Frase do Capítulo 1: "Porque caímos, Bruce? Para que possamos aprender a nos reerguer."—Alfred para Bruce em Batman Begins.

.

.

Título: Catch 22

Autora: JanuaryEclipses

Rating: T (ou PG-13)

Sumário: Sakura não é fraca porque não tem força. Ela é fraca porque eles a protegem. Sakura-centric.

Pares: Nenhum (ainda)

Disclaimer: Eu não sou possuo Naruto e nem Catch 22.

Alerta de Spoiler: Esse capítulo contém spoilers do episódio 10 ao 220. Isso também inclui o terceiro filme de Naruto. Você foi avisado(a).

Capítulo 1: Porque Caímos, Bruce?

.

.

Eles nunca a viram como uma lutadora.

Sasuke estava ocupado demais pondo o peso do mundo sobre seus ombros. Ele a protegia por culpa de não poder ter feito o mesmo por sua família. Vivia desdenhando o quão fraca e irritante ela era, o que era a mais pura verdade, porque Sasuke nunca amenizava nada. Quando Sakura era mais nova, achava que era romântico quando ele a protegia. Achava que isso significava que ele se importava com ela. E de um jeito, ele realmente se importava, mas não como ela queria. A protegia, porque ela não conseguia se proteger. Algo como ser o dever deum homem proteger uma mulher, mas o fato era que eles deviam estar no mesmo patamar, e Sasuke pulou alguns níveis.

Naruto a adorava demais para deixá-la se machucar de alguma forma. Ele pulava na frente dela quando Sasuke não podia, e se ela ficasse com um arranhão se quer, surtaria e se culparia por ter permitido que se machucasse. Naruto e Sasuke duvidavam de sua habilidade de se proteger. Se você perguntasse a ele, Naruto diria que um rosto bonito não precisava ficar sujo por nada. Apesar de ser mais forte no Sasuke, ambos possuíam um ar em sua presença que dizia claramente: "Nos dê um minuto, mulher, os homens tão trabalhando aqui." Naruto era como seu irmão, e era tão obsessivo e protetor quanto um. Ele a enchia de atenção ao invés de se oferecer para ajudá-la a treinar, e muitas vezes até a distraía nos treinos. Sakura ficou pra trás.

Kakashi martelava a ideia de trabalho em equipe em suas cabeças desde o primeiro dia. No entanto, "trabalho em equipe" implica uma igualdade entre seus membros, uma igualdade não expressa por Kakashi. Ele focava em treinar Sasuke e Naruto, que mostravam um grande potencial em tudo que faziam. Sakura era intelectualmente inteligente, o que era o tipo de inteligente que o sábio e experiente Kakashi sabia que não a levaria muito longe no mundo Shinobi. Os meninos tinham a esperteza de rua, e Kakashi notou isso rápido. Quando ela claramente ganhou deles no exercício de escalar árvores, ele estava internamente orgulhoso, mas chocado que ela havia derrotado os garotos. Fizera uma nota mental de que ela seria excepcional em jutsus, mas treinos simples eram um assunto diferente. O sensei de cabelos prateados sempre fez com que Naruto e Sasuke lutassem um contra o outro para que pudesse lutar contra Sakura, garantindo que ela não se machucasse. Ele nunca permitiu que ela tivesse algum tipo de desafio, e a ingênua Sakura não conseguia notar a diferença.

.

.

Sakura olhou pra baixo, rindo enquanto seus companheiros a encaravam surpreendidos. Pra ser honesta ela não acreditava que fosse ser capaz de fazer, mas então seu pé meio que... Grudou. Ela se sentiu suficientemente confiante quando sentiu seu chakra se acumular em seu pé, mas até então, já havia se sentindo confiante antes e nada acontecera.

Ela quase gritou de felicidade quando simplesmente teve que andar pela árvore.

"Oh? Parece que quem tem o melhor controle de chakra é Sakura, a garota." Kakashi disse. Naruto começou a elogiá-la do chão... Mas Sasuke se virou irritado.

O que foi? Ela se perguntou. O que foi que eu fiz? Porque ele não ta me elogiando?

Ela suspirou sentada no galho, quando na verdade devia estar feliz por ter conseguido. Foi um dos únicos momentos em que ela se sentiu superior aos seus companheiros.

.

.

A luta contra Zabuza tinha dado uma carga de adrenalina nela, e ela ficou com o trabalho de proteger o cliente. Ficara orgulhosa de si mesma na hora porque havia ficado com o trabalho mais importante, o de proteger Tazuna, que estava sob a tutela da própria Konoha!

