ME AND MR CULLEN

Disclaimer: A história pertence à Catastrophia, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.

Sinopse: Era apenas um fim de semana em Las Vegas, então como a estudante de Ensino Médio de 18 anos, Bella Swan, terminou casada com um executivo de cinema de 31 anos, Edward Cullen? Esta é a história de sua vida estranha.


Capítulo 13 - Nossa Garagem Cheia

(Traduzido por NaiRobsten)

Sexta-feira.

O fim do trabalho e último dia sem escola.

A marca da minha primeira semana completa desde que conheci Edward Cullen e o último dia que eu ficaria presa em casa, enquanto ele estava fora, no trabalho.

Angela, uma das assistentes de Edward, apareceu na casa no meio da manhã com sacolas nas mãos.

"Bom dia", eu cumprimentei, tentando ser amigável. Até agora, a única interação que tive com ela foi quando ela guardou o nosso lugar no Departamento de Veículos.

Ela sorriu para mim, um verdadeiro sorriso - aquele que deixava seus olhos muito azuis. "Bom dia, Senhora Cullen."

"Bella, por favor."

"Oh, eu sei", disse ela com um sorriso e uma risadinha. "É divertido lhe chamar assim."

Ela me fez rir um pouco com isso, e eu suspirei de alívio.

"Eu tenho, para o seu prazer, o seu novo uniforme escolar."

"Sério?" Eu questionei surpresa. Ninguém tinha sequer mencionado a minha nova escola, com a exceção de uma breve menção de que eu iria começar na segunda-feira. Então a informação me bateu. "Uniforme?"

"Sim. Olympus Academy. É um colégio particular de elite. Muitos atores adolescentes e crianças de Hollywood vão para lá. Com sua transcrição, Esme pensou que seria um ajuste perfeito. Eles são realmente bons em matéria de privacidade, bem como, na escolha de seus alunos, assim como o estado profissional dos pais".

Puxei os principais itens da sacola, uma camisa de botões branca e de mangas curtas, um casaco azul marinho com colete e saia xadrez azul. Meus olhos estavam arregalados em choque quando eu olhei para a saia. Eu achava que os uniformes deveriam ser modestos... não na Califórnia, aparentemente. Havia outra saia, uma camisa de mangas longas, um casaco de lã, e duas gravatas. Esme também tinha adicionado meias brancas até a altura do joelho.

"Eu tenho que dizer mais uma vez... uniforme?" Eu resmunguei. "E que tipo de uniforme é esse?"

Angela sorriu para mim. "Bem vinda à Califórnia!"

Eu fiz uma careta e revirei os olhos. "Yay."

"Não é tão ruim, você vai se acostumar com isso. E eu tenho certeza de que você irá fazer alguns amigos, por isso não será tão solitária."

"Solitária?"

"Bella, eu posso não estar muito aqui, mas eu não consigo nem imaginar o quão solitário isso tudo deve ser para você. Ainda estar na escola e deixar tudo o que você conhecia sem qualquer aviso? Isso é para uma pessoa forte."

"Ou estúpida", eu respondi com um suspiro.

"Eu realmente acho que ir para a escola será uma boa idéia para você. Olhamos tantas opções, tentando descobrir o que era melhor para você, e com a agenda de Edward isso será bom, ter algo só seu para fazer."

Eu balancei a cabeça. Honestamente, eu não tinha pensado em qualquer outra opção senão uma breve ideia de como alcançar o meu GED*. Mas Angela estava certa, se eu achava que estava sozinha nesta semana, quando Edward estava ausente no trabalho, seria pior se eu não fosse para a escola. E por mais que eu sentisse a falte de Eric e sua amizade ridícula, eu sabia que podia fazer amigos aqui, assim como eu sempre fui bem quista e amigável.

*General Educational Development – é um grupo de testes que quando obtido sucesso, o candidato consegue o certificado de competências acadêmicas de nível médio nos Estados Unidos e Canadá. Passar nos testes GED dá àquele que não concluiu o ensino médio a oportunidade de frequentar uma faculdade.

Seth, o assistente de Esme, apareceu enquanto Angela estava lá com a papelada da escola para eu preencher. Ele era um doce com um sorriso enorme, apenas um tipo de personalidade cativante, me dando boas vindas e eu fiquei à vontade ao seu redor, bem como com Angela e Esme. Eu agora tinha encontrado todos os funcionários de Edward exceto Lauren.

