Era um dia frio no PPTH, quando pela sétima vez entra uma moça de cabelos longos e negros se queixando de dor de cabeça. Ela vai até a recepção e exige ver o Dr. House. A enfermeira não entende a euforia da mulher e pede pra ela se acalmar, mas já é tarde demais e a moça está gritando de dor aos prantos. Ela é levada para a emergência quase desmaiada, mas ainda com forças para continuar querendo ver o Dr. House.

No seu escritório, Cuddy continua a procurar um doador, mas House, com sempre, continuava a perturba-la.

-Tyler Thorni Harding. Curte um bom churrasco. É ele é o oposto perfeito pra você Cuddy.

-Calado House. Se você não for ajudar pode ir andando, ou melhor, mancando.

-Muito engraçado Cuddy. Esse parece bom: Steve Hoddings. Pianista, neurocirurgião. 39 anos.

-Steve Hoddings? Nunca ouvi falar, mas deixe separado...

-Gosta de escutar música clássica enquanto examina um cérebro? Meio sombrio...

-House...

BIP BIP BIP

-Tenho que ir. Preciso salvar algumas vidas.

Quando House chega ao quarto a moça já está recebendo uma dose de morfina. Ela está muito mal e House já quer fazer qualquer tipo de exame.

Ele entra na sua sala e já pede diagnósticos diferenciados.

-Coágulo- diz Cameron

-Vasculite- diz Foreman

-Derrame- diz Chase

-Lógico porque se fosse derrame, um plantonista, um radiologista ou o neurologista de plantão, não perceberia. Façam uma ressonância. - House zomba de Chase.

House sai de sua sala e vai procurar Wilson para falar das coisas da Cuddy.

-Você sabia que a Cuddy gosta de pianistas?

-Como assim?

-Ela está procurando um doador e se interessou por um neurocirurgião que toca piano e é uns 20 anos mais novo que ela.

-Quantos anos ele tem?

-39. Uma criança inocente perto daquela manipuladora. Bom talvez não tão inocente, mas...

-Ela o conhece?

-Talvez seja o Foreman. Ou o Phillip. Eles parecem gostar dela...

-E por que ele mudaria o nome? Ela vai acabar descobrindo...

-Talvez quando ela descobrir seja tarde demais. Ou finja ser alguém que faça mais o tipo dela...

-Não acho que ela vai julga-lo pela aparência.

-Se ela não fosse julga-lo, acho que não precisaria de uma ficha técnica do cara.

-Acho que ela só quer ter certeza de que não vai "engravidar" de um babaca.

-E é claro que o Foreman não é um babaca.

-Mas se alguém pode mentir sobre o nome, pode mentir sobre a profissão. Talvez ele nem seja médico ou nem toque piano.

-É, talvez ele seja um idiota que mora com os pais e seja atendente de lanchonete.

-O que você faz aqui ainda?- pergunta Cuddy entrando ao estilo House na sala do Dr. Wilson.

-Ah! A senhora dos hormônios. Já achou alguém que queira ir pra cama com você?

-Como se você se importasse com isso. Sua paciente, Mrs. Shephered continua com dores de cabeça e você está aqui falando da minha vida.

-Já deram morfina pra ela. Por que ainda está sentindo tanta dor?

-Acho que é a sua função descobrir isso. Além do mais o Dr. Wilson está ocupado, não é?

-Sim, sim claro- diz Wilson gaguejando- Sua paciente precisa de um diagnóstico.

House sai da sala, meio desconfiado, mas precisava se concentrar na paciente.

-Alguma novidade? Espero que seja boa. – diz House entrando em sua sala

-Não apresentou nada de errado na ressonância. –diz Cameron

-Quais são os sintomas?- pergunta House escrevendo no quadro

-Dores de cabeça a mais de uma semana- diz Foreman

-Talvez seja só uma enxaqueca... –diz Chase

-E é claro que, uma enxaqueca não passaria depois de duas doses de morfina. Você está se superando hoje Chase. Façam um exame de coagulação.

FIM DO 1º CAPÍTULO