Mas mais tarde ela pensaria, proteger do que?

Naruto e Sasuke tinham que lidar com Haku, enquanto Kakashi lutaria contra Zabuza. Não havia mais nenhuma outra ameaça para o cliente. Ela estava presa no trabalho de ficar fora do caminho dos homens, e eles tinham dado uma desculpa para que ela se sentisse útil.

Na hora, ela realmente se sentiu útil. Mas então, o amor de sua vida sucumbiu, perto demais da morte, e ela se sentiu completamente inútil.

.

.

Sakura estava orgulhosa de si mesma quando viu através da ilusão de Iruka quando ele disse pra ela não se juntar ao time no Exame Chuunin. Pra ser honesta, ela não teria visto se não conhecesse Sasuke tão bem como conhecia por ser uma fangirl.

Esse orgulho aumentou quando Sasuke reconheceu suas habilidades com Genjutsu, e mais uma vez quando Kakashi os encontrou na porta e disse que estava orgulhoso deles por terem vindo. Sentiu que realizou algo de verdade quando conseguiu fazer que o exame escrito inteiro sem colar. Apesar de achar que depois daí, tudo foi de mal a pior.

Sendo uma garota menininha demais, Sakura não sabia nada de como sobreviver num lugar como a Floresta da Morte. Estava surtando internamente por ter que fazer xixi na floresta, quando na verdade devia estar preocupada com o inimigo a espreita em cada canto. Ela não fora capaz de ver Orochimaru que havia feito um henge para parecer Naruto. Não foi capaz de se libertar de um simples Genjutsu, uma técnica que dizia ser sua especialidade. Até mesmo Naruto se juntara a luta e perdera, o que teria sido mais honrável do que apenas assistir tudo como um filme. Ela não conseguiu nem ao menos lutar quando Sasuke foi ferido, apenas ficou no galho. Foi Sasuke quem fez tudo, Sakura foi apenas sua torcida.

Sua única consolação foi abraçar Sasuke depois que o Selo Amaldiçoado apareceu em seu pescoço, isso porque era a única coisa que podia oferecer a ele: conforto. Era a única coisa que enfiavam na cabeça dela desde que pudera se lembrar. Olhe os homens, cumprindo seus deveres de proteger este país, trate-os bem. Olhe os homens, cuide bem deles.

Quando os ninjas do Som vieram procurando Sasuke, Sakura viu sua chance. Ela lutou porque agora ela estava protegendo eles, depois de tudo que tinham feito por ela, não podia decepcioná-los agora.

E então veio uma confiança quando ela cortou seu cabelo, seu precioso cabelo que havia deixado crescer porque Sasuke gostava de garotas com cabelo cumprido. Mas faria qualquer coisa por seu time, e ela sabia que eles fariam qualquer coisa pra salvá-la. Eles haviam arriscado suas vidas por ela mais de uma vez. Fúria e determinação brilhavam em seus olhos, ela lutou contra o inimigo com cada fibra de seu ser. Doía, e o sangue escorria de seus ferimentos mais rápido do que queria admitiu, mas era inteligente, e enganou o tolo ninja do Som.

Mesmo dando seu melhor, ela ainda acabou a mercê de Zaku. Lee se machucara a protegendo. E cortando seu (longo, brilhoso, maravilhoso) cabelo na tentativa de salvar as pessoas que amava num momento de força, agora parecia ser em vão enquanto esperava pelo golpe final.

Felizmente, ela tinha o InoShikaCho para salvá-la. Estava acostumada com isso, pessoas a salvando. Ela cuidava de seus companheiros enquanto o outro time lutava contra os ninjas inimigos, se denegrindo o tempo todo por ainda ser tão fraca.

E então...

"Sakura, quem fez isso com você?"

Sasuke veio para salvá-la. De novo.

Ela queria acreditar que ele se importava com ela, e as palavras fora de contexto fariam qualquer romântica se derreter, mas o horror em frente a ela dispersava qualquer noção romântica que ela tinha. Isso não era justiça, era vingança. Ela nem ao menos sabia quem esse garoto era, com tanto desejo por sangue em seus olhos. A deixou sem ar, e não no bom sentido.

E pela primeira vez, Sakura salvou Sasuke. Dele mesmo.

Ela o segurou quando a maldição dispersou. Ah Sasuke-kun! O que está acontecendo com você?

"Sakura-chan! Seu cabelo!" Naruto arruinou o momento com sua voz escandalosa.