E pelo pouco que eu reuni a partir de Angela e Seth, isso poderia não ser uma coisa tão ruim. Aparentemente Lauren não estava nas boas graças de Edward, especialmente desde que eu apareci. Ela tinha sido relegada e determinada a manter as biscates longe dele.

Decidindo que eu preferiria passar todo o fim de semana com Edward, especialmente desde que ele limpou a agenda por mim, eu fiz tudo o que era preciso para deixar tudo pronto para segunda-feira. Eu tinha levado minha mochila comigo para Las Vegas, por isso, felizmente eu não precisava de uma nova também. Eu encontrei um par de sapatos no meio do amontoado que Alice tinha entregue, e coloquei junto ao meu novo uniforme.

Eu também liguei para Eric para deixá-lo saber que Edward se desculpou, e também pedir para manter o silêncio sobre Edward e eu e o nosso casamento. Ele foi compreensivo, e me disse que não iria contar a ninguém, mas também disse logo que a notícia fosse divulgada ele iria gritar dos telhados da escola. Eu lhe dei o 'ok' para quando esse dia chegasse e lhe disse que ele poderia, então, vir para Los Angeles comemorar comigo.

O resto da tarde pareceu se arrastar e eu estava começando a ficar feliz que as aulas começariam para mim na segunda-feira. Eu não sei quantos dias mais eu poderia lidar com não ter nada para fazer. Isso estava realmente começando a me chatear, mas pelo menos eu pude passar algum tempo no piano compondo. Isso sempre preencheu um vazio na minha vida.

Eu estava saindo da sala, limpando a minha mochila, quando ouvi sua voz.

"Baby?" Edward gritou e eu pulei do sofá, correndo para a cozinha.

"Você está em casa!" Exclamei, derrapando até parar, meus olhos se abriram quando eu o vi.

Ele parecia nervoso. "Como ficou? Alec cortou um pouco mais curto do que eu gosto... Bella?"

"Eu não posso fechar as minhas mãos nele", eu respondi com uma careta, olhando para a cabeça tosquiada de Edward. Eu sabia que ele iria cortar seu cabelo rebelde longo demais para o seu gosto.

Concordei que estava mesmo muito comprido, mas agora eu achei muito curto, e ele parecia concordar comigo.

Edward riu e pegou a minha mão e levou até a parte de trás de sua cabeça. Não havia mais fios de cabelo, mas um brilho suave e difuso. Meus dedos dançavam em volta, amando a sensação enquanto eu passava a mão para cima a para baixo.

Ele soltou um suspiro de satisfação e um sorriso se formou em seu rosto quando ele se inclinou contra a minha mão.

"Você gosta disso, não é?" Eu questionei e ele gemeu em resposta.

"Continue assim, garota, e eu poderia ser forçado a tomá-la aqui mesmo no chão da cozinha", ele rosnou e mordeu meu braço.

"Senhor Cullen, eu pensei que você soubesse até agora você pode me tomar em qualquer lugar que você queria", eu flertei.

Passamos uma noite tranquila em casa cheia de flertes e apalpadas... entre outras atividades... cada minuto de nosso tempo juntos. Eu realmente precisava tê-lo perto, me tocando. Eu precisava disso para me preparar para a próxima semana.

Na manhã seguinte, entramos no carro de Edward e saímos para comprar um carro para mim. Eu não estava particularmente feliz com Edward insistindo em me comprar um carro novo, mas eu tinha que admitir que fiquei animada com isso. Chegamos a loja pouco depois das dez, mas enquanto passeávamos através do estacionamento eu estava tendo problemas para reconhecer a maioria dos carros. Eu não estava vendo nenhum Chevy, Jeep ou Dodge. Não era uma loja de carros comum. Não, porque eu fui capaz de identificar uma Ferrari, e alguns Bentleys como o de Edward.

Fomos recebidos por um homem chamado Felix. Lembrei-me de seu nome de quando Edward estava conversando com Esme sobre carros, alguns dias antes.

