will gostava dele mais do que de todos os outros. Will não deveria se importar com ele, nada em seu comportamento geral fazia com que aquela afeição pudesse ter sido prevista por qualquer um dos que o conheciam. Mas isso era claramente a realidade da situação, óbvio não só para ele mas para qualquer um que os visse interagindo. Era claro pelo jeito que como pela manhã ao acordar ele ia direto falar com ele geralmente ignorando todos os outros que estavam presentes no Instituto, pelas pequenas brincadeiras estranhamente desprovidas do seu escarnio de sempre. Conseguia ver pelo seu olhar desesperado toda vez que acreditava em que estava em perigo e por aquela incomum gentileza toda vez que sentia as fraquezas que sua doença lhe causava.

Jem não entendia seu melhor amigo, e havia decidido já há algum tempo que estava bem, ou pelo menos contentado, com isso. Não entendia porque Will era do jeito que era, e porque fazia o que fazia mas se permitia ficar irritado com ele quando ele estiver sendo idiota, e se permitia sorrir quando ele o fazia feliz (esse segundo item também ocorrendo com mais frequência do que seria esperado)

Tinha esperança um dia as coisas ficariam claras, que todos os segredos seriam revelados e tudo isso que ele não entendia faria sentido finalmente. Mas a verdade era que Jem já havia percebido que mesmo se esse não fosse o caso ainda assim valeria a pena. Não é necessário a completa compreensão para apreciar algo, ou como ele já havia começado a suspeitar que fosse o caso, para amar algo.

Obrigada por ler, reviews são sempre apreciadas.