"É... Não era prático, então eu apenas cortei."

Ela não o faria se preocupar. Ela seria forte. Por eles.

.

.

Sua luta com Ino contou a Kakashi que talvez ela não fosse tão fraca como achavam.

A força de Sakura estava em sua mente. Sasuke e Naruto a superavam em força física e resistência, mas Sakura superava os dois com suas capacidades mentais.

Mas ninguém sabia que capacidades eram essas.

Cada um dos alunos de Kakashi tinham suas assinaturas. Sasuke era angustiado e fechado. Naruto era perdido, mas feliz na maior parte do tempo. Sakura era tão bipolar que era assustador.

Todos já tinham visto seu "outro lado", majoritariamente perto de Naruto. Aquele que se irritava fácil e era forte pra caramba, mas ninguém sabia do que o "outro lado" era realmente capaz. Não até sua mente, sua única força real, fora tomada por sua melhor amiga da infância. Com o encorajamento de Naruto, ela expeliu o Shintenshin no Jutsu de Ino do seu corpo, uma coisa que ninguém tinha ouvido falar ser possível.

Apesar de Sakura ter sido a única componente do time 7 que não avançou pra rodada final, ela foi a aluna de que Kakashi mais se orgulhou.

.

.

Para a garota de cabelo rosa, a luta com Gaara foi um borrão. Tudo que conseguia lembrar era seu sensei a salvando no estádio, e depois tentando e falhando em proteger Sasuke contra o monstruoso irmão da Terra.

Sua decisão se solidificou como nunca havia antes. Ela talvez não fosse uma desistente, mas estava de saco cheio de ser fraca.

.

.

Ela se lembra do jeito que Sasuke abriu os olhos quando acordou de seu coma. Tonto. Desorientado. Na verdade, ele estava tão fora de si que provavelmente nem tinha notado que ela o estava abraçando, chorando em seu ombro. Ela estava doente de preocupação, e num intervalo de segundos ele foi curado por uma mulher voluptuosa. Ela queria ser forte daquele jeito, por Sasuke. Até por Naruto. Parecia que a cada passo que dava, seus companheiros de time já tinham dado mil de uma vez só. Era o suficiente pra acabar não só com seu ego, mas também seu orgulho.

Não foi a primeira vez que sentiu que não pertencia ali. Ela sentia com frequência que deviar ser uma Shinobi Tática, se é que isso existia. Medir a trajetória de uma kunai com a velocidade perfeito do vento num ângulo de 45 graus. Ela pertencia ao ideal mundo perfeito. Não pertencia aqui.

Na verdade, quando Sasuke veio à ela num frenzi, perguntando se ela sabia onde Naruto estava, murmurando algo sobre Itachi, ela pensou, "Quem é Itachi?" O que apenas serviu pra provar o quão pouco ela sabia sobre seus companheiros.

.

.

Sasuke odiava bullies, exceto quando ele era o bully. E ele era o tipo de bully com boa intenção. Riram de Sakura quando ela disse que Sasuke conseguiria bater num bando de ladrões que tentavam assaltar um senhor. Ela gostava do fato de ter sido capaz de acalmar o nervos do dono loja na Terra do Chá, e então manter-se confiante enquanto sabia que aqueles três ladrões não tinham chance contra um Sasuke de 13 anos. Ele intimidava as pessoas, e com um bom motivo. Ela imaginou que ele sempre carregaria um ar de realeza com ele. Garotas o viam por sua beleza, e então o afastavam quando começavam a realmente conhecê-lo. Ele era mau-humorado e arrogante e não era uma pessoa muito legal de se andar com.

Mas se você ficasse por perto tempo o suficiente, era capaz de ver um lado dele que só uma minoria privilegiada conseguia ver. Um Sasuke desarmado que te reconhecia como amigo. Você nunca se sentia intimidado, sempre confortável em sua presença. Você era protegido. Sakura, depois de um ano, sentiu que finalmente tinha alcançado esse estágio, apesar de que em comparação com Naruto ela era a última.

Em missões de escolta, Sakura normalmente ficava com o trabalho de proteger o cliente. Isso era designado por Kakashi, para que ele, Sasuke e Naruto pudessem lutar contra os inimigos. Nessa missão, Kakashi não tava aqui, mas Sakura assumiu a posição de qualquer forma, protegendo Morino Idate. O estilo de Naruto era muito dinâmico pra ficar num lugar só por muito temo, e Sasuke era rápido demais e muito valioso pra ficar em um único lugar. Apenas Sakura tinha paciência e os reflexos pra proteger o cliente. Era mais fácil desviar quando você fica em constante movimento, mas ficar parado por muito tempo colocava um alvo vermelho nas suas costas.