Felix era um homem extrovertido em seus trinta e poucos anos, e ele tinha um enorme sorriso no rosto. Sem dúvidas, por causa da comissão que ele iria receber a partir desta venda. Ele e Edward estavam conversando e eu ouvi alguns dos números que eles estavam discutindo e comecei a me assustar enquanto olhava alguns dos carros no pátio. Como eu poderia dirigir algo que custava tanto quanto a casa da minha mãe? Eu estava cada vez mais nervosa, com medo que eu não pudesse lidar com essa pressão.

Foi então que Felix trouxe o carro que cumpria as especificações que Edward tinha dado a ele.

Belo, elegante, e aparentemente seguro. Todas as coisas que Edward queria em um carro para mim. Era alegre, parecia muito rápido, mas era um dos carros mais seguros do ano. Um Audi R8 em tom de marrom deslumbrante.

Eu deslizei para o banco, minhas mãos acariciando o volante enquanto eu olhava ao redor. Era um carro requintado.

"Pensamentos?"

"Posso levá-lo para casa?" Eu respondi e Edward soltou uma risada. "É lindo."

Nós o levamos para um test drive e eu me apaixonei ainda mais por ele. Era mais do que eu precisava de um carro, tanto em preço quanto em estilo, mas eu não queria discutir com ele sobre isso... porque eu queria o carro. Edward perguntou se eu iria ter um ataque se ele o comprasse para mim, e eu o surpreendi ao beijá-lo e agradecê-lo.

"Você não irá protestar?" ele perguntou surpreso.

"Será que vai adiantar alguma coisa? Ou iremos apenas entrar em uma discussão que eu vou perder, no final, afinal? Se for esse o caso, eu não quero brigar, baby."

"Você o ama, não é?", ele perguntou, com um sorriso de triunfo no rosto.

"Sim*", eu admiti a derrota olhando para ele timidamente.

Ele gemeu, puxando-me para ele, sussurrando em meu ouvido. "Eu realmente gostaria de poder me lembrar de você dizendo essas palavras para mim."

Seus lábios traçaram beijos no meu pescoço.

"Eu gostaria... também." Meus olhos começaram a se agitar por causa do seu toque, minha língua se lançando para molhar meus lábios.

"Mas é um pouco embaçado. Talvez depois de você se formar, possamos ter uma repetição com nossos amigos e familiares", sugeriu ele, afastando-se para olhar nos meus olhos.

"Eu gostaria muito", eu respondi sorrindo, estendendo a mão para acariciar seu rosto.

N/T: *No texto original a expressão utilizada é 'I do', que pode ser traduzida como: 'eu faço' 'eu aceito' 'eu concordo', ou no caso aqui, a admissão de que Bella realmente ama o carro. Isso fez Edward se lembrar do casamento deles em Las Vegas. Ele diz lamentar não se lembrar de Bella dizendo tais palavras para ele por estar bêbado. Bella também não se lembra, por isso a vontade de fazer outra festa de casamento depois da formatura dela.

Felix voltou com os papéis prontos, e pouco tempo depois, eu estava seguindo Edward para casa no meu carro novo. Era realmente um sonho de dirigir, e preencheu o último espaço vazio da nossa garagem de quatro vagas.

Edward pediu para Seth inserir no GPS em algum momento durante o fim de semana as direções para que eu pudesse ir para a escola, o seu escritório, e muitos outros lugares.

Passamos o resto do dia apenas curtindo, nadando na piscina, conversando. Foi ótimo poder conhecer um ao outro um pouco mais.

"Ok, uma má notícia", ele começou, depois do jantar, enquanto estávamos enrolados no sofá.

"Uh-oh".

Ele suspirou. "Você entrou na minha vida num momento muito ocupado. Eu tenho um filme em produção, outro na pré, e dois em andamento. Infelizmente, isso significa que eu não estarei tão presente quanto eu tenho estado desde que chegamos de Vegas. Odeio deixá-la sozinha dessa maneira, mas eu prometo que quando as coisas se acalmarem eu e você iremos fugir".

"Fugir?"

"Sim. Eu não posso planejar muito à frente, por isso sempre me refiro às férias como fugir de casa."

Eu ri um pouco de sua descrição de fugir, mas meu sorriso se transformou em uma carranca. "Bem, eu... isso é... realmente é uma merda."

"A boa notícia é que você irá começar a escola na segunda-feira, e podemos trocar mensagens durante todo o dia. Sinto muito, eu realmente não queria ficar longe de você agora", disse ele, sua mão acariciando a minha bochecha, os lábios deixando pequenos beijos no meu ombro.

