N/A : Pós O Complexo de Atlântida

Um dia...

Ao contrario do que diziam as más línguas (e ao contrario do que a sua amizade com um certo ex gênio do crime e com um anão cleptomaníaco indicaria) Holly Short não sentia simpatia por criminosos. Principalmente se esses criminosos fossem assassinos. Mas ainda assim ao escrever seus relatórios para a LEP sobre a fuga de Turnball Root a emoção que lhe ocorreu não foi raiva ou mesmo satisfação, apenas um grande pesar.

O irmão de seu antigo comandante não era uma boa pessoa e vidas haviam sido perdidas devido aos seus planos. Holly sabia disso, mas ela também sabia sobre o motivo de tudo aquilo ter acontecido, a sua esposa. Para os padrões humanos Leonor tinha tido uma vida excepcionalmente longa, mas para aqueles como Turnball, para aqueles como Holly, tão tão curta.

Então Holly sentiu empatia por ele e estava confiante que continuaria sentindo porque ela sabia que um dia dali há algumas décadas o seu coração seria quebrado exatamente da mesma maneira que o dele.

Obrigada por ler, reviews são sempre apreciadas.