Era realmente irritante quando esse cliente era muito desafiador e se recusava a ouvir qualquer coisa que você fala.

Ninjas da chuva estavam em todos os lugares e o barco estava sendo rapidamente consumido pelas chamas.

"Vai, Idate!" Sakura gritou.

"Não! Vocês vão me usar como isca!"

Clones estavam os cercando. Com uma surpreendente explosão de força que ela não sabia que tinha, Sakura levantou o mastro principal do deque e acabou com os clones. "Nós nunca te usaremos como isca." Sakura disse para o homem assustado. "Agora vá, nós estamos..."

Havia uma kunai indo na direção de Idate, e Sakura mal teve tempo de bloqueá-la. A faca a cortou no braço, e ela ouviu gritos de preocupação de seus companheiros. "Vá, Idate."

E esse era o outro motivo pelo qual sempre a deixavam encarregada do cliente. Porque ela conseguia acabar com seus medos como ninguém.

.

.

"Eu te amo tanto!" Ela gritou pra Sasuke. "Me leve com você."

Porque eu também quero ser forte.

Mas ela ainda era fraca, e portanto inútil para seu único e verdadeiro amor. Isso doía mais do que qualquer outra coisa.

"Sakura, obrigado."

Mais tarde ela pensaria cinicamente, Porque está me agradecendo? Você não nada pelo que me agradecer. Eu não fiz nada pra te ajudar, Sasuke-kun.

Ela nunca saberia o porque dele realmente agradecê-la, mas esperava que quando ele voltasse, dissesse pra ela.

.

.

"Eu o trarei de volta, Sakura-chan! É uma promessa de vida!"

Você está me deixando aqui? Sakura queria gritar pra ele. Porque você está levando eles? Eles mal conhecem o Sasuke! Ele é meu—nosso—companheiro! Não deles!

Mas era seu dever como ninja sorrir e concordar com olhos marejados.

.

.

Sakura torcia suas mãos, andando pelo quarto. Eles estavam a procura de Sasuke, e ela não estava com eles.

É tudo minha culpa. Ela pensou. Se ao menos eu tivesse o parado a tempo... Se eu fosse menos irritante... Mais forte... Ele teria ficado? Se...

Os pensamentos da rosada foram interrompidos quando um sentimento d vazio se apoderou de seu peito. Algo estava errado. Algo estava terrivelmente errado, e Sasuke e Naruto estavam bem no meio disso.

Sakura abriu sua janela e olhou para a rua, vendo Kakashi andar com seu livro. Era só porque ela o conhecia que sabia que ele também estava nervoso, a mão que segurava o livro estava mais apertada que o normal, e ele parecia que estava se contorcendo pra fazer algo. Sakura pulou, gritando o nome dele.

"Você tem que achá-los, Kakashi-sensei!" Ele ergueu uma sobrancelha pra ela. "Por favor, tem algo errado!"

"Sakura, eles provavelmente estão lutando. É claro que tem..."

Fios rosas voaram quando Sakura balançou a cabeça. "Não... Eu sei disso, mas, Eu não consigo explicar, mas tem algo muito errado."

"Como sabe?"

Sakura pôs a mão onde o vazio dentro dela a comia por dentro. "Dói, Kakashi-sensei."

Seu sensei vagarosamente deixou o livro de lado. "Vou falar com a Hokage e ver o que posso fazer."

"Obrigada."

E no dia seguinte, Naruto entrou na vila nas costas de Kakashi, inconsciente e não muito distante da morte.

.

.

A chance de Sakura ir com Naruto e Jiraiya para resgatar Sasuke finalmente chegara. Naruto ficou preso na barreira, e Sakura estava completamente estática.

Não posso fazer nada. Ela pensou enquanto Naruto estava sendo esmagado de vagar na frente dela. Nada mudou! Ainda não sirvo pra nada!

As garras de Arashi vieram abaixo com força pra esmagar Sasame, mas Sakura se preparou. Ela desviou as armas com uma kunai, e endureceu os olhos para não mostrar medo como Sasuke e Naruto faziam. Sou uma ninja! Uma shinobi de Konoha! Me recuso a ser fraca! Shannaro!

Seus olhos estavam cheios de ira.

Não vou deixar você ganhar. Darei minha vida antes de deixá-lo ganhar!