"Mas o dever o chama. Você tem uma forte ética de trabalho."

Edward fez uma careta. "Eu acho que tenho que agradecer ao meu pai por isso."

"Onde estão seus pais, Edward?"

"Eu não falo com eles há mais de quatro anos", ele admitiu com um suspiro.

"Por quê? O que aconteceu?"

Ele suspirou. "Muita coisa aconteceu, mas tudo se resume a me empurrarem para o ponto de ruptura e controlarem a minha vida e carreira. Vou lhe contar tudo sobre isso, mas podemos adiar essa conversa um pouco? Eu só quero curtir meu fim de semana com você, não pensar neles. Só pensar na minha família que está aqui em meus braços. Você é a minha família agora, Bella".

Eu sorri para ele, dando um beijo em seu pescoço antes de envolver meus braços ao redor de sua cintura. "Tudo bem. Vamos para a cama."

Na manhã seguinte, quando os meus olhos se abriram, o quarto ainda estava escuro, mas começando a se iluminar com o sol da manhã. O relógio ao meu lado dizia ser pouco antes das sete. Eu não conseguia manter os olhos abertos, e tentei voltar a dormir, mas a dor me importunando me impediu de fazê-lo. Jogando o cobertor longe, eu escorreguei para fora dos braços de Edward e me dirigi ao banheiro.

Houve alívio quando eu usei o banheiro, mas a dor permaneceu. Forçando os olhos abertos, eu olhei para baixo para encontrar vermelho, o meu período tinha chegado.

Sonolenta, estendi a mão para o armário ao meu lado, parando quando notei que algo parecia errado. Minha mente limpou um pouco e eu me lembrei exatamente onde eu estava e que eu não tinha o que estava procurando. Levantando-me, eu tropecei de volta para o quarto, minha mão cobrindo meu abdômen.

"Baby girl, você está bem?" Um Edward grogue perguntou da cama.

Eu me deitei novamente com um gemido, puxando minhas pernas para cima na posição fetal. "Não."

Ele não estava esperando a minha resposta e sentou-se imediatamente, inclinando-se sobre mim. Ele esfregou as mãos para cima e para baixo no meu braço. "O que há de errado? O que eu posso fazer?"

Eu gemi. O que ele poderia fazer? Eu não poderia pedir exatamente que Edward Cullen corresse para a mercearia ou para a farmácia mais próxima para comprar absorvente interno, poderia? Não, eu não podia. Além disso, ele era um homem, e isso era coisa de mulher.

"Ligue para Esme."

"O... quê?" ele gaguejou confuso.

"Ligue para Esme."

"Nós não precisamos incomodá-la", ele argumentou.

"Então ligue para Alice", eu retruquei.

"Bella, apenas me diga o que fazer e eu irei fazê-lo."

"Então ligue para Esme ou para Alice, porra!" Eu gritei e deslizei mais profundo na minha posição fetal quando uma fisgada particularmente ruim de cólica me atingiu. Eu deixei escapar um soluço. Esse definitivamente seria um ciclo ruim.

"Bella..."

"Edward, eu não posso exatamente te mandar comprar absorventes!" Exclamei. Eu odiava a maneira como eu estava agindo com ele, mas eu estava tão desconfortável.

"Oh!" ele exclamou em compreensão e se virou para a mesa de cabeceira para alcançar seu telefone.

Esme atendeu rapidamente, e Edward passou o telefone para mim. Expliquei-lhe o que eu precisava e ela felizmente entendeu o me dilema e prometeu ser o mais rápida possível. Eu desliguei, colocando o telefone na cama ao meu lado. Edward se levantou e caminhou para o meu lado, deitando-se atrás de mim. Ele colocou seus braços em volta de mim e me segurou contra ele. Agarrando a mão dele, eu trouxe aos meus lábios e beijei.

"Sinto muito", eu me desculpei.

"Sente muito por quê?" ele perguntou.

"Para descontar em você. É que eu estou com muita dor", eu expliquei.

"Está tudo bem, baby girl", disse ele com um beijo na minha testa.

Ele ficou ao meu redor, o que foi maravilhosamente calmante, enquanto esperávamos Esme chegar. Beijos suaves, toques suaves, ele era uma pessoa muito afetuosa.