"Sakura!" Sasame disse surpresa.

"Sa-ku-ra. Cuidado ou você vai primeiro, é isso que quer?" Arashi, ou melhor, o monstro que se apoderara dele, rugiu pra ela.

Ela o encarou com fúria. "A morte não é algo de que se deva ter medo, Sasame me ensinou isso!" As garras mortais estavam se fechando em seu pescoço, mas ela ainda o encarou com raiva. "Pior que a morte é ter uma vida que não ajuda ninguém. Não tenho medo de morrer dando minha vida pra ajudar alguém importante pra mim!"

Mas Naruto não a deixaria morrer.

Ela conseguiu ver o quão Naruto era forte quando estava realmente determinado. Ele passou pela barreira e derrotou o inimigo de uma só vez e saiu praticamente ileso.

"Naruto!" Você ta a salvo! Graças—

"Prometa-me que nunca mais fará isso. Nenhuma vida deve ser jogada fora, nem mesmo pelo bem de outra pessoa."

Ela estava sendo repreendida? Por Naruto? A ideia de que ele estava dando uma bronca nela a deixou embaraçada e envergonhada. Mas então, algo ocorreu a ela.

Maldição! É meu dever como Shinobi arriscar minha vida. Naruto, pare de me proteger! Não quero que você tenha que—

Seu pensamento foi interrompido quando Jiraiya chegou.

Indo pra casa, ela refletiu. "Arashi estava certo, eu sou só peso morto."

"Você ta me zoando?" Naruto finalmente falou. "Se você não tivesse se arriscado daquele jeito, eu não teria força pra continuar! Você foi incrível!"

"Valeu, Naruto." Mesmo que seja da boca pra fora.

Tudo o que eu queria era proteger alguém importante pra mim...

E então caiu a ficha.

Ela ia fazer algo sobre isso.

"Entre."

"Hokage-sama." Sakura disse com confiança. "Quero me tornar sua aprendiz."

Eu vou jogar a outra Sakura fora. Pra sempre.

Ela não permitiria mais que seu destino ficasse nas mãos dos outros.

.

.

Sakura não viu mais Naruto constantemente. Ele saía em missões enquanto Sakura ficava na vila pra desenvolver seus ninjutsus médicos. Ela não saía da vila há pelo menos um mês, e estava começando a ficar entediada. Estava começando a sentir realmente mal por todos os animais que não conseguia salvar. Ela havia matado tantos peixes nas últimas duas semanas...

No entanto, todo seu treinamento valeu a pena quando um dia, indo pra casa, ela encontrou um pássaro que estava morrendo na frente da vitrine de uma loja. Obviamente ele tinha batido no vidro e ela mal podia o ver respirando. O fato de ele estar de lado também não era uma boa coisa. O dono da loja saiu com uma pá de lixo, e Sakura notou com horror que ele ia se livrar do pobre animal.

"Espere!" Sakura gritou. "Não mate!"

"É ruim pros negócios, garotinha. E, aliás, estarei acabando com seu sofrimento."

"Só me de um minuto..." e ela agachou ao lado do pássaro, chakra verde envolvendo suas mãos. Ela sentiu a asa e costela quebrada, e cuidadosamente as remendou. Ela se levantou com a respiração presa, e sentiu algo como alívio espalhar por si quando o passarinha ficou em pé, ficou tonto por um segundo, e voou pra longe.

O dono ficou encarando o pássaro incrédulo, e Sakura sorriu.

.

.

Sakura finalmente teve chance de escapar da vila quando Tsunade a levou pra uma área desolada do Leste de Konoha. A rosada suspeitava que ela apenas estava fazendo isso para que pudesse escapar do monte de papelada em sua mesa.

O lugar era rochoso e Sakura torceu o nariz para o cheiro não identificada pairando no ar.

"Soque o chão, Sakura."

Sakura inclinou um pouco a cabeça.

"Concentre chakra em seu punho, e soque."

Então Sakura fez, e ficou satisfeita quando um buraco considerável apareceu sobre seu punho. Ela olhou para Tsunade esperando elogios, mas encontrou apenas o olhar desinteressado da mais velha. "Isso foi patético, Sakura."

Sakura abriu a boca para sua mentora. Foi só sua primeira vez! O que você esperava?!