Esme chegou, e se solidificou na minha mente como uma das pessoas mais maravilhosamente carinhosas que eu já conheci. Ela trouxe uma bolsa térmica, absorventes internos e também os regulares, e Midol*. Ela também sussurrou algo sobre chocolate na cozinha enquanto afastava um pouco de cabelo do meu rosto antes de sair com um sorriso suave.

*Analgésico distribuído pela Bayer específico para cólicas menstruais e sintomas da TPM.

Edward me ajudou a sair da cama, e eu cuidei das coisas, enquanto minha mente vagava para Esme.

"Como é que alguém tão doce pode querer se casar com o seu irmão?" Eu perguntei com espanto enquanto eu voltava para os braços reconfortantes de Edward.

Edward fez uma careta. Nós não tínhamos falado sobre Carlisle nos últimos dias, mas eu sabia que ele não tinha falado com ele desde aquela noite. "Vamos apenas... não falar sobre ele agora. Ok?"

Eu balancei a cabeça e a coloquei em seu peito, com seus braços envolvendo meus ombros. Nós nos acomodamos na cama e cochilamos. Depois de uma hora mais ou menos, o Midol tinha agido o suficiente para que a dor não estivesse tão ruim para me mover, descemos as escadas para começar o dia.

Encontramos massa de panqueca na geladeira de Tanya, e um saco de bombons de chocolate mistos de Esme. Eu acho que ela comprou um de cada item na loja. Edward foi capaz de trabalhar na chapa para fazer as panquecas com alguma orientação da minha parte de onde eu estava no meu banquinho. Uma vez ele tentou virar um pouco mais cedo e terminou com uma confusão em todo o lugar.

Depois do café da manhã, fomos para a sala da TV, e nos aconchegamos nos sofás chaise. Pelo menos essa era a melhor maneira que eu poderia descrevê-los. Eram espreguiçadeiras, apenas com o dobro de largura, quase como camas.

Puxando um cobertor de um armário, Edward nos cobriu, e eu me enrolei em uma pequena bola em seus braços. Nós assistimos uma comédia, e quando terminou, ele me entregou o controle remoto, mostrando-me todos os botões e me deixou decidir o que iríamos assistir a seguir.

Eu gostei do fato de ele entender que eu não estava me sentindo bem e não insistiu em fazer qualquer outra coisa. O primeiro dia era sempre assim para mim, mas geralmente tem sido melhor. Tudo o que eu queria fazer era passar o dia aconchegada no calor de Edward. Ele realmente era um homem amoroso.

Meus olhos passaram através do guia, e eu continuei pressionando para baixo para encontrar algo que me surpreendesse.

Foi quando eu vi; Midnight Horizon.

"Oh, meu Deus, eu amo esse filme!" Eu exclamei enquanto apertava o botão "select" no controle remoto.

Edward virou-se ao meu lado e me olhou como se eu tivesse ganhado uma segunda cabeça... ou imaginando quem era a garota ao lado dele. Ele, então, explodiu em um ataque de riso.

"O quê?" Eu questionei; o que só fez aumentar as suas risadas, deixando-o incapaz de me responder.

Depois de um momento eu voltei a minha atenção novamente para a tela com um bufo. A narração começou e uma luz branca tomou conta da tela. A luz começou a desaparecer, um par de brilhantes olhos verdes assumiu o lugar, seguidos por uma porção de indisciplinados cabelos cor de bronze.

Minha boca se abriu enquanto eu olhava incrédula para a versão mais nova do meu marido, que tomou conta da imagem na tela.

"Baby girl, você deveria ver a sua cara agora!" ele riu, me puxando para mais perto e beijando o meu cabelo.

Como é que eu não o reconheci antes? Eu já tinha visto este filme várias vezes. Eu me virei para olhar para ele enquanto ele estava enxugando as lágrimas de seus olhos. "Você acha isso engraçado, não é?" Eu zombei.

"Bem, agora eu estou me perguntando se você gostaria de ter o meu autógrafo", ele mal falou antes de eu bater nele com uma almofada e petulantemente me afastar para assistir ao filme.


To imaginando a Bella nesse uniforme, como será que o Edward vai reagir quando ver? HOHO E a bendita dela veio, ou seja, nada de bebê, pelo menos agora lol

Comentem que o 14 chegará em breve! ;)

Beijos

xx