"Fique atrás de mim." Quando a rosada ficou atrás dela, Tsunade socou o chão, sem nem por metade da força que Sakura havia posto. A aprendiz de médica-nin cambaleou quando o mundo a seu redor tremeu, e acabou perdendo o equilíbrio e caindo. Quando olhou para destruição rochas estavam em todos os cantos, surgindo do chão em formatos aleatórios, e havia uma cratera no chão que devia ser tão fundo quanto a Montanha dos Hokages era alta. Ela ficou de boca aberta de novo.

"Agora, Sakura, tente de novo."

.

.

Sakura se forçou a sorrir quando Michiru, príncipe do País da Lua, se aproximou e ficou obviamente a admirando. O porco era um homem que gastava sem nenhum senso de responsabilidade e adquiriu uma antipatia instantânea por ele. Porém, ficou surpresa pela atenção, ninguém em Konoha (pelo menos nenhum garoto, a não ser Lee) lhe dava um segundo olhar. Imaginou que os intimidava, o que infelizmente não acontecia com esse homem porque acabara de conhecê-lo.

"Você é mesmo uma ninja, mesmo sendo tão fofa?"

Quantos anos você tem mesmo? Sakura perguntou em sua cabeça. Ela conseguia sentir a agitação de Naruto e Lee.

Shannaro! Inner Sakura protestou. Olhe além do cabelo rosa, seu babaca! Eu vou te matar!

"Ela é nova, mas é excelente." Kakashi jurou por ela. E ela sentiu seu orgulho inflar um pouco. Nem ele fazia ideia em qual era seu treinamento com Tsunade, e ela estava ansiosa pra surpreender todos seus amigos e companheiros de equipe.

"Prazer em conhecê-la, donzela." E ele a cumprimentou, acariciando as costas de sua mão com a dele. Naruto e Lee continuaram os encarando, inconformados. Sakura gelou por um momento e então se forçou a sorrir.

Crack! Crack! Crack!

O rosto do príncipe adquiriu um adorável tom roxo enquanto Sakura balançava suas mãos com um aperto mais forte que o necessário. Ela o deixou ir quando achou que tinha aprendido a lição. Seu time riu, e ela recebeu um olhar repreendedor de Kakashi antes que seu único olho adquirisse um brilho divertido.

"E," Kakashi explicou. "Ela é mais forte que a maioria dos adultos, também."

Oh Kakashi-sensei, Sakura pensou divertida. Você não sabe nem a metade.

.

.

Naruto foi embora há algumas horas atrás com Jiraiya pra treinar por tempo indeterminado. Sakura observava a estrada pra fora de Konoha com olhos tristes.

Tsunade pôs uma mão sobre seu ombro.

"É para o melhor, Sakura."

"Não parece." Ela contava com o suporte de Naruto pra conseguir continuar.

"Eu sei como está se sentindo, mas você tem que confiar em mim nessa. Meus companheiros eram homens também."

"Mas você pode socar crateras no chão. Aposto que nunca te deixaram pra trás."

"Mas ainda sou mulher, Sakura. Qualquer companheiro homem vai proteger a mulher, não importa o quão forte ela seja. Agora eles se foram e você não tem ninguém pra te proteger mais." Seus olhos âmbares encontraram verdes. "Eu sei como professores homem tratam suas alunas mulheres, e já passou da hora de você arriscar seu pescoço. Você vai se machucar, sangrar, e provavelmente vai fazer coisas agora que seus companheiros nunca imaginariam você fazendo em um milhão de anos. É para o melhor, você precisa parar de esperar que eles te protejam."

As palavras dela a atingiram em cheio, e Sakura sabia que ela estava certa. Sinto falta de vocês, mas quer saber, boa viagem.

tbc.


N/T: Sim sim, eu sei. Estou mega atrasada com What To Expect Out Of Life, e já vim postar essa outra tradução que é praticamente o triplo de WTEOOL. Não teho o que dizer. Eu basicamente funciono assim: tenho um momento de animação e traduzo uns trocentos caps, e depois, pff. Demoro séculos pra traduzir um parágrafo. Isso não quer dizer que irei abandonar. Acreditem ou não, o próx cap de WTEOOL já tem 2/3 traduzidos, YES.

Quanto a Catch22, bem, eu amo essa fic. Basicamente porque ela é a solução para todas as minhas frustrações com a Canon!Sakura. Como perceberam ela não é inteiramente UA, o que é lindo, porque eu adoro quando a Sakura ninja é poderosa. (já devem ter percebido, haaan? hehe) E... bem, leiam e descubram certo?

Qualquer crítica (construtiva ou destrutiva) Reviews!

(tipo assim, 9 págs no Word, ARGH, meus dedinhos! ç_ç)